in

Como superar o estresse apenas vendo a alegria dos outros

Certa noite, quando entrei em uma sala de aula para ministrar meu curso de Ciência do Estresse, encontrei um jornal esperando por mim no púlpito.

Um estudante havia trazido um artigo chamado “Estresse: é contagioso.”

O relatório afirma que o estresse é “tão contagioso quanto qualquer patógeno transportado pelo ar” e comparou sua toxicidade ao fumo passivo.

Como exemplo, a reportagem descreveu um estudo mostrando que os participantes tinham uma resposta fisiológica de estresse empática quando observavam outra pessoa em dificuldade.

Um dos pesquisadores comentou: “Foi surpreendente a facilidade com que o estresse foi transmitido”.

Como alguém que estuda tanto o estresse quanto a empatia, sou questionado sobre essa pesquisa. Isso significa que a empatia é uma suscetibilidade, aumentando o risco de exaustão, depressão ou esgotamento?

Se você é altamente empático, está fadado a se tornar um reservatório para a dor e o sofrimento de outras pessoas?

Uma solução é criar barreiras emocionais mais fortes – vestir uma roupa psicológica de proteção contra o estresse e o sofrimento que você não quer pegar.

Eu vi esta abordagem adotada por muitas pessoas nas profissões de ajuda, incluindo cuidados de saúde, trabalho social e ensino.

Se você está se sentindo igualmente sobrecarregado pela forma como você é afetado pelas emoções dos outros, eu gostaria de oferecer outra possibilidade para preservar o seu bem-estar: duplique sua capacidade de empatia.

Em vez de tentar se tornar imune ao estresse de outras pessoas, aumente sua suscetibilidade para pegar a alegria de outras pessoas.


Recomendamos para você:

Redação

Written by Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entenda como incorporar a resiliência em seu cérebro de forma simples

30 coisas que aprendi em 30 dias consecutivos de meditação