Pesquisadores brasileiros conseguem eliminar o HIV em um paciente

Pesquisadores brasileiros conseguem eliminar o HIV em um paciente

Estamos mais perto!

publicidade

Mesmo sabendo que estamos vivendo em uma época muito delicada por causa do coronavírus, precisamos olhar para vários outros lados. Ainda que tudo esteja sendo regularizado a cada mês que passa, outras boas notícias podem ser dadas com muito vigor, trazendo mais avanços e esperança em outros quesitos.

Nos últimos anos, a Universidade Federal de São Paulo, a UNIFESP, vem trabalhando com várias pesquisas em busca da cura para as pessoas infectadas com o vírus HIV. Nessas últimas semanas, alguns resultados sobre esses estudos acabaram sendo bem mais positivo.

Após várias tentativas, conseguiram com sucesso eliminar o vírus do organismo de um dos pacientes que teve o diagnóstico desde 2012, um brasileiro com 34 anos. De acordo com a universidade, a pesquisa estará sendo mostrada nesta terça-feira dia 7 de julho, na 23.ª Conferência Internacional da Aids.

publicidade

Durante muitos anos, pesquisas como essas estão sendo feitas em larga escala em toda parte do mundo. Sempre com poucos avanços, dessa vez, a Universidade Federal de São Paulo terá algo muito significativo para ser apresentado e estudado com mais vigor ainda, em busca de uma cura definitiva para o vírus.

Contando com este caso em que o vírus foi eliminado do organismo de uma pessoa, já são três pessoas em toda a história, que conseguiram ter o HIV eliminado do seu organismo. Mas assim como falamos mais acima, a partir de agora, o rumo dos estudos serão outros.

cura-do-hiv

Essa pesquisa chegou a iniciar com 30 pessoas dispostas a serem voluntárias, onde todas possuíam uma carga viral indetectável em seu organismo. Todas elas já estavam fazendo seus tratamentos de forma padrão, com o coquetel de fármacos antirretrovirais.

publicidade

Logo em seguida, chegaram a ser divididas em seis grupos distintos para começar com tratamentos diferentes. Sem deixar o coquetel padrão que todos os infectados com HIV começar a tomar para controlá-lo, passaram a receber outras combinações de medicamentos a serem testados.

Com passar do tempo, algumas medicações mais fortes começaram a fazer efeitos positivos e ao invés de ficarem escondidos, conseguindo forçar a detecção do vírus. E com mais e mais pesquisas, outras substâncias fizeram sucesso para potencializar efeitos desses medicamentos.

E não pensa que tudo isso parou por aí! Chegando avançar com as pesquisas, conseguiram desenvolver uma vacina que em palavras mais simples, servia para controlar o desenvolvimento de células infectadas, encontrá-las e destruí-las de uma vez do organismo.

Ainda que o mesmo tratamento tenha sido feito em outros pacientes e o resultado não tenha sido tão positivo quanto, os coordenadores responsáveis pelas pesquisas já garante que esse é um grande avanço para encontrar a cura do HIV.

Ou seja, a partir desses pontos positivos, mesmo não sendo um resultado definitivo, novos estudos serão feitos em cima deste novo avanço. Agora, estamos ainda mais perto!

publicidade

COMENTÁRIOS | Deixe sua opinião!

comments