Crenças limitantes comuns no cotidiano das mulheres

Atenção mulheres: é preciso descobrir as crenças limitantes que atrapalham sua
independência emocional e se tornam empecilhos para a melhora de sua vida como um
todo.

publicidade

Atenção mulheres: é preciso descobrir as crenças limitantes que atrapalham sua independência emocional e se tornam empecilhos para a melhora de sua vida como um todo.

Todo dia é um novo dia para aprender, se desconstruir, se ressignificar.

Unsplash

Em homenagem ao dia internacional da mulher, comemorado dia 8 de março, resolvemos fazer este conteúdo especial para agregar valores para nossas leitoras, para que cada vez mais possamos enxergar que o nosso lugar é onde a gente quiser!

publicidade

O que são as crenças limitantes?

As crenças se referem a posições adotadas com fé e certeza. Todas as pessoas acabam recebendo informações ou passando por situações que interferem no seu desenvolvimento e na sua personalidade desde a infância.

As crenças limitantes não são diferentes desta definição. Elas têm origem em uma série de experiências ou até mesmo de uma única experiência. Estas situações provocam um impacto negativo muito forte que acaba transformando a maneira de pensar e consequentemente, estes pensamentos vão limitar as pessoas nas tomadas de decisões em alguns (ou até mesmo todos) aspectos em sua vida.

Além das crenças limitantes comuns a todas as pessoas, existem pensamentos intimamente ligados ao comportamento e ao universo feminino que acabam impedindo as mulheres de ter uma vida mais leve e feliz.

Reprodução/ Internet

O empoderamento feminino está intimamente ligado às crenças limitantes. Quando conseguimos identificar os pensamentos que nos impedem de crescer e trabalhamos para eliminá-los, conseguimos tomar as rédeas de nossas próprias vidas e fazer a diferença.
Grande parte disso está ligado em como a mulher é vista, e como a sociedade diz que ela deve se comportar. Em pleno século XXI ainda nos perguntamos “O que vão pensar de mim se eu fizer tal coisa?”.

publicidade

Estes questionamentos são prejudiciais à nossa autoestima, a nossa personalidade, aos nossos relacionamentos e mostram que as amarras da sociedade são tão enraizadas que se não pararmos para refletir, quase nos esquecemos que é uma questão cultural que precisa ser reformulada.

Pensando nisso, trouxemos para vocês quais são as crenças limitantes mais comuns ao universo feminino.

1. Eu não sou o suficiente

Uma das crenças mais comuns no cotidiano das mulheres é esta. Grande parte delas acredita não ser educada, magra, jovem, inteligente ou rica o suficiente. Existe uma pressão estética para que ela se encaixe em algum padrão, ou que aja de acordo com alguma etiqueta social vinda diretamente do século 18.

Acredite: você pode tudo! Você é capaz de realizar o que quiser, seus sonhos importam. E você precisa apenas se convencer disso, e mais ninguém.

 

publicidade

2. Eu preciso fazer os outros felizes, então eu não serei rejeitada.

A necessidade de querer agradar a todos o tempo todo é real. E a pressão de viver um relacionamento onde você precisa se anular para fazer o outro feliz também é. E isso também envolve relacionamentos familiares, de trabalho e entre amigos.
A única pessoa que você deve fazer feliz é você mesma.

 

3. Eu tenho que ganhar a aprovação de outras pessoas para me sentir bem comigo mesmo.

A dependência de validação social é uma pauta muito séria nos dias de hoje e atinge ambos os sexos, mas no Universo feminino ela existe há muito tempo.

Nos primeiros estágios da vida, precisamos de aprovações externas das pessoas mais próximas. Se uma pessoa não recebe esta aprovação, é provável que isso traga problemas de autoestima na vida adulta.

E a criação das filhas mulheres na maioria das vezes é pautada em agradar as outras pessoas, e não elas mesmas! Já na infância esta necessidade é alimentada pelas pessoas ao seu redor. Mas esta busca pela aprovação a todo e qualquer custo é uma ideia completamente equivocada.

Ninguém conseguirá agradar a todos. Cada um tem seus próprios valores, critérios e opiniões pessoas, e nem sempre eles serão iguais aos seus. Não são melhores e nem piores, são apenas diferentes. E está tudo bem.

 

4. Se eu deixar as pessoas realmente me conhecerem, elas não vão gostar de mim.

Reprodução/ Internet

 

Este pensamento pode ser um aditivo ao segundo item desta lista. O pensamento de que as mulheres precisam fazer os outros felizes e deixar sua própria personalidade de lado para agradar outra pessoa é constante na vida de muitas devido à nossa construção social.

Mas se você não deixar com que as pessoas te conheçam, elas não vão gostar de você. Afinal de contas, não será você. Portanto não tenha medo de deixar as pessoas conhecerem seu verdadeiro eu!

 

5. Eu tenho que ficar no relacionamento, porque eu não consigo me virar sozinha.

Mesmo no século XXI, as mulheres independentes e livres, que não se prendem a relacionamentos vazios ou inconsistentes são extremamente julgadas e isso se torna um dos vários motivos relacionados à construção social que levam este item a ser um dos mais presentes na vida de várias mulheres no mundo todo.

 

6. Eu preciso fazer mais e mais para ser digna.

Quem nunca sofreu aquela preocupação de sempre ter que fazer mais, assumir mais responsabilidades, ter emprego, cuidar dos filhos, ser uma boa esposa, cuidar da casa sozinha e ainda ter tempo de se produzir?

Você não precisa dar conta de tudo o tempo todo. Está tudo bem deixar uma tarefa para amanhã, está tudo bem tomar um banho mais demorado pra relaxar, está tudo bem falar não.

 

7. Eu não devo colocar minhas necessidades antes dos outros/ Se eu seguir meus próprios interesses, meus relacionamentos não vão dar certo.

A sociedade entende que uma pessoa que coloca suas necessidades antes dos outros teoricamente é egoísta, mas isso é apenas moralidade.

Um ótimo exemplo para ilustrar essa situação o seguinte: Durante um voo você já deve ter ouvido esta frase: “Passageiros viajando com alguém que necessite de ajuda deverão colocar suas máscaras de oxigênio primeiro para, em seguida, auxiliá-los”. E essa medida de segurança é importante porque se você não conseguir respirar, você não vai conseguir ajudar ninguém.

Isso serve para levar para a vida. Você é sua maior prioridade.

 

8. Se eu falar o que penso, eu vou ser rejeitada.

Por muito tempo, e infelizmente até os dias de hoje, a sociedade parece temer mulheres que expõe suas opiniões, fazendo com que elas pareçam loucas.

Crescemos convivendo com discursos antigos e antiquados, que ainda ecoam quando uma mulher ousa questionar, ou não concordar com determinado assunto. Tudo isso com a finalidade de inferiorizar o sexo feminino.

Mas nós temos voz, você tem voz. E não precisamos ter medo de expressar nossas ideias com medo da rejeição.

 

9. Eu nunca vou fazer dinheiro suficiente.

Mesmo que tenham o “direito de trabalhar”, ainda hoje, os salários dos homens que assumem o mesmo cargo que mulheres são maiores. Se eles exercem as mesmas funções e tem a mesma responsabilidade e desempenho, eles não deveriam ser iguais?

Este fator, e/ou a dependência financeira fazem com que várias mulheres tenham a crença limitante de que nunca vão ter dinheiro suficiente.

 

10. Eu não posso fazer isso/ Eu não consigo fazer isso

 

Reprodução/ Internet

Na história, as mulheres foram apontadas como o “sexo frágil” há muito tempo atrás. Este pensamento de não poder/conseguir fazer alguma coisa acabou sendo resultado desta construção social de incapacidade.

Mas você pode, você consegue! E se você falhar, tudo bem também. Errar faz parte da evolução de todos nós, e aprender com nossos erros é melhor do que não tentar por medo de errar.

Existe uma espécie de medo coletivo ao redor do erro. Mas falhar é tão importante quanto o acerto. Portanto, mantenha em mente que você consegue fazer o que quiser!

 

Como fazer para que estas crenças limitantes sejam eliminadas?

Estas crenças majoritariamente não serão culpa sua, visto que você absorve muito do ambiente durante sua formação como pessoa.

A desconstrução não acontece do dia pra noite, não é fácil se “libertar” de convicções que te acompanharam por um longo período. Troque a culpa por pensamentos de evolução e crescimento, porque tudo é parte de um processo.

Unsplash

Procure ajuda, saiba pedir ajuda! É muito importante poder ter um lugar seguro para falar sobre as alegrias, mas também as dores da vida.

Fonte: O Segredo