Que fofinho! Depois de sumir, cadela volta para casa trazendo um irmão gêmeo

Uma surpresa inusitada!

Que fofinho! Depois de sumir, cadela volta para casa trazendo um irmão gêmeo
Que fofinho! Depois de sumir, cadela volta para casa trazendo um irmão gêmeo

Um dos maiores medos de pais e mães de pet, com certeza, é que o animal fuja de casa. E foi exatamente isso o que aconteceu com Cisquinha, cachorra mineira da fisioterapeuta Glauciene Borrett. Mas o desfecho desse desaparecimento foi muito fofo – e com uma surpresa a mais!

Com uma pelagem bem característica (preta com várias manchas marrons), Cisquinha fugiu da sua casa em Cuparaque, no Rio Doce de Minas Gerais, e voltou com um irmão gêmeo. O episódio inusitado movimento a pequena cidade de pouco mais de 5 mil habitantes e as redes sociais da tutora do animal.

Segundo Glauciene, a filha de quatro patas percebeu que o portão estava aberto e aproveitou a oportunidade para bater perna – e ainda procurar um novo amigo.

Te interessa?

A moça que me ajuda em casa abriu o portão pra lavar lá fora e ela saiu… como um peixe ensaboado. Impossível pegar. A Érica me ligou desesperada porque ela sabe o quanto amo meus filhos. Como eu estava no meio de um atendimento, pedi ao meu irmão (que trabalha comigo) pra ir correndo atrás dela. Ele pegou o carro e foi”, afirmou.

Em postagem em sua rede social, a fisioterapeuta aproveitou para compartilhar um antes da fama e um depois da fama da doguinha. “Um antes e depois da Cisquinha, que agora tá famosinha.

No post, uma das seguidoras pediu mais detalhes do irmão gêmeo da cachorrinha, ao que Glauciene respondeu: “pior que agora ele aprendeu o caminho daqui de casa kkkk o dono dele o solta e ele fica aqui no meu portão chamando a irmã. Vc crê?”. O teste genético para confirmar o parentesco não foi feito, mas o suposto irmão biológico perdido de Cisquinha agora sabe o caminho da casa e fica no portão esperando a amiga para brincar.

Cuidados redobrados para pets fujões

Mãe de outros três cachorros (Killa, Dori, Sonso e Darth Vader), a fisioterapeuta que saiu de São Paulo para morar na pequena cidade de Minas tinha como meta não adotar mais nenhum pet. Porém, quem resiste a um cachorro filhote, não é mesmo?

Sempre alegre, Cisquinha foi resgatada no dia 26 de agosto de 2021, pesando exatos 389 g, menos que um saco de arroz. “Seria desumano deixar essa Cisquinha na rua. Pegamos né…Só que ela é levada demais. Bagunceira ao infinito”, relembra com ternura.

O final feliz da cachorra mineira nem sempre é o desfecho que os tutores de pet fujões conseguem. E, para isso, é preciso estar sempre atento à segurança dos animais.

A castração de machos e fêmeas ajuda a deixar os animais mais caseiros, pois assim, eles não saem em busca de parceiros para namorar e ter filhotinhos. Cuidado com barulhos altos também é uma das advertências que especialistas costumam frisar quando se trata de fuga de animais.

Épocas de comemorações são propícias para cachorros fugirem de casa, pois a quantidade excessiva de ruídos (em especial fogos de artifícios) assusta a audição delicada desses animais, que, acabam escapando e se machucando.

Então, esteja sempre atento aos portões e qualquer outro meio que possibilite a fuga dos pets. Evite objetos que facilitem a escalada dos animais até à rua, como caixas, vasos, cadeiras, escadas e qualquer outros itens semelhantes.

E o seu pet? Já deu aquela escapadinha e voltou com uma surpresa para casa?

Fonte: Itatiaia

O que você achou? Siga @awebic no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar