Por que as pessoas gostam tanto de analisar os outros?

Isso de fato é um problema?

publicidade

Não ser capaz de parar de analisar tudo e todos pode ser assustador e prejudicial para a vida de qualquer pessoa.

Padrões obsessivos e análises incessantes podem levar a problemas graves, como depressão maior e transtornos de ansiedade. As mulheres (57%) são mais propensas a pensar demais do que os homens (43%).

Sinais de que você analisa demais

Existe um nível de preocupação que pode ser considerado normal. Além desse limite, já se pode considerar que os pensamentos são obsessivos.

publicidade

Quer saber se você pensa demais? Veja se você se identifica com os comportamentos abaixo:

  • Pedir aos outros para repetir a mesma história várias vezes
  • Perguntar sobre a intenção da pessoa com quem está conversando (mais de uma vez)
  • Ficar obcecado por uma situação, imaginando cenários que poderiam ter acontecido se você tivesse agido diferente
  • Mencionar um evento periodicamente, tempos depois de ele ter ocorrido

Como lidar com o excesso de pensamentos

Se você é mesmo alguém que analisa demais, não importa o quão cansado você esteja, você não pode desligar seu cérebro. Ele continua ativo, escaneando tudo o que pode e imediatamente dissecando o que encontra.

Mesmo quando você não quer, quando você tenta se distrair, ele está trabalhando – contra você, na maior parte dos casos.

publicidade

Se você realmente pensa demais, pode encontrar uma forma de transformar isso em uma atitude produtiva:

  • Reserve um tempo, como 30 minutos, para falar em voz alta o que lhe aflige
  • Caso isso pareça constrangedor, escreva

Essa é uma forma de você organizar seus pensamentos e impedir que eles continuem lhe sufocando.

Por que algumas pessoas analisam tanto?

  • Você tenderá a analisar demais se se sentir ansioso ou estressado.
  • Se você tende a ser muito crítico consigo mesmo, pode descobrir que sua voz interior negativa assume o controle quando se trata de certas situações.
  • Se você tem muitas feridas psicológicas, a probabilidade de uma palavra ou uma situação reabrir uma de suas feridas é muito maior que com outras pessoas não tão machucadas.
  • Quando a sua autoestima está baixa, sua percepção do mundo muda e tudo pode parecer uma tentativa de rejeitar ou magoar você. Se alguém o ignora sem querer, por exemplo, você começa a questionar seu valor, em uma espiral de negatividade.

  • Ao se preocupar com frequência, sua estrutura cerebral muda de tal forma que se preocupar se torna cada vez mais fácil. Você, sem saber, é quem treina sua mente para se preocupar com tudo.
  • A incerteza do futuro pode ser um tópico muito assustador. Se você pensa muito no futuro e cria cenários terríveis em sua mente, é por isso que você verifica tudo e está sempre alerta.
  • Pessoas que estão sempre apressadas e respirando mal tendem a cair na armadilha da análise excessiva. É preciso respirar fundo e colocar as coisas em perspectiva.
  • Se você é inseguro, tenderá a querer controlar tudo, inclusive seus pensamentos e sentimentos. No entanto, há momentos na vida que estão fora de nosso controle e isso é normal!

Há vantagens em analisar demais?

1. Se você analisa tudo, provavelmente é um bom amigo.

Se um amigo precisar de conselho sobre alguma coisa, você parará para analisar com ele todo o cenário até a exaustão.

Em pouco tempo, você terá resolvido todos os problemas dele!

publicidade

2. Você tende a ser muito dedicado.

Não há ninguém mais atencioso que uma pessoa que analisa demais.

São indivíduos que estão tão preocupados com o próprio comportamento que tendem a ser gentis com todos e agir como um exemplo a ser seguido.

3. Você é confiável.

Se você combina um encontro, é porque irá.

E chegará adiantado, para não ficar analisando depois como teria sido se você não tivesse se atrasado.

4. Você tem um bom cérebro.

Um cérebro que nunca desliga tende a ter opiniões bem formuladas sobre qualquer coisa.

Assim como está sempre pronto para discutir sobre essas coisas.

5. Você é empático.

Não há pessoa que terá mais empatia do que quem analisa tudo, porque analisar envolve imaginar tudo o que é possível acontecer – inclusive no que diz respeito a sentimentos.

Se você revive o tempo todo o que aconteceu em sua mente, certamente você também se coloca no lugar do outro e imagina como ele se sente também.

6. Sua insegurança pode impulsionar você a ser melhor em tudo.

Estar constantemente pensando significa ainda estar sempre cogitando em maneiras de melhorar a si mesmo, assim como a vida e a Humanidade.

Basicamente, você tem um incrível potencial para salvar o mundo!

Quebre o ciclo

Analisar tudo pode ser uma experiência extremamente frustrante, opressora e até paralisante. Embora a ansiedade que você está sentindo possa parecer aleatória, existe um gatilho: a incerteza.

Analisar é tentar resolver e eliminar as incertezas. A maneira de diminuir a ansiedade em resposta a à incerteza é ensinar seu cérebro que é normal estar incerto sobre algo.

Isso impedirá que o gatilho da ansiedade dispare. É impossível saber tudo, então a certeza total nunca pode ser alcançada.

Simplificando: se você para de tentar responder à questão que sua mente obsessivamente tenta responder, se você permite que a incerteza exista… Ela deixa de ser um gatilho.

Não pesquise a questão on-line. Não pergunte a seus amigos e familiares se tudo ficará bem. Você se acostumará com a incerteza e sua ansiedade se dissipará naturalmente.

Outras formas de lidar com a mania de analisar

  • Decida que não vai pensar demais enquanto estiver trabalhando.
  • Reserve uma a duas horas do seu dia para analisar e gaste o tempo restante com outras atividades.
  • Tenha hobbies dos quais você realmente goste. Isso estimulará o circuito da recompensa no cérebro, o que impedirá que a ansiedade dispare.
  • Assuma uma postura positiva. Diga a si mesmo que acredita em si e que poderá cuidar de tudo que surgir em seu caminho.
  • Medite. Escolha uma forma de meditação e invista nela. É um bom aprendizado para quem quer saber como “parar” os pensamentos.
  • Quando estiver analisando algo sem parar, pergunte-se: Isso fará diferença daqui a 5 anos?
  • Estabeleça prazos curtos para as suas decisões. Se você não tem um limite de tempo para agir, ficará refletindo demais. Faça logo!