Ensinar ESTE hábito para crianças autistas trará novas habilidades
Ensinar ESTE hábito para crianças autistas trará novas habilidades

Ensinar ESTE hábito para crianças autistas trará novas habilidades

Com amor, os avanços serão sempre maiores!

publicidade

Crianças e adolescentes com transtorno do espectro do autismo geralmente gostam de rotinas e rituais e não gostam de mudanças.

Muitas crianças autistas vivem em um mundo de caos. Essas crianças têm dificuldade em entender os movimentos, sons e ações do dia a dia.

Por isso, podem achar mudanças de rotina particularmente estressantes. Isso acaba impactando todas as suas habilidades em geral.

publicidade

Por que a rotina é tão importante para os autistas?

Um dos principais critérios de diagnóstico para transtorno do espectro do autismo é que o indivíduo apresenta padrões de comportamento, interesses ou atividades restritos e repetitivos.

Essas crianças se dedicam a detalhes minuciosos, como a organização de brinquedos, talheres ou toalhas de banho em uma determinada ordem.

É algo que pode ser caracterizado como obsessivo-compulsivo.

O problema é que não vivemos em uma sociedade que acomoda ou mesmo aceita aqueles que não são tidos como “normais”.

publicidade

Qualquer desvio de qualquer um desses detalhes que são importantes para uma criança autista pode resultar em enorme ansiedade e acessos de raiva.

A rotina cria ordem em suas vidas. Os pesquisadores estão investigando se há ou não uma base neurobiológica para essa insistência na rotina.

Entretanto, atualmente há pouco ou nenhum entendimento dos mecanismos que estão por trás do sintoma.

Planejando mudanças na rotina

Não é uma tarefa fácil, mas você pode ensinar uma criança autista a aceitar melhor as alterações nos rituais diários.

publicidade

Planejar com antecedência as transições e mudanças vai ajudá-los a trabalhar melhor a ansiedade. Se possível, tente avisar a criança sobre o que vai acontecer.

Porém, apenas contar verbalmente pode nem sempre funcionar. Estima-se que cerca de um terço das pessoas no espectro do autismo não conseguem falar.

Ainda assim, seria um erro presumir que essas pessoas não têm ideias, opiniões e outras coisas a dizer.

Algumas crianças autistas aprendem a linguagem de sinais para se comunicar, enquanto outras digitam ou usam outras ferramentas. Então, você vai precisar usar estratégias visuais para ajudar a criança a entender.

Aprenda a antecipar a ansiedade da criança autista

Mudanças inesperadas são as mais traumáticas. Comunicar a mudança antes que aconteça ajuda o indivíduo autista a se preparar para lidar com ela com mais facilidade.

Multidões, ruídos altos e luzes brilhantes ou piscantes podem muitas vezes levar a uma ansiedade extrema ou um colapso total da criança.

Comunique previamente ocasiões como ir a uma festa ou ir a uma consulta com o médico ou dentista. Nem todos os pacientes autistas reagem da mesma maneira.

Autistas de alto funcionamento, se confrontados com uma pequena mudança em sua rotina diária ou situação de vida, podem se sentir desconfortáveis, mas têm autocontrole suficiente para não mostrar sinais externos.

Já uma criança autista com baixo funcionamento e cuja família está se mudando para uma nova casa pode ter um colapso total.

O método ABA

A terapia ABA (sigla para Applied Behavior Analysis) provou ser um tratamento eficaz tanto para quebrar a resistência às mudanças quanto para construir rotinas que reforcem comportamentos positivos dos autistas.

Essa é uma das terapias mais populares para ajudar esses pacientes a lidar com transições.

É um tipo de terapia que pode melhorar por meio do reforço positivo:

  • Habilidades sociais,
  • Comunicação,
  • Aprendizagem.

Como funciona a terapia ABA?

Primeiro, você precisará buscar um terapeuta treinado em ABA. A consulta inicial é chamada de avaliação do comportamento funcional (FBA).

O terapeuta irá perguntar sobre os pontos fortes e habilidades da criança, bem como as coisas que a desafiam.

Ele identifica um comportamento objetivo. Cada vez que a criança usa o comportamento ou habilidade com sucesso, ela recebe uma recompensa.

Recompensas positivas encorajam a pessoa autista a continuar usando a habilidade. Com o tempo, isso leva a uma mudança significativa do comportamento global.

Qual o objetivo da terapia ABA?

O objetivo de qualquer programa ABA é ajudar cada criança a desenvolver habilidades que a ajudem a se tornar mais independente e bem-sucedida no curto prazo, bem como no futuro.

Os objetivos do tratamento são determinados pelo terapeuta com base na idade e no nível de habilidade da pessoa com autismo.

As metas podem incluir muitas áreas de habilidades diferentes, como:

  • comunicação e linguagem;
  • habilidades sociais;
  • autocuidado (como tomar banho e ir ao banheiro);
  • jogos e lazer  (habilidades motoras);
  • aprendizagem (habilidades acadêmicas).

Como reage a criança autista à terapia ABA?

Essa terapia, dependendo das necessidades específicas de cada criança, frequentemente resulta em pacientes:

  • mostrando mais interesse nas pessoas ao seu redor;
  • comunicando-se com outras pessoas de maneira mais eficaz;
  • aprendendo a pedir as coisas que desejam (um determinado brinquedo ou comida, por exemplo), de forma clara e específica;
  • tendo mais foco na escola;
  • reduzindo ou interrompendo comportamentos de automutilação;
  • tendo menos acessos de raiva ou outras explosões.

Lembre-se de que não é proposital

Nenhuma criança no espectro do autismo está tentando se comportar mal quando experimenta um colapso.

A biologia do autismo é complicada e extensa, e grande parte dela nem pode ser testada clinicamente.

As crianças no espectro do autismo não absorvem bem os nutrientes. Isso prejudica o sistema imunológico e os intestinos, o que leva a problemas no cérebro.

Como o cérebro e o corpo de uma criança autista nem sempre funcionam em harmonia, eles precisam expressar sua dor e frustração na forma de explosões emocionais.

Esses momentos ocorrem porque as crianças no espectro do autismo muitas vezes se sentem oprimidas pelo ambiente.

Recorra a pequenas estratégias

Por exemplo, se seu filho autista insiste em tomar o café da manhã primeiro e depois se vestir, mas você quer que ele se vista antes do café da manhã…

Você pode começar apenas colocando as meias nele e permitindo que ele tome o café da manhã.

Quando ele estiver confortável com isso, você pode tentar colocar as meias e as calças antes do café e assim por diante.

Elogie e recompense a criança quando ela for capaz de ser flexível e lidar com essas mudanças.

Lembre-se de que você deve ser inclusivo

Embora passar o dia com uma criança no espectro do autismo possa trazer alguns desafios adicionais, continue a passar mais tempo com ela.

Ela certamente se sente muito solitária – não desista!