Esse cachorro encontrou quase R$ 4 mil e devolveu o dinheiro de ao dono, acredita?

Esse cachorro encontrou quase R$ 4 mil e ‘devolveu’ o dinheiro de ao dono, acredita?

Honestidade é tudo!

publicidade

Muito se fala sobre o amor e a honestidade canina. Diferente das pessoas, os animais não conseguem esconder sentimentos e tendem a sempre estarem totalmente entregues aos seus donos. No entanto, um caso recente sobre a honestidade de um cão foi mais além.

Um cãozinho de rua em Londrina, no Paraná, achou uma carteira recheada com quase R$ 4 mil na última sexta (4), ele entregou o objeto para uma conhecida, que por sua vez devolveu o dinheiro.

O animal é conhecido na região como Marrom, e estava andando com a carteira na boca. Patrícia, que é funcionária de um pet shop nas proximidades tinha ido ao mercado e percebeu o cão com algo.

publicidade

Agachei e ele colocou a carteira na minha mão. A hora que eu abri, fechei de novo. Eu não acreditei. Abri de novo e falei: ‘meu Deus do céu’. Tinha R$ 3.980”, conta.

Patrícia pegou a carteira e procurou pelos documentos, ela percebeu que o dono era um açougueiro do mercado onde ela havia ido, onde aliás, o cão costumava ficar.

Minha intenção era comprar uma motinha. Fui no banco e peguei o dinheiro”, contou Joaquim Arantes.

publicidade

Ele conta que estava muito aflito, havia procurado no carro, nos lugares onde passou e chegou a até mesmo perguntar pessoas.

Vim trabalhar desanimado da vida”, conta.

Patrícia conta que não conseguia imaginar a quantidade de dinheiro que estava dentro da carteira

É obra de Deus. E o cachorro, não tem nem o que falar dele”.

Muitas vezes podemos confiar mais nos animais do que nos seres humanos, a atitude de Marrom foi muito bonita, assim como a da mulher. Mesmo agindo com inocência, o cãozinho fez a coisa certa.

publicidade

Já sabemos que os cães são criaturas maravilhosas e extremamente fieis aos seus donos, no entanto, há algumas coisas sobre esses bichinhos que você provavelmente não sabe:

Calculamos a idade deles errado

A média de vida dos cães é de 12 anos, e a média de vida dos humanos é de 70, mais ou menos. Com base nisso temos a tendência de multiplicar a idade do animal por 7, para assim termos sua ‘idade real’.

Entretanto com pesquisas recentes, ficou comprovado que esse método de cálculo é errado, isso porque o metabolismo dos animais envelhece de forma diferente.

Por exemplo, os labradores envelhecem super rápido no início da vida, chegando a ter 30 anos com o tempo de um ano humano. Acontece que em determinada época, eles passam a envelhecer mais devagar, então por mais que os anos passem, eles não envelhecem tanto quanto no início da vida.

Eles nos entendem!

Os cães também conseguem nos entender, no entanto não da maneira complexa como imaginamos. Os cérebros dos bichinhos trabalham para entender a entonação das palavras, e não em seu significado.

Por exemplo, falando em tom de elogio com os cães (bom garoto, bonito, parabéns), eles entendem que estamos felizes, e principalmente, felizes com eles.

Por outro lado, quando falamos em tom mais ríspido (não!, sai!, não pode!), eles entendem que estamos bravos.

Via: G1