in ,

Cascas de laranja descartadas ajudam a recuperar floresta na Costa Rica

A maioria das pessoas joga as cascas de frutas no lixo. No entanto, esses ecologistas descobriram que elas podem salvar o mundo.

Em 1997, os ecologistas Daniel Janzen e Winnie Hallwachs apresentaram uma ideia fora de série a uma empresa de suco de laranja na Costa Rica.

Se os donos doassem uma terra florestal completamente intocada à Área de Conservação Guanacaste, eles poderiam despejar suas cascas sem qualquer custo.

O lugar onde eles despejariam as cascas de laranja era um pedaço de terra desmatada

Floresta tropical que se desenvolveu devido à cascas de laranja 1

Um ano depois, foram despejadas 12 mil toneladas de cascas de laranja e restos da fruta.

O local ficou intocado e livre de exames por mais de uma década após de ter sido coberto com o “lixo” da empresa de sucos.

Depois de 16 anos, Janzen pediu a um estudante de pós-graduação chamado Timothy Treuer para inspecionar o local e relatar suas descobertas.

Inicialmente, Treuer não encontrou o lugar descrito pelo ecologista. Só depois de uma semana, com as coordenadas exatas do local ele pode encontrá-lo.

Quando percebeu que aquele era o lugar, ele ficou muito surpreso.

Comparar aquele local com a área em volta era como comparar o dia com a noite

Floresta tropical que se desenvolveu devido à cascas de laranja 2

“Era difícil acreditar que a única diferença entre as duas áreas era um monte de cascas de laranja. Eles pareciam ecossistemas completamente diferentes”, conta o estudante.

A vegetação daquele lugar um dia desmatado estava agora incrivelmente espessa

Floresta tropical que se desenvolveu devido à cascas de laranja 3

A fruta descartada fez com que a floresta renascesse


Recomendamos para você:

Redação

Written by Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este vídeo de 48s com 30 beija-flores tomando banho é tudo que você precisa hoje

Homem se casa com a mulher que o impediu de se suicidar na adolescência