Estudo clínico descobre que sua dieta pode ajudar na depressão

Essa pesquisa pioneira pode te ajudar a sair da depressão!

publicidade

Uma pesquisa pioneira do Land Down Under pode te ajudar a lidar com a depressão.

Felice Jacka, PhD, é uma pesquisadora pioneira da Deakin University, na Austrália, que está chamando a atenção do mundo para o poderoso impacto da alimentação no humor.

Em 30 de janeiro de 2017, a revista BMC Medicine publicou seu novo estudo controlado randomizado chamado The SMILES Trial.

publicidade

Esta pesquisa inovadora demonstra pela primeira vez que as pessoas com depressão moderada a grave podem melhorar seu humor comendo uma dieta mais saudável.

Você pode se surpreender ao ouvir que esse tipo de estudo nunca tinha sido feito antes, provavelmente porque leu manchetes no passado dizendo que dietas mais saudáveis diminuem o risco de depressão.

A professora Jacka e sua equipe agradecem por muitas dessas manchetes esperançosas.

publicidade

Nos últimos sete anos, ela publicou vários estudos epidemiológicos (baseados em pesquisas) sugerindo que as pessoas que relatam comer uma dieta pouco saudável têm maior probabilidade de ficar deprimidas.

No entanto, como esses estudos foram baseados em questionários e não foram realizados experimentos com dietas de fato, eles não tinham o poder de demonstrar que dietas não saudáveis poderiam piorar os sintomas de depressão e não mostravam que dietas saudáveis poderiam ser usadas para ajudar a TRATAR a depressão.

Estes eram apenas palpites que ainda não tinham sido testados no mundo real. Até agora.

A professora Jacka corajosamente foi onde ninguém tinha ido antes: ela testou suas teorias em pessoas reais com depressão clínica…e saiu vitoriosa.

publicidade

O Estudo

A equipe da professora Jacka recrutou 67 homens e mulheres com depressão moderada a grave, que relataram uma dieta relativamente não saudável.

A maioria estava tomando antidepressivos e/ou estava em psicoterapia regular.

Eles colocaram metade dessas pessoas deprimidas em uma dieta mediterrânea modificada (também conhecida como dieta “ModiMed”) e exigiram que elas participassem de sessões de apoio alimentar com um nutricionista.

A outra metade continuou comendo a sua dieta não saudável habitual, mas foram obrigados a participar de sessões de apoio social “para fazer amizade”.

Antes e depois do estudo de 12 semanas, os sintomas de depressão de todos foram classificados usando vários testes diferentes.

O teste que este grupo de pesquisa escolheu para focar foi a escala MADRS (Escala de Avaliação de Depressão Montgomery – Åsberg), que classifica o humor em uma escala de 0 a 60, com 60 sendo o mais severamente deprimido.

Dieta contra depressão

Fonte: Adaptado de Jacka FN et al 2017.

Após 12 semanas, as pessoas do grupo de dieta ModiMed viram suas pontuações do MADRS melhorarem em média cerca de 11 pontos.

Trinta e dois por cento (10 de 31 participantes) tiveram pontos MADRS tão baixos que não preenchiam mais os critérios para depressão – remissão!

As pessoas do grupo de dieta não saudável melhoraram apenas cerca de 4 pontos no teste MADRS e apenas 8% (2 de 25 participantes) atingiram a remissão.

Mais detalhes felizes

As calorias não eram restritas e o peso corporal permanecia o mesmo para todos no estudo, por isso as pessoas não precisavam perder peso para se sentirem melhor.

Surpreendentemente, a dieta ModiMed custou cerca de 19% menos que a dieta padrão não saudável.

O plano de dieta aparentemente era mais fácil de manter do que o plano de apoio social, uma vez que mais pessoas no grupo de dieta (31 de 33) chegaram até o final do estudo, em comparação com apenas 25 de 34 pessoas no grupo de suporte.

O que é a dieta ModiMed?

Dieta contra depressão

Fonte: Suzi Smith

Alimentos incentivados: grãos integrais, frutas, verduras, legumes, laticínios com baixo teor de gordura/sem açúcar, nozes cruas sem sal, carne vermelha magra, frango, peixe, ovos e azeite de oliva.

Alimentos não incentivados: doces, cereais refinados, frituras, fast food, carne processada.

Bebidas: no máximo duas bebidas açucaradas por semana e no máximo duas bebidas alcoólicas por dia, de preferência vinho tinto.

Então, o que a dieta ModiMed tem de tão especial?

Bem, ESTA é a pergunta de US$ 64.000, e a resposta é? Nós não sabemos.

Pode ser que essa dieta tenha sido maior em algum ingrediente potencialmente mágico, como azeite de oliva ou nozes.

Pode ser que essa dieta tenha sido menor em algum ingrediente potencialmente ruim, como carnes processadas ou carboidratos refinados.

Pode ser as duas coisas.

Minha opinião, baseada em tudo o que sei sobre comida e cérebro, é que essa dieta é melhor que a dieta média porque:

  1. É extremamente pobre em carboidratos refinados (açúcar, farinha, cereais refinados, etc). Esses não-alimentos colocam seu açúcar do sangue, insulina, hormônios e neurotransmissores em uma perigosa montanha-russa invisível. Isso desestabiliza o humor e aumenta o risco de resistência à insulina, o que causa danos ao cérebro ao longo do tempo.
  2. Ela contém muita gordura natural e colesterol, que o cérebro precisa para funcionar adequadamente [na minha opinião, a dieta ModiMed limita desnecessariamente as gorduras animais saturadas].
  3. É baixa em óleos processados a partir de sementes, como algodão, cártamo e milho. Estes óleos industrialmente refinados são muito ricos em ácidos graxos ômega-6 (link externo), que levam o cérebro à inflamação e para longe da cura.
  4. Ele contém fontes animais de proteína, que são ricas em nutrientes essenciais do cérebro (link externo), como ferro, zinco e vitamina B12. Carne, frutos do mar e aves são livres de antinutrientes, que interferem na absorção de proteínas e minerais.
  5. Baseia-se principalmente em alimentos integrais, os quais os seres humanos estão bem adaptados para comer.

Esperança real para o mundo real

Eu amo este estudo, porque prova que o cérebro humano se importa profundamente com o que comemos.

Não me entenda mal – eu prescrevo medicamentos todos os dias e os vejo fazendo maravilhas.

Mas, claramente, a maneira mais poderosa de mudar fundamentalmente a química do cérebro é através da comida, porque é daí que vêm os produtos químicos do cérebro!

Eu acredito que uma dieta saudável pode, em muitos casos, reduzir ou eliminar a necessidade de medicamentos prescritos.

Com exceção das situações de crise e barreiras especiais à mudança na dieta, por que não começar melhorando a qualidade de sua dieta? O que você tem a perder?

Dietas saudáveis não têm custo adicional, nenhum efeito colateral e são boas para todo o corpo, não apenas para o cérebro.

Eu sei que mudanças de estilo de vida não são fáceis e são particularmente difíceis se você está deprimido.

Para aqueles meus pacientes que estão tão deprimidos que não conseguem tentar mudar a dieta, recomendo primeiro começar com medicação, terapia e outras intervenções, até eles começarem a se sentir melhor e depois começar a trabalhar em seus objetivos nutricionais.

Para vocês que tentaram uma dieta mediterrânea sem sucesso, ainda há uma tremenda esperança. Há outras mudanças saudáveis que valem a pena tentar – minhas duas recomendações favoritas são:

1. Diminuir a ingestão total de carboidratos, especialmente se você tiver resistência à insulina.
2. Remover grãos e leguminosas, que interferem na absorção de nutrientes essenciais que o cérebro precisa para funcionar adequadamente, como ferro e zinco.

Para vocês que comem uma dieta pobre em gordura, vegana, vegetariana, low-carb ou Paleo, este estudo não pode dizer se a dieta ModiMed é melhor para a depressão do que a sua dieta.

Eu, pessoalmente, como e defendo uma dieta de alimentos integrais pré-agrícolas (sem grãos, legumes, laticínios ou alimentos processados) e acredito que ela deve ter um desempenho ainda melhor do que a dieta ModiMed.

No entanto, até que tenhamos estudos que comparam diferentes dietas entre si, a única maneira de você saber qual dieta funciona melhor para o seu humor é experimentá-las você mesmo.

Dê uma mordida na sua depressão!

O resumo é o seguinte: a dieta ModiMed é claramente superior a uma dieta padrão carregada com fast food, alimentos processados e carboidratos refinados.

Também é acessível e gerenciável no mundo real!

Para vocês que não se importam em experimentar a dieta ModiMed, existem muitas evidências incriminando os carboidratos refinados e alimentos produzidos industrialmente que formam a base da dieta americana.

Assim, independentemente do que está DENTRO de sua dieta favorita, certifique-se de TIRAR o lixo.

Seu cérebro, seu metabolismo e todo o seu corpo serão mais felizes e saudáveis.

Este artigo é uma tradução do Awebic do texto originalmente publicado em Psychology Today escrito por Georgia Ede.

Por um mundo com menos depressão, compartilhe!