in ,

Dizem que só amamos de verdade 3 vezes na vida. Será?

Texto original escrito por Kate Rose em elephantjournal.com. Tradução por Lilian Silva.

Alguém disse que nós realmente nos apaixonamos por apenas três pessoas durante a vida toda.

E ainda existe a crença de que precisamos de cada um destes amores por uma razão diferente.

Frequentemente, o primeiro amor acontece quando somos jovens, ali pela época do ensino médio.

É o amor idealizado – aquele que parece com os contos de fadas de nossa infância.

Este é o amor que apela para o que deveríamos fazer de acordo com as exigências da sociedade – e provavelmente de nossas famílias.

Entramos nele com a crença de que este será nosso único amor e não importa se não parece ser exatamente certo, ou se nos pegamos tendo que engolir nossas verdades pessoais para fazer esse amor funcionar, porque lá no fundo acreditamos que é assim que o amor deve ser.

Neste tipo de amor, a opinião dos outros é mais importante do que o modo como realmente nos sentimos.

É um amor que parece ser o certo.

O segundo amor é provavelmente o amor difícil  – aquele que nos ensina lições sobre quem somos e como precisamos ou queremos frequentemente ser amados.

Este é o amor que fere, seja através das mentiras, da dor ou da manipulação.

Pensamos que estamos fazendo escolhas diferentes da primeira vez, mas na verdade estamos fazendo ainda escolhas baseadas na necessidade de aprender lições – mas nós não nos desapegamos.

Nosso segundo amor pode se tornar um ciclo, frequentemente um amor que repetimos porque pensamos que de alguma maneira, irá acabar de maneira diferente da de antes.


Recomendamos para você:

Lilian Silva

Written by Lilian Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 tradições cariocas que todos deveriam conhecer

Neurologista afirma que desorganização atrapalha o cérebro e causa estresse