Vem cá que eu te conto o porque é tão difícil se libertar de relacionamentos abusivos

Quando escutamos histórias sobre relacionamentos abusivos nos perguntamos o porquê da pessoa não sair dessa situação. Acontece que, embora na nossa cabeça pareça fácil e óbvio não aceitar tanta dor e sofrimento, a realidade é completamente diferente. Então vem cá, que vou te contar o porque é tão difícil se libertar de relacionamentos abusivos.

publicidade
Você provavelmente ao escutar uma história de relacionamento abusivo se perguntou “como assim você ainda não deu um basta?” Quando escutamos essas histórias ficamos pensando como alguém não conseguiu sair disso. Parece tão fácil, tão óbvio não aceitar tanta dor e sofrimento. Então vem cá, que vou te contar o porque é tão difícil se libertar de relacionamentos abusivos.

1 – Dependência emocional

Um relacionamento tóxico tem, como uma de suas características, a dependência emocional. Sim, é isso mesmo. Esses relacionamentos prendem o outro de tal forma que faz com que a pessoa pense que jamais irá encontrar alguém melhor. Que irá ficar sozinha (o) e que, mesmo com tanta dor, é melhor permanecer nesse relacionamento.

2 – Culpa

A pessoa que sofre com relacionamentos abusivos carrega a culpa de um relacionamento nada saudável. Sempre é ela a responsável pelos erros. Se as coisas não estão dando certo é porque a pessoa é a culpada e nunca o abusador. Enquanto isso, o outro segue se divertindo em despejar a culpa e apontar erros. Não conseguem assumir as responsabilidades e devolvem isso ao outro, o que leva a  pessoa a se sentir responsável por tudo e se culpar o tempo todo.

3 – Autoestima baixa

Culpa, responsabilidades excessivas, palavras de negação. Tudo isso te convence que você não tem valor. De que ninguém mais aguentaria você. Que não há ninguém melhor. Faz você duvidar de si mesmo. De quem é. Te convence de que é uma pessoa desagradável e que há muito o que agradecer por ter alguém que ainda está contigo. Com a autoestima minada e a dependência emocional emplacada, sair dessa situação abusiva torna-se ainda mais difícil, por não conseguir enxergar o que a pessoa de fato é e o que merece.

4 – Porque um relacionamento abusivo não é feito apenas de momentos ruins

E aí é que vem a parte mais difícil. Os momentos bons dão esperança de que as coisas podem mudar. De que o relacionamento pode dar certo. Outras, faz você se sentir culpada, afinal “poxa vida se eu tolerar mais isso, ou parar de me importar com aquilo, a gente pode dar certo”. Faz você acreditar que talvez de fato seja a pessoa que o outro diz que você é.

5 – A promessa da mudança

Relacionamentos abusivos são feitos de ciclos. Fases boas e do nada tudo muda. Num mesmo instante. Uma questão de tempo. E aí, o outro promete mudar. Pede desculpas, ou diz que você precisa ser mais paciente. Que precisa aprender a tolerar mais as coisas. Te convence que foi um dia ruim, que não está bem. Diz que vai mudar e te pede pra acreditar isso. O coração mesmo machucado sente uma esperança: “as coisas podem mudar, dessa vez vai dar certo“. Mas nunca melhora. Nunca se ajeita. Sempre se repete.
O que quis mostrar com esse texto é que não é fácil como parece se libertar de relacionamentos tóxicos. Seja porque acreditamos que pode dar certo, ou porque achamos que é errado desistir. Muitas vezes nos tornamos dependentes do outro. Achamos que não há vida longe desse relacionamento. Esquecemos quem somos e o que merecemos. Acreditamos que o outro está certo sobre nós e que de fato somos alguém “difícil de lidar”. Você não se reconhece mais, se perdeu nas palavras do outro. O sentimento ainda vivo tenta te convencer que vale a pena esperar pela mudança, mas a razão pede, implora, grita: “Dê um basta”.
Que ao se deparar com o sofrimento alheio você possa ter empatia. E que ao ler esse texto, caso esteja em um relacionamento tóxico, em que você não sabe mais o que fazer, relembre o que você era antes disso tudo. Não se perca mais ainda. Melhor doer agora, do que doer todo dia. Você ainda pode ser muito feliz.

COMENTÁRIOS | Deixe sua opinião!

comments