Você pode estar olhando para uma ESTRELA MORTA e não sabe
Você pode estar olhando para uma ESTRELA MORTA e não sabe

Você pode estar olhando para uma ESTRELA MORTA e não sabe!

Veja como é o processo de vida e morte de uma estrela no espaço!

publicidade

Você costuma observar estrela no céu? Algumas pessoas acreditam que algumas estrelas que estão no céu já não existem mais. Isso não é verdade, pois elas existem sim e vamos explicar o real motivo disso.

A luz das estrelas distantes demora milhares de anos para chegar até o planeta Terra, ainda assim, qualquer um desses astros que nós enxergamos a olho nu estão perto demais para ter morrido.

Essas estrelas mais brilhantes ficam mais ou menos a quinhentos anos-luz daqui da Terra, ou seja, a sua luz passa quinhentos anos viajando antes de ser vista pelo ser humano. 

publicidade

Por exemplo, se o Cruzeiro do Sul tivesse surgido no dia em que Pedro Álvares Cabral aportou aqui no Brasil, seu brilho só apareceria no céu hoje.

Como é o nascimento e a morte de uma estrela no céu?

Quando o nós olhamos para um céu estrelado, é difícil de acreditar que aquelas estrelas nasceram há milhões e bilhões de anos a partir de nuvens escuras de poeira cósmica e que um dia elas simplesmente morrerão, ou, até já tenham morrido.

Por isso, as melhores condições para o nascimento de uma estrela são encontradas nas chamadas nuvens escuras, que podem ser gás de poeira ou moleculares.

nascimento-morte-das-estrelas-no-espaço

publicidade

O tamanho dessas nuvens que nascem as estrelas é da ordem de centenas de anos-luz, já a temperatura no interior delas equivale a aproximadamente duzentos e sessenta graus celsius negativos.

É a partir desse processo que nascem não apenas uma, mas várias estrelas. Além disso, as estrelas quase sempre se formam em grupos, raramente isoladas.

Todo o processo de nascimento de uma estrela pode levar algumas dezenas de milhẽs de anos, muito tempo, não é mesmo?

O primeiro estágio do nascimento de uma estrela se dá quando uma massa grande da nuvem começa a se contrair. 

Devido a instabilidade gravitacional, ela pode se dividir em pedaços menores que, por sua vez, também podem colapsar e continuar a se fragmentar, assim formando dezenas ou centenas de estrelas.

publicidade

À medida que começam a se juntarem, esses segmentos iniciam uma fase de aquecimento e passam então a ser chamados de proto-estrelas.

Com isso, quando a temperatura no centro deles alcança um valor alto suficiente para começar a reação de fusão nuclear, a contração para e a assim nasce uma estrela.

nascimento-morte-das-estrelas-no-espaço

Qual o tempo de vida de uma estrela?

Antes de tudo, você precisa entender que o tempo de vida de uma estrela está diretamente relacionado à sua massa.

Um exemplo disso são as estrelas de massa bem maiores que a do Sol, cerca de dez vezes maiores. Essas duram dezenas de milhões de anos, enquanto o tempo de vida do astro solar é de dez bilhões de anos. 

Já os astros com um décimo da massa solar têm uma expectativa de vida de várias dezenas de bilhões de anos.

A idade atual do nosso Sol é cerca de quatro bilhões de anos, logo, ele tem uns cinco bilhões de anos pela frente.

Além disso, durante as fases de vida do Sol, ele irá crescer até atingir a órbita do planeta Marte, transformando-se em uma estrela vermelha gigante.

Nessa fase de crescimento, todos os planetas internos como Mercúrio, Vênus, Terra e Marte serão extremamente aquecidos.

Aqui na Terra, os nossos oceanos se evaporarão e o planeta perderá sua atmosfera. Assim, terminada a fase de crescimento, o astro iniciará um processo inverso: encolher até tornar-se uma estrela do tipo anã branca.

A energia liberada por ele será bem menor do que a atual e o que restar dos planetas internos estará a temperaturas muito pequenas.

nascimento-morte-das-estrelas-no-espaço

Mas, afinal de contas, por que as estrelas morrem? No centro das estrelas, a energia é formada por fusão nuclear, ou seja, os elementos mais leves vão se juntando e formando os mais pesados com o passar do tempo.

No caso do nosso Sol, o hidrogênio, que é mais leve, se transforma em hélio, que é mais pesado, por fusão nuclear.

Assim, quando o hidrogênio se esgota no núcleo da estrela, o hélio começa a se juntar para formar carbono.

Em um astro com a massa do Sol, a temperatura de fusão do carbono para formar os elementos mais pesados nunca será atingida.

Com isso, se forma um núcleo que não mais produzirá energia, começando assim o processo de morte da estrela.

O ciclo de vida de uma estrela

As estrelas são lindos astros celestes que, desde os tempos antigos, despertam a curiosidade das pessoas. Mas o que muitas pessoas não sabem é que as estrelas, assim como nós seres humanos,  crescem e morrem. 

O nascimento de uma estrela acontece nas nebulosas, que são enormes nuvens de gás compostas por Hidrogênio e Hélio,

Devido a força gravitacional, as moléculas vão sendo atraídas umas pelas outras, assim, ficando bem próximas, o que faz com que a nebulosa tenha uma queda de tamanho.

A concentração dos gases causa aumento na temperatura, que só aumenta mais e mais. Por isso, quando a temperatura é alta o suficiente, essa grande bola de gás começa a emitir luz e o hidrogênio começa a queimar.

Esse processo é denominado de fusão nuclear e libera muita energia. Essa sequência de fenômenos caracteriza o nascimento e início da vida de uma linda estrela. 

nascimento-morte-das-estrelas-no-espaço

Como a ciência explica a morte de uma estrela?

Como dito anteriormente, o tempo que uma estrela viverá dependerá da sua massa. Assim, quanto maior a sua massa, mais calor e luz a estrela liberará.

Já a sua morte acontece quando já tiver queimando todo o seu combustível

Como essa queima cria os elementos mais pesados, ela termina apenas quando passa a produzir ferro, que é um dos processos que consome energia.

Com isso, ela resfria e diminui drasticamente de tamanho, transformando-se completamente em ferro.

Com essa diminuição, as partículas que estavam na superfície do astro vão a altíssimas velocidades em direção ao núcleo, quando chocam-se com o centro e são ejetadas para o espaço, criando elementos mais pesados que o ferro.

Já os gases que são liberados no espaço, dando assim origem a uma nova nebulosa, de onde podem surgir novas estrelas. 

Se a massa da estrela for considerada pequena, cerca de um terço do nosso Sol, a estrela virará uma estrela de nêutrons. Por outro lado, se a massa for maior, ela se transformará em um buraco negro.

Gostou de saber mais sobre a origem das estrelas e como elas se comportam no espaço? Então deixe nos comentários o que você achou e deixe também sua opinião sobre esses maravilhosos astros que brilham no céu a noite.