Carregar a dor dos outros em EXCESSO pode te causar ESSE TRAUMA e essas dores

Somos humanos e precisamos entender certos limites!

Carregar a dor dos outros em EXCESSO pode te causar ESSE TRAUMA e essas dores
Carregar a dor dos outros em EXCESSO pode te causar ESSE TRAUMA e essas dores

Você conhece ou já ouviu falar em trauma vicário? Esse tipo de trauma é um grande desafio para pessoas que trabalham cuidando de outras pessoas.

Muitos voluntários nas áreas de atendimento a vítimas, como também atendimentos em serviços médicos de emergência podem sofrer desse tipo de trauma.

Esse contato com o trauma vicário está relacionado ao trabalho do cuidado de pessoas, assim como pode ocorrer a partir de experiências de convivência com vitimização.

Uma pessoa que ouvir consequentemente traumas e violência de outras pessoas, assistir vídeos de crianças sendo exploradas ou outros eventos traumáticos pode levar a trauma vicário.

trauma-vicário

Quais são as maiores vítimas do trauma vicário?

As maiores vítimas desse tipo de trauma são as pessoas que trabalham com sobreviventes de violência e trauma. 

Esses profissionais correm o risco de ser afetados pelos vários efeitos do trauma vicário.

Confira a seguir alguns fatores que podem tornar os funcionário da área do cuidado humano e voluntários mais vulneráveis ao risco do trauma vicário, são eles:

  • Ter experiências traumáticas;
  • Isolamento social dentro ou fora do ambiente de trabalho;
  • Ter a tendência de evitar sentimentos;
  • Ficar retraindo-se ou atribuir culpa nos outros;
  • Ter dificuldade de expressar sentimentos para outras pessoas;
  • Falta de orientação e treinamento no trabalho;
  • Não ter preocupação com nada;
  • Exposição diária a traumas intensos de outras pessoas;
  • Falta de apoio emocional;
  • Não discutir sobre traumas no trabalho.

São essas e várias outras situações que podem levar profissionais de saúde e de cuidado a seres humanos a sofrerem do trauma vicário.

O efeito negativo do trauma vicário

Cada pessoa em seu estado individual pode experimentar os efeitos negativos do trauma vicário de muitas formas diferentes.

trauma-vicário

Confira a seguir algumas das possíveis reações negativas que uma pessoa pode expressar ao sofre do trauma vicário, são elas:

  • Dificuldade em saber gerenciar emoções;
  • Sentir-se emocionalmente fechado;
  • Fadigado, sonolento ou com dificuldade para dormir;
  • Problemas físicos e dores constantes no corpo;
  • Falta de concentração e foco em pequenas coisas;
  • Perda do sentido da vida;
  • Perda dos sentimentos e da esperança.

Além dessas várias consequências desse tipo de trauma, muitas dessas pessoas que sofrem desse trauma têm problemas em relacionamentos, como por exemplo, se afastar dos amigos e familiares.

Muitas pessoas que trabalham na área do cuidado médico e social sofrem de trauma vicário. Podemos perceber esse sofrimentos em seus comportamentos, como:

  • Sentir-se vulnerável;
  • Preocupar-se constantemente com o perigo do mundo e das pessoas;
  • Estão sempre irritados, explosivos e agressivos;
  • Comer compulsivamente toda hora ou comem muito pouco;
  • Mergulham no mundo dos jogos eletrônicos;
  • Falta ou nenhuma motivação de viver;
  • Evitam sempre que possível o trabalho;
  • Transtorno de Estresse Pós-Traumático.

Se você conhece alguém que trabalha na área da saúde ou de cuidados sociais com pessoas fragilizadas, comece a prestar atenção em seus comportamentos e hábitos.

trauma-vicário

Se alguém que conhece e que se encaixa nas características que falamos anteriormente, comece a procurar ajuda para essa pessoa, pois ela está sofrendo do trauma vicário.

Como enfrentar o trauma vicário?

Esse tipo de trauma é um grande processo de mudança que resulta do laço de empatia por pessoas sobreviventes e violências e traumas da vida.

Qualquer tipo de pessoa que se relaciona de forma empática e amorosa com pessoas violentadas e que sobreviveram a incidentes traumáticos tem um grande risco de desenvolver o trauma vicário.

Mas como enfrentar isso? Como conviver com pessoas que sofreram tortura e grande traumas emocionais e não cairem também em uma profunda tristeza?

Confira a seguir como você pode lidar com as consequências do trauma vicário e também saber identificar quando uma pessoa está se envolvendo demais nos traumas dos outros e também ficando doente emocionalmente.

6 estratégias para diminuir o risco do trauma vicário

Se você conhece alguém ou acha que você está sofrendo de trauma vicário, tente seguir as estratégias abaixo para enfrentar e reduzir os riscos dessa trama.

1 – Aumente a sua auto-análise

Você precisa reconhecer e registrar os seus desvios de comportamentos, os sinais de estresses, ansiedades para avaliar se realmente você está sofrendo do trauma vicário e do esgotamento emocional.

trauma-vicário

2 – Cuida de si mesmo

É muito importante você cuidar do seu emocional para depois pensar em cuidar dos outros. Comece se envolvendo em atitudes relaxantes e calmas.

Cuide do seu bem-estar e do seu físico, cuide da sua mente para que você fique forte e ajude os outros.

3 – Equilibre sua vida profissional e pessoa

Você precisa manter uma vida equilibrada e saudável entre o seu trabalho, profissão, e sua vida pessoal, família e casa.

4 – Seja realista

Antes de tudo, você precisa botar os pés no chão e ser realista sobre oque você pode realizar ou não. 

Não tente assumir responsabilidades que você não vai dar conta, isso é muito perigoso para você e para outra pessoa que está esperando.

Não adianta você querer dar um bom tratamento para uma pessoa que sofre de trauma se você não consegue. A sua incapacidade para gerar em você tristeza que pode levar a depressão.

5 – Não seja multitarefas

Não queira abraçar o mundo, isso pode diminuir e muito sua qualidade de tratamento. Equilibre o seu número de pacientes, não queira cuidar de vários pacientes ao mesmo tempo.

trauma-vicário

É melhor cuidar de pouco e dar atenção devida que elas merecem, do que tentar cuidar de várias pessoas ao mesmo tempo.

6 – Procure apoio, não trabalhe sozinho

Procure usar um sistema de camaradagem, trabalhe em conjunto com outras pessoas, não seja um guerreiro solitário.

Procure apoio de outras pessoas, conselhos de pessoas mais experientes, assim você não estará sozinho nos tratamentos de pacientes.

Não negligencie o trauma vicário

Uma coisa é certa: não podemos deixar de sermos empáticos com o sofrimento de outras pessoas! Especialmente quando presenciamos uma pessoa sofrendo ou temos conhecimento de histórias terríveis.

É muito importante para você e para as outras pessoas que trabalham com cuidado de pessoas, entender a importância do equilíbrio emocional e a empatia por outras pessoas.

Do que adianta ter um profissional de saúde sofrendo de ansiedade e dos seus próprios traumas internos? Uma pessoa assim conseguirá ajudar outra no mesmo estado de sofrimento?

trauma-vicário

Levando em conta tudo isso, não podemos negligenciar o sofrimento das outras pessoas assim como o trauma vicário. 

Isso pode acabar com a carreira profissional de um médico, uma enfermeira ou pessoas voluntárias que ajudam pessoas em necessidades extremas.

Se você conhece alguém que sabe sobre o trauma vicário, procure ajuda, vá com essa pessoa ao tratamento, essas pessoas precisam de ajuda assim como as que sofrem nos hospitais e em suas casas.

publicidade