in

Casal americano adota 4 crianças brasileiras e muda pra sempre suas vidas

O ato de adotar uma criança tem o potencial de mudar vidas.

No Brasil, mais de 8 mil crianças e jovens aguardam na fila para serem acolhidas por uma família.

Quatro irmãos foram parar em um orfanato na Região Metropolitana do Recife, em Pernambuco, pois eles eram muito mal tratados pelos pais.

Com idades entre um e seis anos, viviam em condições precárias no local e não tinham qualquer esperança de um futuro melhor.

Mas algo muito bom estava por vir na vida deles…

Casal americano adota 4 órfãos brasileiros (1)

O casal americano Brandon e Jennifer Pratt, estava a procura de filhos adotivos quando viram uma foto dos quatro irmãos.

No mesmo instante perceberam que aqueles meninos que ninguém queria adotar tinham que ser de sua família.

Casal americano adota 4 órfãos brasileiros (2)

Eles chegaram ao Brasil em outubro de 2016 e passaram 58 dias com os meninos, enquanto lidavam com a burocracia da adoção.

Depois de uma semana, o casal quase desistiu do processo, já que as crianças ficaram todas doentes e eles nem mesmo conseguiam se comunicar com eles, já que ambos não falam português.

Casal americano adota 4 órfãos brasileiros (3)

Para nós que não temos filhos e de repente aparece quatro crianças doentes e incapazes de nos dizer o que dói e onde dói, por não falarem inglês, foi horrível”, contou Brandon.

Casal americano adota 4 órfãos brasileiros (4)

Contudo, eles não desistiram e as coisas melhoraram quando a irmã de Jennifer e seu marido, um jogador de futebol profissional do Brasil, fizeram companhia a eles por uma semana.

A relação da família foi melhorando e todos começaram a se sentir mais próximos. Por fim, conseguiram levar as crianças para os Estados Unidos, onde morariam juntos.

Hidreley

Written by Hidreley

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como ter as prioridades certas te ajuda a administrar melhor o seu tempo

Rapaz muda opinião sobre colega ‘folgado’ após entender seus motivos