6 empregos que deixaram de existir e pouca gente lembra

Relembre profissões que foram substituídas pelo tempo e pela tecnologia.

empregos-que-deixaram-de-existir

O que você achou? Siga @awebic no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Já parou para pensar em quais empregos deixaram de existir ao longo do tempo, se transformando para se adaptar aos diferentes cenários no mercado de trabalho? 

É impressionante como algumas das profissões desaparecem com o tempo, de maneira tão natural que muitas vezes nem percebemos. 

Nesse artigo, vamos fazer um mergulho em alguns desses empregos, explorando como foram substituídos e quais outros podem seguir o mesmo caminho. 

Quais empregos deixaram de existir?

Os empregos que deixaram de existir foram significativamente impactados pelas:

  • Mudanças tecnológicas;
  • Tranformações culturais;
  • Reformulações sociais ao longo do tempo. 

Não é surpresa que alguns tenham desaparecido completamente, como nos exemplos abaixo: 

1 – Telefonista 

linotipista-empregos-que-deixaram-de-existir
6 empregos que deixaram de existir e pouca gente lembra (Imagens: Unsplash e Pexels)

Antes de os smartphones chegarem a mais de 73% das famílias brasileiras, os telefonistas tinham um papel fundamental na conexão de chamadas telefônicas. 

Eles trabalhavam operando uma central telefônica, que conectava os assinantes através de cabos e plugs. Você precisava ligar para a telefonista e ela iria te conectar com quem você gostaria de falar.

Com o avanço da tecnologia, especialmente na área de telecomunicações, a função desses profissionais foi substituída por sistemas automáticos. 

Hoje, a maioria das chamadas telefônicas é feita automaticamente por sistemas computadorizados, sem precisar de humanos para conectar essas chamadas.

2 – Datilógrafo

empregos-que-deixaram-de-existir

O datilógrafo era o profissional responsável por operar as máquinas de escrever. Uma função como a de digitador, para fazer documentos, cartilhas comerciais e correspondências. 

Antes de os computadores pessoais se tornarem tão populares nas residências, as máquinas de escrever eram itens fundamentais para a comunicação em escritórios e empresas. 

Na década de 80, com a chegada dos softwares e computadores, o papel do datilógrafo foi desaparecendo gradualmente e abrindo espaço para a tecnologia. 

O trabalho de digitação agora é feito diretamente nos teclados do computador, o que garante mais eficiência e flexibilidade, além de junção com outros recursos úteis. 

3 – Ascensorista

empregos-que-deixaram-de-existir-elevador

Esse era um emprego comum em edifícios antigos, especialmente em arranha-céus. Talvez, você ainda recorde de quando era uma profissão comum. 

Os ascensoristas operavam os elevadores manualmente, parando em cada andar conforme os passageiros solicitavam. 

Com o desenvolvimento dos elevadores automáticos e dos sistemas de controle eletrônicos mais avançados, a presença desses profissionais se tornou desnecessária. 

Os elevadores modernos são programados para funcionar de forma autônoma, garantindo mais segurança e eficiência dentro dos edifícios.

4 – Revelador de fotos

empregos-que-deixaram-de-existir-fotos

Antes da era digital tomar conta de tudo, o revelador de fotos era um profissional essencial para transformar os filmes fotográficos em cópias impressas. 

Isso envolvia processos químicos em laboratórios especializados para revelar, fixar e secar essas imagens. Os processos precisavam ser feitos com cuidado, para não invalidar os filmes.

Com o tempo, a popularização das câmeras digitais e dos smartphones, diminuiu a demanda de revelação de fotos analógicas drasticamente. 

Hoje, a maioria dos registros é visto e compartilhado de forma eletrônica. Isso fez com que a profissão de revelador de fotos fosse desaparecendo. 

5 – Leiteiro

empregos-que-deixaram-de-existir-leiteiro

Para as novas gerações, essa profissão faz parte apenas do imaginário criado pelos filmes, mas a verdade é que o leiteiro foi uma profissão importante há algumas décadas. 

Antes da evolução dos processos de pasteurização em larga escala e dos aparelhos de refrigeração domésticos, como freezers e geladeiras, essa era uma figura comum na rotina das comunidades. 

Atualmente, com o aumento dos supermercados e da disponibilidade do leite pasteurizado, o serviço de entrega do leiteiro foi substituído. 

Hoje, essa profissão é uma raridade em muitas regiões e apesar de ainda existir, abriu espaço para as compras em supermercados. 

6 – Atores de rádio

empregos-que-deixaram-de-existir-rádio

Na época de ouro do rádio, também existiam atores que desempenhavam papéis essenciais na criação e interpretação de:

  • Dramas;
  • Comédias;
  • Programas de variedades;
  • Transmissões ao vivo. 

Com o desenvolvimento dos aparelhos de televisão e a mudança de preferência do público, os programas de rádio com áudio novelas perderam a popularidade. 

Muitos atores de rádio dessa época, acabaram fazendo a transição para a TV e o cinema, enquanto outros encontraram oportunidades na dublagem e narração. 

Atualmente, embora não seja mais a época de ouro do rádio, os programas continuam a existir, muitas vezes com um foco diferente e utilizando novas tecnologias.

Quais profissões podem desaparecer?

empregos-que-deixaram-de-existir

Você já deve imaginar que devido ao avanço técologico, muitas profissões enfrentam a possibilidade de “desaparecer” ou de se tranformarem.

Dentre as profissões que podem “sumir”, podemos citar os caixas de supermercado, pois suas funções podem ser substituídas por sistemas de autoatendimento, que já são adotados em muitos estabelecimentos.

Além disso, a inteligência artificial também ameaça funções administrativas e de escritório, como assistentes e recepcionistas, cujas tarefas podem ser substituídas por sistemas.

Outro setor diretamente impactado por esses avanços é o de transporte, onde motoristas e entregadores podem enfrentar mudanças com a chegada de veículos autônomos. 

A tecnologia não vai substituir você!

Apesar dessas mudanças tecnologicas serem cada vez mais evidentes, precisamos compreender que nem todos serão sibstituidos pelo avanço desses recursos.

Muitas profissões vão, na verdade, evoluir e se adaptar. Claramente, isso vai exigir novas habilidades e competências dos profissionais, como criatividade, resolução de problemas e habilidades interpessoais.

Gostou da nostalgia em resgatar essas profissões que desapareceram? Compartilhe esse artigo com alguém especial e não deixe de acompanhar o nosso site.

Veja mais ›
Fechar