O meu essencial não é tendência do ano nem vem da grife do momento

E o SEU essencial?

publicidade

A gente nasce morrendo um pouquinho a cada dia.

Quando somos novos a ciência defende a ideia que estamos em plena transformação, amadurecemos, temos um ápice e só depois de um certo tempo biológico vem a crença que estamos envelhecendo.

Mas quem define o cedo, o ápice, ou o tarde em nossas vidas?

publicidade

essencial vida

Tenho visto muita gente preocupada em viver bem cuidando do corpo. Evitar o máximo possível o envelhecimento é a meta. Na maior parte do tempo seguem receitas prontas: trabalho, academia, balada, relacionamento e sucesso – em tudo.

Mas quem gerencia isso tudo dentro da gente?!? Quem define o que é a prioridade, o importante, o descartável e o essencial?!?

publicidade

Sem perceber entregamos esses valores na mão do coletivo.

Seguimos a maioria e com isso temos a impressão que somos aceitos no grupo, numa sociedade que é formada por indivíduos que correm o tempo todo atrás daquilo que não sabem bem o que é, a cor, a forma ou a essência.

A gente se entorpece com exercícios físicos, com ocupações, com bebidas e alguns prazeres na clara intenção de viver o máximo possível antes que nosso relógio pare.

Ouvimos conselhos nessa era digital – ou da informação – das mais diversas fontes.

publicidade

É tanto coach, guru e especialista que surge a cada momento, que fica difícil acompanhar todos eles sem nos perdermos de nós mesmos. Alguns com soluções práticas de autoajuda, outros com especialidade em relacionamentos, alguns com mantras espetaculares.

Tio Google orienta muita gente.

A grande realidade é que você fecha os olhos e ao abri-los um tempo depois tudo pode ter mudado. Não vejo problema na vida intensa. Mas me preocupa quando o essencial é deixado de lado ou substituído pelo passageiro, pela sensação momentânea, pelo que não encontra um link com a alma.

Quer uma dica para encontrar o essencial?!? Volta tua memória para o momento mais difícil da sua vida e relembra o que te trazia paz.

O meu essencial não é tendência do ano, não é a cor da moda, não vem da grife do momento.

Levou tempo, mas percebi que o meu essencial não tinha relação nenhuma com o meu poder de compra ou minha situação financeira. O meu essencial no Céu tem um Nome acima de todos os nomes.

O meu essencial na terra são os laços que não se apertam como nós e não se desfazem pela distância que a vida impõe.

Um feliz 2018 com o essencial!

***

Texto escrito pelo leitor Alexandre Barreto para a Comunidade Awebic.