in

Além da felicidade: a vantagem de se sentir para baixo

“Todo esse processo rico, o pensamento abstrato, o teste e a maneira como um sistema complexo funciona”, diz D’Mello, “é a essência do aprendizado profundo”.

D’Mello agora pesquisa como os alunos aprendem o raciocínio científico. O desconforto emocional da confusão impulsiona a resolução de problemas.

Pesquisadores da área de educação falam sobre “dificuldades desejáveis”, que forçam os alunos a se envolverem com informações sobre materiais e processos de maneira profunda.

O objetivo dos professores, escreve D’Mello, deveria ser encontrar “zonas de confusão ideal”.

Quando a confusão persiste, você fica frustrado – até mesmo irritado. Significativamente, confusão, frustração e raiva produzem uma sobrancelha franzida, o indicador de um objetivo bloqueado.

A frustração o motiva a se esforçar mais, agitar essas engrenagens mentais, lutar para resolver as incongruências.

Se você continuar agitado e não chegar a lugar algum, o tédio se instalará. O tédio o leva a procurar por problemas mais interessantes.

O estado é tão aversivo que as pessoas se dão choques elétricos para evitar passar 15 minutos com seus próprios pensamentos. Se você não tiver uma bateria na mão, pode levar a devaneios ou novos desafios.

Grandes ideias podem surgir.

Tristeza e Sofrimento

Além da felicidade - a vantagem de se sentir para baixo

Em 1995, Jane e Flicka Rodman percorriam a Pacific Crest Trail, do Canadá ao México.

Depois de mais de três mil quilômetros em sua viagem, o jovem casal fez um desvio ao longo de uma estrada para se encontrar com amigos. Um motorista saiu da estrada, matando os dois.

Redação

Written by Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 razões científicas para você começar a meditar hoje mesmo

7 hábitos de monges budistas que podem mudar sua vida para sempre