in ,

A ciência do porque você deve gastar seu dinheiro em experiências e não com coisas

Texto original do Co.Exist. Tradução por Igor Drudi.

A maioria das pessoas está em busca da felicidade.

E há economistas que pensam que a felicidade é o melhor indicador da saúde de uma sociedade.

Sabemos que o dinheiro pode fazer você mais feliz, e apesar de que suas necessidades básicas estejam atendidas, isso não necessariamente faz de você uma pessoa mais feliz.

Assim, uma das maiores questões é como alocar o nosso dinheiro para esse propósito, este que é (para a maioria de nós) um recurso limitado.

Há uma hipótese muito lógica que a maioria das pessoas fazem quando estão gastando seu dinheiro: que, porque um objeto físico vai durar mais tempo, ele vai nos fazer mais felizes por mais tempo do que uma única experiência como um concerto ou suas férias.

De acordo com pesquisas recentes, verifica-se que esta suposição é completamente errada.

“Um dos inimigos da felicidade é a adaptação”, diz Dr. Thomas Gilovich, professor de psicologia na Universidade de Cornell que estuda a questão do dinheiro e felicidade por mais de duas décadas.

“Nós compramos as coisas para nos fazer felizes, e nisso somos bem sucedidos. Mas só por um tempo. Coisas novas são excitantes para nós no início, mas depois nos adaptamos a eles”.

Adicionar APP Awebic

awebic-dinheiro-experiencias-2

Fonte: shutterstock.com.

Então ao invés de comprar o mais recente iPhone ou um novo BMW, Gilovich sugere que você vai ter mais felicidade se gastar dinheiro em experiências como a ida à exposições de arte, fazendo atividades ao ar livre, aprendendo uma nova habilidade ou viajando.

Willian Binder

Written by Willian Binder

Fundador do Awebic. Acredita numa internet mais amigável. ;-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se eu te falasse que você pode aprender qualquer coisa em 20 horas de prática, o que você faria?

Máquinas automáticas vendiam roupas por apenas 2 euros. Veja por que ninguém quis compra-las.