Transtorno alimentar aumenta significativamente na pandemia e estudo aponta sério ALERTA

Mudanças alimentares podem gerar consequências!

Transtorno alimentar aumenta significativamente na pandemia e estudo aponta sério ALERTA

A quantidade de pessoas internados nos hospitais por doenças graves causadas por transtorno alimentar aumentou significativamente durante a pandemia,

Além disso, o número de pacientes internações com transtornos alimentares dobrou durante os primeiros meses da pandemia do novo coronavírus.

Essa descoberta só faz fortalecer do quão profundo a pandemia do novo coronavírus afetou as pessoas de diversas idades.

Te interessa?

Não só em questão de isolamento e alimentação, mas também com os fechamentos de escolas, cancelamento de atividades esportivas e isolamento em massa da população.

O crescimento do transtorno alimentar na pandemia

Você precisa entender que os números de pessoas sofrendo com transtorno alimentar podem representar apenas uma fração daqueles com transtornos alimentares afetados pela pandemia.

Além isso, são várias as idades diagnosticadas com sintomas de transtorno alimentar levadas ao hospital para tratamento.

transtorno alimentar na pandemia
Transtorno alimentar aumenta significativamente na pandemia e estudo aponta sério ALERTA. (Imagens: Unsplash)

A verdade é que ps efeitos negativos da pandemia do novo coronavírus na saúde mental podem ser particularmente profundos.

São muitas pessoas de faixa etária de idade sofrendo com transtornos alimentares, isso é em todo o mundo, onde muitas pessoas perderam o hábito de comer saudável estando em casa.

Fatores psicológicos influenciando no transtorno alimentar

Algumas pesquisas realizadas para analisar o caso do crescimento do transtorno alimentar na pandemia mostrou que vários aspectos psicológicos alteraram o hábito alimentar das pessoas.

A taxa de internamento em hospitais por causa do transtorno alimentar aumentou constantemente durante o primeiro ano da pandemia.

Sendo assim, as maiores taxas de internações de pacientes com problemas alimentares por mês ocorreram entre nove e doze meses após o início da pandemia.

Os transtornos alimentares restritivos incluem:

  • Anorexia nervosa (marcados por restrição alimentar);
  • Exercício excessivo;
  • Purgação para perder peso.

A alimentação é uma parte fundamental na vida de uma pessoa. Não importa o seu objetivo em relação à perda de peso, o seu corpo necessita de nutrientes e minerais.

Sua saúde deve ser preservada para que não desenvolver doenças por falta de saúde. São várias as coisas que podem ajudar no desenvolvimento de transtornos alimentares

  • Genética;
  • Fatores psicológicos;
  • Influências sociais.

Portanto, pessoas com baixa autoestima ou sintomas depressivos estão em risco especialmente alto de desenvolver transtorno alimentar.

transtorno alimentar na pandemia

Como evitar o transtorno alimentar na pandemia?

Se você já sofre de transtorno alimentar e esse tipo de problema de saúde se agravou na pandemia, consulte um médico para avaliar o seu caso e auxiliar no tratamento.

Confira a seguir o que você pode começar a fazer para evitar e até mesmo tratar o transtorno alimentar na pandemia de forma saudável e segura.

1 – Tenha um suporte médico virtual

É fundamental você reforçar o seu sistema de apoio entre amigos e familiares para conseguir tratar o transtorno alimentar na pandemia.

Assim como as pessoas do seu convívio presencial, o seu médico deve está presente no seu processo de cura, esse encontro pode ser realizado via internet.

São várias as ferramentas online que você pode se encontrar com seu médico e ter uma consulta para rever seu processo de tratamento, como, por exemplo:

  • Skype;
  • FaceTime;
  • Zoom.

Você pode desenvolver um sistema de alimentação diária com o seu médico online para ajudar a não cair na tentação de comer sem limites enquanto está em casa.

São vários os médicos que apresentam soluções práticas que ajudam os pacientes a se tratarem em casa de forma simples e saudável.

Portanto, se você tem em sua vida uma pessoa que confia sua vida, você pode incluir ela na dieta e desafio de vencer o transtorno alimentar para enfrentar as tentações.

transtorno alimentar na pandemia

2 – Ter um padrinho na internet

As interações sociais e comunidades interagindo uma com as outras facilitou até mesmo o sistema de apadrinhamento para ajudar pessoas nos tratamentos.

Você pode muito bem ter uma pessoa acompanhando e incentivando você a não cair em tentação e quebrar sua rotina de alimentação.

Assim como você pode ter suas consultas online com um médico especializado, o seu padrinho também pode ajudar dando algumas palavras de conselho e motivação via internet.

Seu padrinho também pode ajudar você nas seguintes atividades:

  • Desenvolver um grupo de apoio virtual;
  • Participar melhor das comunidades de pares online
  • Conhecer mentores de recuperação
  • Ter um suporte para refeições via internet.

A verdade é que você pode se beneficiar 100% desses recursos e entender a importante ter outras pessoas acompanhando o seu tratamento.

3 – Desenvolver um horário para lanches e refeições

Com seu médico ou nutricionista, você deve ter desenvolvido uma estrutura de programação para se alimentar adequadamente todos os dias.

Sua alimentação diária pode ser reduzida e ajustada ao seu comportamento alimentar para torna o ato de comer mais saudável e sem exageros.

Até mesmo os seus lanches devem ter um horário para criar um hábito alimentar a ajudar no tratamento contra o transtorno alimentar. Você pode:

  • Planeja uma planilha de horário;
  • Incorporar uma variedade de alimentos;
  • Comer adequadamente de acordo com a necessidade.

transtorno alimentar na pandemia

Quando você conseguir definir bem os seus horários e fortalecer o bom habito de alimentação, você poderá analisar os dados e resultados com o seu médico.

4 – Sempre mantenha contado com seu médico

Se você está lutando para se curar de um transtorno alimentar durante a pandemia com um profissional especialidade, não deixe de entrar em contato com ele.

Tanto o seu nutricionista ou terapeuta deve está ciente que você fazer todos os dias para voltar a se alimentar corretamente e sem exageros.

A maioria dos médicos profissionais e especializados oferece videoconferência para que o paciente possa continuar recebendo tratamento adequado e não fique sozinho durante o processo.

Para melhorar seu tratamento, você pode:

  • Manter sempre uma consulta presencial;
  • Cultivar boas relações em videoconferência com seu médico;
  • Não ficar sozinho durante o processo de cura;
  • Aproveitar as consultorias online para melhorar seu processo de cura;
  • Praticar também exercícios com profissionais virtuais.

O que você achou? Siga @awebic no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Além disso, você também pode criar ou revisar de um plano de prevenção de recaídas para compartilhar com seu médico.

Esse tipo de comportamento pode ajudar seu médico avaliar as melhores opções para apoiar sua recuperação durante esse período de cura do transtorno alimentar. 

Você gostou de saber mais sobre como o transtorno alimentar cresceu durante a pandemia do novo coronavírus? Então não perca mais tempo e compartilhe com os seus amigos e familiares.

Veja mais ›
Fechar