Será que existe mesmo vida extraterrestre em Vênus? Cientistas esclarecem que...
Será que existe mesmo vida extraterrestre em Vênus? Cientistas esclarecem que...

Será que existe mesmo vida extraterrestre em Vênus? Cientistas esclarecem que…

Veja o que os pesquisadores descobriram em Vênus que podem provar a existência de vida extraterrestre!

publicidade

Você acredita que há vida fora do planeta terra? Essa pergunta intriga muitas pessoas, pesquisadores e cientistas há muito tempo.

Afinal de contas, se antes era improvável sua confirmação, com o grande avanço da tecnologia a resposta positiva para a pergunta parece estar cada vez mais perto de sua resposta. Você conhece as descobertas em Vênus?

Pois bem, a ideia de que exista vida extraterrestre flutuando nas nuvens de Vênus é uma grande possibilidade, mas os pesquisadores agora consideram possível.

publicidade

Existe vida extraterrestre no planeta Vênus?

Foi encontrado, na atmosfera do planeta Vênus, um tipo de gás que pode indicar que há presença de vida. Esse gás encontrado é a fosfina, uma molécula composta de um átomo de fósforo e três átomos de hidrogênio.

Aqui na Terra, a fosfina está associada à vida, pois é produzido por micro-organismos que vivem nas entranhas de animais, como os pinguins, ou em ambientes pobres em oxigênio, como os pântanos.

O gás encontrado na atmosfera de Vênus, fosfina, também pode ser produzida industrialmente, mas, na natureza sua ocorrência está sempre associada à presença de organismo vivos.

Mas daí vem a pergunta. Por que esse gás foi encontrado em Vênus, a cinquenta quilômetros da superfície do planeta? Para essa pergunta, a professora Jane Greaves e seus parceiros da Universidade de Cardiff, estão fazendo exatamente a mesma pergunta.

publicidade
vida-extraterrestre-vênus
JAXA/ISAS/AKATSUKI PROJECT TEAM

Jane Greaves e seus parceiros da Universidade de Cardiff publicaram um artigo na revista Nature Astronomy detalhando a descoberta de fosfina na atmosfera de Vênus e as investigações que realizaram para tentar entender se a molécula pode tido uma origem natural ou não biológica.

Porém, por enquanto, Jane Greaves e os pesquisadores ainda estão perplexos.

Mas, considerando tudo o que os seres humanos já sabem sobre Vênus e as condições que existem lá, ninguém ainda foi capaz de dar uma explicação para a presença de fosfina.

Isso apenas significa que uma fonte biológica para a substância merece consideração. Veja o que Jane Greaves fala sobre tudo isso:

“Durante toda a minha carreira estive interessada na busca de vida em outros lugares do universo. Então estou simplesmente atônita que tenhamos encontrado uma situação em que isso parece possível. Mas, sim, estamos genuinamente encorajando outras pessoas a nos mostrar um fator que nós podemos ter deixado passar. Nossos artigos e dados podem ser acessados por outros pesquisadores; é assim que a ciência funciona”.

O que exatamente a equipe de Jane Greaves detectou em Vênus?

A equipe de cientistas e pesquisadores de Jane Greaves identificou primeiro a fosfina na atmosfera de Vênus usando o Telescópio James Clerk Maxwell, no Havaí, Estados Unidos, e depois confirmou a presença do gás usando o Telescópio ALMA, em Atacama, no Chile.

publicidade

Os telescópios usados pela equipe conseguem discernir a fosfina através de ondas de rádio, que mudam de comprimento ao passar por ela. 

vida-extraterrestre-vênus
ESO/M.KORNMESSER/L.CALCADA/NASA

O gás fosfina é observado em latitudes médias no planeta, a aproximadamente cinquenta a sessenta quilômetros de altitude.

A concentração é bem baixa, perfazendo apenas dez a vinte partes em cada bilhão de moléculas atmosféricas, mas, neste contexto, é bem considerável.

Por que a descoberta de gás fosfina em Vênus é interessante?

O planeta Vênus não se apresenta no todo da lista quando se pensa em possibilidade de vida em outras partes do Sistema Solar.

Vênus tem condições atmosféricas inóspitas para a vida como a nós seres humanos a conhecemos. Com cerca de 96% da atmosfera composta de dióxido de carbono, a atmosfera de Vênus tem um efeito estufa descontrolado.

As temperaturas da superfície se parecem com as de um forno de pizza. As sondas espaciais que já foram enviadas para lá sobreviveram poucos minutos antes de quebrar.

vida-extraterrestre-vênus
DETLEV VAN RAVENSWAAY/SPL

Além disso, a cinquenta quilômetros de altura, as condições melhora um pouco. Então, se realmente existe vida no planeta Vênus, é exatamente ali que os cientistas e pesquisadores podem esperar encontrá-la.

William Bains, um bioquímico membro da equipe que fez a descoberta e pesquisador do MIT, nos Estados Unidos, estudou várias combinações de diferentes compostos que deveriam estar no planeta Vênus.

O bioquímico examinou relâmpagos, vulcões e até meteoritos poderiam desempenhar um papel na fabricação do gás fosfina.

Porém, todas as reações químicas que William Bains investigou, diz ele, são fracas demais para produzir a quantidade de fosfina observada.

Além disso, as nuvens de Vênus são grossas e compostas de ácido sulfúrico, que é catastrófico para as estruturas celulares que formam os organismo vivos na Terra.

Para sobreviver ao ácido sulfúrico, William Bains acredita que os micróbios de Vênus transportados pelo ar teriam que usar alguma bioquímica desconhecida e radicalmente diferente, ou desenvolver um tipo de armadura.

Veja o que o bioquímico William Bains disse para o programa Sky At Night: 

“Teoricamente uma vida nascida na água poderia se esconder dentro de uma espécie de concha protetora dentro das gotas de ácido sulfúrico. Estamos falando de bactérias que se cercariam com uma carapaça mais resistente do que o Teflon e se fechariam completamente. Mas como se alimentam? Como trocam gases? É um verdadeiro paradoxo.”

vida-extraterrestre-vênus

Como tem sido a reação dos cientistas com a descoberta de fosfina em Vênus?

A comunidade científica está intrigada e cautelosa com a nova descoberta. Além disso, os autores da pesquisa dizem que não encontram vida em Vênus, mas apenas apontam que a ideia precisa ser mais explorada.

Para o professor da Universidade de Oxford, Colin Wilson, que trabalhou na sonda Venus Express da Agência Espacial Europeia, disse que as observações da professora Jane Greaves devem estimular uma nova onda de pesquisas no planeta Terra.

Veja o que o professor Colin Wilson falou para a BBC News:

“É realmente emocionante e levará a novas descobertas — mesmo que a detecção de fosfina original acabasse sendo uma interpretação espectroscópica incorreta, o que eu não acho que será. Acho que a vida nas nuvens de Vênus hoje é tão improvável que nós vamos encontrar outras vias químicas de criação de fosfina na atmosfera. Mas vamos descobrir muitas coisas interessantes sobre Vênus nesta pesquisa”.

Já o astrobiólogo Lewis Dartnell, da Universidade de Westminster, é igualmente cauteloso, pois como um pesquisador de possibilidades de vida fora da Terra, ele acha que Marte ou as luas de Júpiter e Saturno são uma aposta melhor para encontrar vida.

Confira a seguir o que ele disse sobre isso:

“Se a vida puder sobreviver nas nuvens superiores de Vênus, vai significar que talvez seja muito comum em nossa galáxia como um todo. Se for o caso, talvez a vida não precise de planetas muito semelhantes à Terra e possa sobreviver em outros planetas terrivelmente quentes na Via Láctea.”

vida-extraterrestre-vênus
ESO

Afinal de contas, é possível resolver esse mistério do universo?

O jeito mais confiável de esclarecer a questão seria enviar uma sonda para investigar a atmosfera do planeta Vênus presencialmente.

A NASA pediu recentemente aos pesquisadores e cientistas que desenhassem o projeto de uma possível missão emblemática para 2030.

Esse projeto tem o objetivo de lançar um balão para viajar através das nuvens de Vênus. 

Os russos já fizeram isso com o seu balão Vega em 1985. O balão foi revestido com Teflon para proteger do ácido sulfúrico. Ele flutuou por alguns dias, fazendo medições.

Gostou de saber mais sobre as descobertas científicas em relação a vida extraterrestre em outros planetas? Então deixe nos comentário a sua opinião sobre o assunto.