Se você soubesse o impacto que faz em sua vida ter um propósito, você não viveria sem ele!
Se você soubesse o impacto que faz em sua vida ter um propósito, você não viveria sem ele!

Se você soubesse o impacto que faz em sua vida ter um propósito, você não viveria sem ele!

Mude sua forma de viver!

publicidade

Viver com propósito significa estar no comando da sua existência. Você aceita um trabalho, com toda a empolgação, e depois de alguns meses ele não o satisfaz mais.

Todos nós já passamos por isso. É o que acontece quando estamos longe do nosso propósito de vida. Sem um propósito claro, a vida parece um círculo de vicissitudes que nunca terminam.

Não sabemos por que estamos onde estamos nem aonde vamos no dia seguinte. Tudo parece aleatório. Essa não soa uma boa forma de tentar ter satisfação com a vida.

publicidade

Origem nos campos de concentração nazistas

Hoje, a busca do propósito de vida é uma questão científica.

Essa ciência nasceu com o Dr. Viktor Frankl, sobrevivente de diversos campos de concentração na época da Segunda Guerra Mundial.

Frankl perdeu sua família, sua esposa, e estava preso, destinado a morrer.

publicidade

Tudo o que ele decidiu fazer para aproveitar o tempo que estava sofrendo os horrores da guerra foi observar o propósito das coisas – e o dele mesmo.

Foi em um dos campos de concentração em que viveu que Frankl desenvolveu a logoterapia, a terapia baseada no propósito.

Ele escreveu o livro fundador da logoterapia com os papéis que encontrava pelo caminho, em meio a dores que nós apenas podemos imaginar.

Apesar da situação, ele não enlouqueceu e sua saúde não se deteriorou. Quando se viu livre, pouco tempo depois já estava de volta à ativa, em sua prolífica carreira como terapeuta.

Viktor estava em busca de seu propósito de vida e não o abandonou nem quando a vida fazia de tudo para derrotá-lo. Isso fez dele um homem célebre e único.

publicidade

Apesar de outras formas de terapia terem ganhado o grande público, a logoterapia persistiu ao longo das décadas como única forma de preencher o que Carl Jung chamou, no início do século XX, de vazio existencial.

Ao cultivar o propósito, Frankl sabia que o vazio descrescia, pois a pessoa sabia para onde estava indo e com o que estava internamente conectada.

Comprovado pela ciência

Mas isso não era o bastante para a logoterapia ser considerada uma ciência.

Em 1964, dois cientistas, Crumbaugh e Maholick, do The Bradley Center, na Geórgia, resgataram a logoterapia e a alçaram ao domínio da ciência propriamente dita ao criarem a escala psicométrica PIL.

Era apenas o início de uma extensa comprovação científica que se seguiria, empreendida não só pelos dois, mas por diversos outros contemporâneos que aplicaram a PIL em diversos países do mundo.

Foi constatado que o propósito, para ser cultivado, depende de metas que podem mudar a vida de outras pessoas, como abrir uma organização, pesquisar doenças ou ensinar crianças a ler.

No caso de Frankl, seu propósito era criar uma nova forma de ajudar seus pacientes, por exemplo.

Ajudar os outros está relacionado a uma vida significativa e com propósito.

Por exemplo, em um estudo de 2015, Daryl Van Tongeren e colegas descobriram que pessoas que se envolvem em comportamentos mais altruístas (como voluntariado ou doar dinheiro) tendem a ter mais propósito e ver mais sentido na vida.

Mas os benefícios não são apenas abstratos.

O efeito do propósito na saúde

Uma pesquisa de 2013 do Rush University Medical Center detectou que um senso de propósito foi um fator importante na proteção de 7.000 adultos em quatro anos; cada aumento na escala de propósito significou uma redução de 22% no risco de AVC.

Uma variedade de outras pesquisas também tem comprovado que o propósito é um fator neuroprotetor, ou seja, afasta o risco de Alzheimer e outras demências, porque melhora as funções cognitivas.

Há estudos ainda que constataram melhoria na capacidade cardiovascular e a redução do índice de mortalidade após mais de dez anos de acompanhamento de grupos de pacientes que nutriam um propósito.

São pesquisas que são mantidas por anos e até décadas, com o objetivo de comparar de que maneira manter um propósito é favorável a uma boa condição de saúde física e mental.

Elas indicam que o propósito é um “escudo” para manter a saúde mental e inspirar a criação e manutenção de relacionamentos melhores, o que aumenta a autoestima e diminui os comportamentos compulsivos.

As dificuldades contra o seu propósito

Todos nós sabemos que o que acontece na vida não pode ser verdadeiramente controlado por ninguém. Muitas coisas são impostas a todos nós a cada dia, quer queiramos ou não.

No entanto, o que você pode controlar é a trajetória que você se coloca e como você reage às experiências que encontra.

Muitas pessoas realmente não se entendem ou não sabem quem são no fundo, e muitas nunca se conhecerão verdadeiramente. 

No entanto, isso não precisa ser verdade para você. É absolutamente possível obter uma visão profunda de quais são seus sonhos, motivações, desejos e necessidades.

Conhecer a si mesmo não é fácil e geralmente requer muito trabalho duro. Mas é possível – e vale totalmente a pena.

Quando você passa pela vida sem compreender quem você é e o que precisa, pode ser facilmente manipulado para seguir um caminho que não é adequado para você.

Ao ter um propósito, pode construir uma lista de metas que o apoiarão. Geralmente, o propósito é focado no maior impacto que você pode causar nos outros e em seu entorno.

Descobrir seu propósito exige que você reflita sobre seus dons, valores e o que gostaria de contribuir para o mundo.

Como cultivar o propósito no dia a dia?

  • Explore as coisas que você adora fazer
  • Pergunte a si mesmo quais qualidades você mais gosta de expressar no mundo
  • Crie uma declaração de propósito de vida
  • Siga sua orientação interior
  • Decida de uma vez para onde você quer ir
  • Seja claro sobre o seu propósito
  • Pense nas ocasiões em que experimentou a maior alegria da sua vida
  • Siga o exemplo de pessoas que estão alinhadas com o propósito delas
  • Reserve um tempo para você mesmo
  • Alinhe seus objetivos com suas paixões

Viver com propósito significa estar fundamentado, autoconsciente, reflexivo e alinhado consigo mesmo, com o que está ao seu redor e as pessoas que estão nele. Viver com essa consciência maior ajuda a expandir seus horizontes e a fornecer informações mais detalhadas sobre o que está acontecendo no mundo, o que o ajudará a tomar melhores decisões.

Essa consciência e presença são maravilhosas também para seus relacionamentos. Quando você estiver imbuído de propósito e envolvido com seus amigos e entes queridos, você conseguirá se comunicar melhor e perceber quando as coisas precisam ser resolvidas!