Comprimido de dose única contra HIV é aprovado pela Anvisa

Uma nova esperança!

Comprimido de dose única contra HIV é aprovado pela Anvisa
Comprimido de dose única contra HIV é aprovado pela Anvisa

Hoje por volta de 920 mil pessoas convivem com o vírus HIV no Brasil. Dessas, 89% foram diagnosticadas, 77% fazem tratamento com antirretroviral e 94% das pessoas em tratamento atingiram carga viral indetectável e por isso não transmitem por via sexual, segundo informa o portal do governo.

A taxa de 77% indica uma rejeição do tratamento de 23% dos portadores. Existem vários motivos para rejeição do tratamento, um deles é o preconceito e o outro é a rotina necessária para a administração dos medicamentos.

Nesse contexto, o Dovato, como é chamado o novo medicamento, que é uma combinação das substâncias lamivudina e dolutegravir sódico, aparece como um meio de simplificação do processo terapêutico.

Te interessa?

O medicamento foi aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e é o primeiro remédio administrado em dose única. 

A agência ressalta que já existem terapias com comprimidos únicos para combate ao HIV, mas que o Dovato é o único a ser administrado no início do tratamento, a chamada primeira linha, momento crucial para o paciente.  

A aprovação representa um avanço no tratamento das pessoas portadoras do vírus que causa a Aids, já que reúne em uma dose diária dois antirretrovirais que não estavam disponíveis em um só comprimido“, disse a agência reguladora, em nota.

Segundo bula homologada do remédio, ele promove o aumento na contabilização das células CD4, um glóbulo branco presente no sangue que é fundamental na manutenção do sistema imunológico, pois age combatendo as infecções.

Mas principalmente, ele age no organismo do paciente reduzindo a presença do vírus causador da Aids, controlando-o e mantendo-o em um nível baixo e seguro.

Mais um forte aliado

A expectativa da agência, do governo brasileiro e órgãos de apoio a soropositivos, é que o medicamento aumente a adesão ao tratamento, fazendo com que o percentual de brasileiros infectados em procedimento aumente.

Embora não haja um remédio que cure a doença, na medida que a ciência avança surgem novas descobertas e com elas esperanças de que ela está cada vez mais próxima. 

O que temos por ora é o tratamento, que tem se mostrado muito eficaz, possibilitando uma vida normal. 

Imagem: BUSINESS WIRE

Detalhes do medicamento

O novo remédio terá eficácia na administração para regime completo da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana tipo 1 (HIV-1) em adolescentes acima 12 anos e adultos, desde que pesem mais de 40 kg, não detenha histórico de tratamento antirretroviral antecedente ou em substituição ao regime antirretroviral atual em pessoas com supressão virológica.

A patente do produto foi concedida ao laboratório GlaxoSmithKline Brasil Ltda, que trouxe o medicamento para o Brasil, e apresentou os estudos de eficácia e segurança com dados que sustentaram as indicações autorizadas.

Aproximadamente metade das pessoas que vivem com HIV e fazem uso de terapia antirretroviral utilizam dolutegravir em seus tratamentos“, disse em nota a farmacêutica.

A aprovação do novo medicamento Dovato foi assegurado pelos estudos globais de referência GEMINI 1 e 2 que incluíram mais de 1.400 adultos vivendo com HIV, e pelos resultados do estudo TANGO, apresentados na Conferência Internacional da Sociedade de Aids sobre Ciência do HIV 2021 (IAS 2021).

Fonte: Folha de São Paulo

O que você achou? Siga @awebic no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar