Mãe de três crianças especiais mostra rotina nas redes sociais e quebra estigmas

Uma verdadeira heroína!

publicidade

Um amor que se multiplica e sempre tem espacinho para mais um, o amor de mãe é aquele tipo de afeto sincero e que é capaz de mover o mundo. Um exemplo desse amor, Natalya Lima é mamãe coruja de três crianças especiais: Gabriela (11 anos), Vitor (8 anos) e Léo (1 ano e 10 meses). Todo esse carinho é compartilhado em um perfil do Instagram com mais de 31 mil seguidores.

Seria mais uma rede social movimentada sobre o dia a dia normal de uma família brasileira, mas não é. Gabriela e Vitor têm microcefalia e paralisia cerebral, e o mais novo está sob investigação. A condição das crianças torna a vida de Natalya diferente da de outras mães, que precisou se adaptar à rotina de cuidados com Gabriela e os meninos.

O amor e o carinho que a paulista de Araras mostra pelos seus filhos é algo inspirador e que emociona os seus seguidores. Em entrevista ao Metrópoles, ela afirmou que não se importa com a opinião dos outros e nem quando dizem que as crianças são “coitadinhas”. Muito pelo contrário, Natalya explica que os três são muito tranquilos e felizes.

publicidade

Te interessa?

Eu vivo cada dia como se fosse o único. Amando e beijando. Eu amo muito eles, amo de todo o coração mesmo. É um presente de Deus na minha vida. Amo ser mãe, amo ser mãe da Gabi, do Vitinho, do Léo, do jeitinho que eles são”, se derrete toda.

Apesar da rotina diferente, a família sempre busca viver cada momento com alegria e brincadeiras. Para conseguir dar conta de três filhos especiais, Natalya conta com uma rede de apoio, que inclui sua mãe, seu pai, o marido e as irmãs.

publicidade

AMOR DE MÃE

Natalya sempre sonhou em ser mãe e a sua primeira gestação foi muito aguardada. Porém, nas 36 semanas de gravidez, ela passou por um problema e precisou ter um parto prematuro.

Assim que completou cinco meses, Gabi foi levada à pediatra, pois a mãe notava alguns comportamentos diferentes na bebê. Após uma série de exames, a pequena foi diagnosticada com microcefalia e paralisia cerebral, que se deram em decorrência de um fator genético.

Três anos depois veio o Vitor, uma criança linda e que apresentava os mesmos sintomas de Gabriela. Então, quando completou dois meses de vida, o médico do menino realizou outros exames e confirmou o quadro do bebê.

publicidade

Já Léo ainda não tem um diagnóstico fechado, mas a experiência com os dois primeiros filhos leva Natalya e a acreditar que o garoto tem algo no desenvolvimento cognitivo, ou que seja até um autismo. “Mas a médica acha que é uma neurose”, enfatiza a mãe.

Apesar das adversidades, a mulher de 32 anos quer levar a maternidade e convivência com as crianças de modo leve. “Se eu parar para ficar questionando o porquê, a gente não vive. Não consegue resposta, fica triste e a tristeza passa para eles. Eu tento ser leve e alegre, porque com certeza eles sentem também. Eles são muito felizes”, finaliza.

publicidade

Como é lindo ver tanto carinho e dedicação, não é mesmo? Histórias como a de Natalya mostram que com leveza e amor, tudo na vida se torna mais fácil e alegre. Por aqui, a gente deseja muitas coisas boas para essa família!

Clique aqui e aperte o botão " Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Fonte: Metrópoles.

O que você achou? Siga @awebic no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar