in

O declínio da recreação e o aumento dos transtornos mentais das crianças

As taxas de depressão e ansiedade entre os jovens têm aumentado constantemente nos últimos 50 a 70 anos.

Hoje, pelo menos segundo algumas estimativas, cinco a oito vezes mais estudantes do ensino médio e universitários preenchem os critérios para o diagnóstico de depressão severa e/ou transtorno de ansiedade, como há meio século ou mais.

O aumento desta psicopatologia não é o resultado da alteração dos critérios de diagnósticos; ela se mantém mesmo quando as medidas e os critérios são constantes.

A evidência mais recente para o forte aumento geracional na depressão, ansiedade e outros transtornos mentais dos jovens vem de um estudo recém-divulgado, dirigido por Jean Twenge, da San Diego State University.

Twenge e seus colegas aproveitaram o fato de que o Minnesota Multifasic Personality Inventory (MMPI), um questionário usado para avaliar uma série de transtornos mentais, foi dado a grandes amostras de estudantes universitários nos Estados Unidos desde 1938, e o MMPI-A (a versão usada com adolescentes mais jovens) foi dado a amostras de estudantes do ensino médio desde 1951.

Os resultados são consistentes com outros estudos, usando uma variedade de índices, que também apontam para aumentos dramáticos de ansiedade e depressão – em crianças, adolescentes e adultos jovens – nas últimas cinco ou mais décadas.

Adicionar APP Awebic

Nós podemos pensar na história como um progresso, mas se o progresso é medido pela saúde mental e pela felicidade dos jovens, então estamos andando na contramão desde o início dos anos 50.

A pergunta que eu quero fazer aqui é por quê.

Redação

Written by Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 hábitos diários que pessoas altamente bem-sucedidas têm

Signos do zodíaco revelam: “Eu vou te amar até …”