mulher-sobrevive-ao-cancer-e-decide-comemorar-com-atitude-historica

Mulher sobrevive ao câncer e decide comemorar com ato histórico

Uma verdadeira guerreira!

publicidade

Andrea Mason é uma batalhadora que venceu o câncer, no entanto quando estava inerte em uma cama de hospital ainda em 2017 depois de fazer uma histerectomia total, ela decidiu que precisava cumprir um desafio maluco, tudo pela conscientização sobre endometriose.

Hoje com 39 anos, Andrea já passou por grandes desafios na vida. Ela sofreu com endometriose severa desde que teve sua primeira menstruação, mesmo que a doença só tenha sido diagnosticada no auge de seus 20 anos. Com isso ela também acabou descobrindo um câncer cervical.

Ela decidiu que iria fazer algo a respeito, ajudando na conscientização das doenças e sobre a saúde reprodutiva das mulheres no geral.

publicidade

Com essa ideia, no ano passado, ela nadou no Canal da Mancha, pedalou de Calais a Chamonix, na França, e escalou o topo do Mont Blanc.

Embora tenha concluído o desafio, ela não quis parar por aí, e decidiu fazer algo ainda mais radical.

Créditos na foto

No início desse mês, ela nadou os 38 km de perímetro do Lago Annecy na França, pedalou 330 km ao redor do Mont Blanc (que tem um ganho de 9 mil metros de altura, similar ao Monte Everest) e correu e caminhou a 170 km da Ultra-Trail du Mont Blanc, com outros 10.000 metros de ganho de altura. Detalhe, tudo foi feito em cinco dias.

Acho que adoro me definir desafios malucos, definir grandes objetivos e tentar alcançar e realizar coisas que as pessoas não acham que sejam necessariamente sempre alcançáveis”, contou à BBC.

publicidade

Andrea, que é de Blackpool, pretendia inicialmente fazer um desafio no Reino Unido, nadando e pedalando nos maiores rios e picos da Inglaterra, Escócia e País de Gales.

No entanto ela estava na região do Monte Blanc, na França, e não conseguiu voltar para a Inglaterra antes que as fronteiras se fechassem por causa do coronavírus. E acabou fazendo o ‘Plano B’ de desafio.

Sair para uma corrida / caminhada de 170 km com a distância equivalente a subir e descer o Everest não era algo que eu tivesse gasto tempo suficiente em meus pés ou nas montanhas, então eu estava realmente com muito medo de como meu corpo reagiria”, conta.

Créditos na foto

Ela mal dormiu e comeu durante esses cinco dias, e estava completamente extasiada quando cruzou a linha de chegada na última quarta (9).

Ela passou por fortes dores, cólicas e até alucinações, além de passar boa parte do percurso com náuseas e vomitando.

publicidade

Não digo isso levianamente, mas a primeira coisa que me veio à cabeça é por que estava fazendo isso. Eu me propus a promover a conscientização sobre endometriose e garantir que mulheres e meninas façam o teste de esfregaço cervical”, alertou.

Ela passou por maus bocados e conseguiu cessar o enjoo depois de tomar um chá de gengibre, quando chegava ao fim, Andrea já estava ‘transcendendo’.

Descendo a descida final, acho que tive algum tipo de experiência fora do corpo”, afirma.

Depois de tudo, ela comemorou a batalha vencida de uma maneira bem legal: comendo nada menos que 100 nuggets de frango.

Mesmo conseguindo entrar parra a história com esse louco desafio, Andrea disse que ainda pretende fazer o percurso que era seu ‘Plano A’, no entanto só no ano que vem, claro.

Créditos na foto

Via: BBC