Idosa de 72 anos dá à luz seu primeiro filho na Índia: 'Idade é apenas um número'
Idosa de 72 anos dá à luz seu primeiro filho na Índia: 'Idade é apenas um número'

Idosa de 72 anos dá à luz seu primeiro filho na Índia: ‘Idade é apenas um número’

Mais do que gestar e dar à luz, a indiana pôde também amamentar seu filho.

publicidade

Aos 72 anos de idade, a indiana Daljinder realizou seu grande sonho de juventude: ter um filho biológico.

A mamãe longeva conta que ao longo dos seus mais de 50 anos de casamento, tentou engravidar inúmeras vezes sem sucesso, até finalmente dar à luz uma criança.

Tal feito se tornou particularmente notável por conta da idade: septuagenária, Daljinder se tornou uma das mulheres mais velhas do mundo a gestar um bebê saudável.

publicidade

O casamento da indiana, entre altos e baixos, sempre foi feliz, mas o casal sentia que faltava algo em suas vidas. Desde a década de 60, Daljinder tentava engravidar, mas seu corpo não correspondia da maneira que ela gostaria, ao ponto da idosa acreditar que era infértil.

Sem opções, ela decidiu recorrer à ciência, mais precisamente à fertilização in vitro, técnica de reprodução medicamente assistida que consiste na união do espermatozoide com o ovócito em ambiente laboratorial.

O custo foi alto – 1 milhão de rúpias indianas, o equivalente a R$ 76 mil – mas para Daljinder, valeu a pena cada centavo investido. Afinal de contas, seu sonho não tinha preço e ela pôde realizá-lo após tantos anos de luta.

De início, a idosa foi cética com relação à fertilização artificial, mas com o apoio do marido, seguiu com o combinado até o fim. Da sua persistência nasceu Arman, um lindo menininho.

publicidade

Dinheiro não importa para mim. Queria meu próprio filho a qualquer custo e hoje sou mãe”, afirma. O processo até a gestação requereu inúmeros testes e exames, levando em conta a idade da mamãe. Cada rodada de fertilização in vitro foi feita com extremo cuidado, de modo a não afetar a saúde de Daljinder.

Mais do que gestar e dar à luz Arman, a indiana pôde também amamentar seu filho.

Daljinder relata que concebê-lo foi ‘extremamente desafiador’, mas não se arrepende da decisão de maneira alguma. “Não podemos agradecer a Deus e ao nosso médico o suficiente por nos abençoar com um menino”, disse.

publicidade

De acordo com o casal, o menininho virou uma celebridade na Índia. A mídia asiática tem exaltado a história de luta e persistência do casal, inclusive acompanhando os primeiros passos do bebê.

Para a mamãe idosa, a idade é apenas um número que não serve como limitador dos nossos sonhos. Felicidades à família!

Quem sabe do futuro? Só o tempo dirá o que o futuro reserva para nosso filho. Pretendemos dar a ele o melhor de tudo quando ele crescer”, disse Daljinder.

Saiba mais assistindo ao vídeo abaixo:

Mamães mais velhas são uma realidade cada vez mais comum

A história de Daljinder se junta a uma tendência cada vez maior de mulheres mais velhas (acima de 48 anos) que engravidaram por meio da fertilização in vitro – com óvulos próprios ou doados.

De acordo com a revista Fertility Sterility, uma outra mulher indiana deu à luz uma menina com 69 anos de idade com óvulos doados. Já no Reino Unido, uma britânica de 59 anos concebeu naturalmente um menino em 1997.

Fonte: Shareable