in

10 incríveis mulheres da filosofia que você talvez ainda não conheça

Seu trabalho inovador, Modern Moral Philosophy, influenciou extensivamente o trabalho ético moderno; foi aqui que ela inventou a palavra consequencialismo.

Ela também debateu muitos pensadores famosos, incluindo Phillipa Foot e foi uma notável manifestante, protestando contra Harry Truman e as clínicas locais de aborto.

“Aqueles que tentam abrir espaço para o sexo como mero prazer casual pagam a penalidade: eles se tornam superficiais”.

6. Mary Wollstonecraft (1759-1797)

As maiores mulheres da filosofia

Filósofa inglesa e escritora popular, foi autora de Uma Reivindicação dos Direitos dos Homens, uma defesa da Revolução Francesa contra Burke; e Uma Reivindicação dos Direitos da Mulher, uma resposta para aqueles que argumentaram contra a educação das mulheres.

Ela foi, de certa forma, a primeira filósofa feminista.

Ela também escreveu vários romances, guias de viagem e um livro infantil. Ela morreu de complicações no parto aos 38 anos. Este nascimento nos deu sua filha, que também era uma escritora notável: Mary Shelly, autora de Frankenstein.

“A virtude só pode florescer entre iguais.”

7. Anne Dufourmantelle (1964-2017)

As maiores mulheres da filosofia

Filósofa e psicanalista francesa, sua filosofia baseava-se na tomada de risco. Particularmente, a noção de que para experimentar verdadeiramente a vida, devemos assumir riscos, muitas vezes consideráveis.

Ela discutiu a noção de “segurança”, que desaprova o risco, deixando um vazio em nossa existência. Ela foi autora de 30 livros, tem muitas palestras interessantes e morreu enquanto vivia plenamente.

“Quando há realmente um perigo a ser enfrentado, há um incentivo muito forte à devoção, à superação de si mesmo.”

8. Harriet Taylor Mill (1807-1858)

As maiores mulheres da filosofia

Esposa de John Stuart Mill, Harriet Mill era uma filósofa por direito próprio. Apesar de publicar poucos trabalhos durante sua vida, sua influência no trabalho do marido é inegável.

Seu ensaio The Enfranchisement of Women é um precursor do trabalho posterior de Mill, A Sujeição das Mulheres, e faz muitos dos mesmos pontos.

Thank you for reading!

Awebic

Publicado por Awebic

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pessoas com depressão se expressam de forma diferente (saiba identificar)

Resiliência é a nova felicidade: antes de ser feliz você precisa ser forte