PM de UPP viraliza na internet ao cortar cabelos dos moradores do morro

‘Não é só de tiro que o morro vive’.

publicidade

Viver em meio ao clima tenso das comunidades do Rio de Janeiro é algo que choca o restante do país.

Como se não bastasse ter de levar sua rotina diária no fogo cruzado, cada vez que o BOPE (Batalhão de Operações Especiais) inicia uma nova operação, os moradores ainda têm que lidar com o preconceito que paira entre eles mesmos.

Foi isso que aconteceu no final de setembro.

publicidade

Um barbeiro da comunidade do Morro do São Carlos se recusou a atender uma criança com medo de ser alvo de alguma ação de bandidos.

No entanto, o que ninguém esperava é que o soldado Marcus Vinícius da Silva Pavão, de apenas 28 anos, e que exerce sua função em um dos pontos mais perigosos da comunidade, não teve dúvidas: pegou uma máquina e aparou o cabelo do menino.

pm2

Policial por profissão, ser humano por vocação

A ação do policial foi tão inesperada e bem-vinda que logo a fila aumentou: só naquela tarde úmida de início de primavera foram nove cortes para os moradores da comunidade.

publicidade

A tesoura, porém, cortou bem mais que as madeixas das pessoas. Sem que percebessem, a tensão foi amenizada e todos acabaram esquecendo onde estavam, pelo menos por alguns minutos.

pm3

O comandante da UPP do Morro do São Carlos, Major Márcio Rodrigues, foi só elogios ao soldado Marcus Vinícius:

“Isso é a essência do nosso trabalho. Ele teve uma ótima sacada, foi proativo. Dou valor a esse tipo de iniciativa”, declarou em entrevista ao jornal Extra.

As colegas de tropa receberam tratamento VIP

A boa ação do soldado viralizou na internet quando a foto abaixo foi publicada. Nela, Marcus Vinícius, de farda e tudo, faz escova no cabelo de uma colega PM.

publicidade

pm1

Perguntado sobre o momento, o soldado contou: “Foi uns dias após atender a molecada. Aproveitei a hora do almoço e brinquei com elas que era para não dizerem que só faço o cabelo do pessoal da comunidade”.

O soldado cabeleireiro ou o cabeleireiro soldado?

pm4

A profissão de cabeleireiro chegou para o soldado aos 15 anos de idade, quando começou a ajudar a irmã que era dona de um salão.

Marcus Vinícius pegou gosto pela profissão e decidiu especializar-se por mais de uma década. Seu currículo está repleto de cursos na área e passagens por salões conhecidos.

No entanto, buscando pela estabilidade da esposa e dos dois filhos, optou pela polícia militar há quatro anos.

“Tudo o que tenho ganhei trabalhando com beleza. Sou um profissional de cabelo, sim, e também de segurança pública. Se tiver combate, vou para o combate, mas não é só de tiro que o morro vive.

Fonte: extra.globo.com.

Gostou desta história? Ajude-nos a compartilhar histórias que restauram a fé na humanidade, como esta!