Jovem que estudava em casa ’emprestada’ sem energia tira 980 na redação do Enem

Que orgulho temos!

Jovem que estudava em casa 'emprestada' sem energia tira 980 na redação do Enem
Jovem que estudava em casa 'emprestada' sem energia tira 980 na redação do Enem

Sabe aquele orgulho que você sente que não cabe no peito? Com certeza é o que estamos a sentir com o Matheus, que nos deu um verdadeiro show de inspiração.

Ele é como nós, um sonhador que não desiste! Matheus de Araújo, de 25 anos, estava cursando enfermagem e já estava estagiando na área, quando decidiu abrir mão do “pequeno”.

Sonhando em ser médico, o jovem começou a estudar para garantir uma vaga em uma universidade pública para o curso de medicina, coisa que sabemos – e mais importante, ele sabe -, que é bem concorrido.

Mas as coisas não estavam fáceis para o Matheus estudar. Em casa, o barulho era grande e os seus irmãos acabaram tirando a sua concentração.

Estudando há anos na biblioteca municipal de Feira Nova, cidade onde mora, acabou ficando sem opção para se dedicar quando não pode mais frequentar o local por causa da pandemia, como lembra bem:

“Eu estudava desde 2015 nessa biblioteca. Quando fechou [por causa da pandemia], ficou muito ruim para estudar, porque em casa tem meus irmãos. Com o barulho, era quase impossível. Também tentei estudar na associação do bairro [Viveiros], mas também não consegui, porque fica próximo a um bar”.

Jovem que estudava em casa 'emprestada' sem energia tira 980 na redação do Enem

Foi quando uma amiga chegou lhe dar mais uma opção, só que também não seria muito fácil e precisaria de mais “esforços” do Matheus, já que não tinha energia no local.

Uma amiga chegou a ceder sua casa para que ele pudesse estudar. Sem energia, o jovem mantinha todo um ritual com os seus materiais, para que pudesse se concentrar assim, offline.

eu baixava todo o conteúdo no celular e imprimia os materiais para estudar. Eu estudava todos os dias. De segunda a sexta-feira, estudava de 11h até as 17h e, nos fins de semana, simulava o período do Enem”, lembra.

Jovem que estudava em casa 'emprestada' sem energia tira 980 na redação do Enem

Todo esforço quando colocado em prática, gera resultados

Quem chegou a lhe inspirar com estudos de medicina foi seu irmão mais novo, de 21 anos, que chegou a ter meningite quando bebê e acabou ficando com sequelas até então.

Esclarecendo o sonho, ele conta que: “Para conseguir as coisas para ele, é bem complicado por aqui [no sistema público de saúde de Feira de Santana]. É difícil conseguir uma consulta com neurologista, por exemplo. É uma luta”.

Para conseguir ter dinheiro para o material, Matheus chegou a dar aulas de reforço e trabalhar no contraturno. Era a forma de ter renda para cursinhos e demais materiais.

No final das contas, o desempenho que teve no Enem foi maior do que esperava. De acordo com ele, há possibilidades de ser aprovado no segundo semestre com a sua pontuação. Tem orgulho maior que esse?

Fonte: UOL

publicidade