Entenda porque apenas amar alguém não é suficiente para que dê certo

Nós aceitamos o amor que achamos que merecemos.

publicidade

“Nós aceitamos o amor que achamos que merecemos.” Stephen Chbosky

Você já pensou que poderia amar alguém o suficiente para que tudo desse certo?

Você já esteve e um relacionamento no qual você sabia que não estava realmente feliz, mas você continuou dizendo: “mas eu o (a) amo. Não é suficiente?”

publicidade

Eu sei como é acreditar nisso. Eu já senti isso mais vezes do que eu gostaria de admitir. O pior foi quando eu me apaixonei pelo meu ex-marido.

Ele era 12 anos mais jovem do que eu, de outro país (Grécia) e mal falava inglês.

Nossas almas se conectaram imediatamente e eu me apaixonei por ele. O que eu estava pensando? Nós não tínhamos nada em comum.

Ele não estava preparado financeiramente ou emocionalmente. Nós não podíamos nos comunicar. Nossas culturas eram diferentes.

publicidade

Mas eu estava apaixonada, isso não deveria ter sido suficiente?

Só o amor não é suficiente

Não era só com o meu ex-marido com quem eu tinha esse problema. Todo relacionamento que eu tive falhou fatalmente.

Eles não falharam porque eu escolhi homens maus. Eles falharam porque eu me apaixonei pelo caráter e não pela nossa compatibilidade ou habilidade de contribuírem para a minha felicidade.

Eu me apaixonei por estes homens por quem eles eram e não por como eles faziam eu me sentir. Sim, eles eram gentis. Sim, eles eram éticos. Sim, eles eram atraentes.

publicidade

Mas nenhum deles realmente me ouviu. Nenhum deles me tratou como se eu fosse a melhor coisa do mundo.

Ainda assim, eu fiquei. Eu continuei tentando e tentando. Eu continuei pensando que se eu fosse adequada, eles se importariam mais.

Eu continuei pensando que seu desse mais, eles entenderiam que eu estava fazendo de tudo para fazê-los felizes e em troca, eles me fariam feliz.

Eu fiquei esperando que algum milagre de todos os milagres acontecesse, porque eu os amava e não deveria o amor ser o suficiente?

Infelizmente, não é. Nunca será. Apenas amar alguém não é bastante.

Então, se você está em um relacionamento que você não tem certeza agora ou se você está apenas se aventurando no mundo das relações, pergunte a si mesmo algumas coisas antes de sossegar.

Só o amor não é suficiente

1. Como que você se sente sobre si mesma quando você está com eles?

Quando você está com eles, você se sente satisfeita e aceita, ou você se sente ansioso e incompreendido? Algumas vezes, nossos relacionamentos podem ser o reflexo de como nos sentimos sobre nós mesmos.

Então tenha cuidado para não empurrar seu próprio julgamento sobre o seu parceiro.

Defina se estes sentimentos surgem da forma como eles tratam você ou se são inseguranças que você tem, não importando com quem você esteja.

Algumas pessoas são simplesmente um par melhor para nós do que outras. Eu sou alguém que gosta de conversar e se conectar em nível emocional profundo.

Infelizmente, eu tenho o hábito de escolher parceiros que não gostam de conversar e não gostam de se conectar. Então eu sempre termino me sentindo sozinha e incompreendida. Não há nada de errado com eles, nós só não somos uma boa combinação.

2. As minhas necessidades tem importância igual para eles?

Quando você diz ao seu parceiro que algo é importante para você, como eles reagem?

Se você diz para o seu parceiro “eu realmente preciso gastar tempo de qualidade com você porque isso faz eu me sentir especial” e ele não entenda o que isso quer dizer e não quer saber, então talvez vocês não sejam certos um para o outro.

Relacionamentos levam a duas partes iguais.

Se você faz seu parceiro se sentir importante, então seu parceiro tem que fazer o mesmo ou você está em um relacionamento desigual. E, assim, você nunca estará preenchida.

Eu me lembro de uma vez que eu cheguei em casa de uma semana/mês de trabalho extremamente estressante e eu realmente precisava desabafar. Eu comecei falando para o meu então marido.

Deste dia, eu me lembro que disse para mim: “Carrie. Carrie, eu não sou sua melhor amiga. Se você quiser conversar, ligue para a Tracy.”

O que eu poderia fazer com isso? Se meu marido não quer conversar comigo e não se importa com o meu dia ou se eu estou estressada, para onde nós podemos ir?

Sim, você pode adivinhar para onde fomos. Nós nos divorciamos.

3. Os valores fundamentais deles estão alinhados com os seus?

Nós todos temos princípios e valores fundamentais pelos quais vivemos. E que são diferentes para cada um de nós.

No entanto, se o seu parceiro não tem os mesmos valores que você, então é bem provável que vocês tenham problemas no paraíso enquanto o tempo passa. Valores fundamentais são coisas importantes que você deve ter com um parceiro.

Valores fundamentais incluem:

  • Religião;
  • O desejo de ter filhos;
  • Como você lida com o dinheiro;
  • Integridade;
  • Fidelidade;
  • Família;
  • Saúde.

Por exemplo, eu sou insanamente ética. Eu nasci assim. Eu não posso explicar. Ninguém quer um trapaceiro ou um mentiroso, mas muitas vezes, pessoas enganam e mentem e se explicam ou justificam.

Isso é completamente incompatível com o meu senso de caráter e algo que eu nunca poderia aceitar em um parceiro.

Eu estava apaixonada pelo meu último namorado por causa de seus princípios éticos. Ele atuou altamente nessa área, o que me deixou extremamente atraída por ele por causa disso.

Algumas dessas coisas mudaram com o tempo e algumas não. Algumas pessoas podem se tornar mais religiosas ou decidir que querem filhos. É possível mudar o jeito que você vê e lida com o dinheiro.

Valores fundamentais profundamente enraizados provavelmente não mudam.

Se a pessoa com quem você está não é inclinada a ter uma família e não quer ter, você tem um conflito enorme. Você só está preparando a si mesma para um problema.

Se você quer ter filhos e ele/ela não quer e nunca irá, então pare de tentar fazer que isso seja algo que não é apenas porque você o ama.

4. Eles querem me conhecer? Meu eu real?

Só o amor não é suficiente

Eu acredito que todo mundo tenha diferentes níveis de conforto em relação a vulnerabilidade. Algumas pessoas anseiam por intimidade emocional intensa e outras não.

Meus pais foram casados por 34 anos e eu me perguntei muitas vezes o quanto eles realmente conheciam um ao outro.

Eles foram felizes e contentes, mas havia momentos que se parecia com um relacionamento superficial porque nenhum deles estava disposto a mostrar seu lado verdadeiro ao outro.

Eu não os julgo porque isso era o que eles eram capazes de fazer. No entanto, eu quero e preciso de mais.

Você é capaz de mostrar para o seu parceiro quem você realmente é em seus dias mais sombrios? Eles querem saber?

Você se sente aceita e compreendida por toda a sua estranheza, irracionalidade ou o quais quer que sejam as características da sua personalidade?

Se não, então você deve ser deixada perpetuamente insatisfeita e com o tempo, o relacionamento provavelmente vai se desgastar ou você vai se apaixonar por alguém mais que você acredite que quer conhecer e aceitar você.

Honestamente, é assim que muitos dos casos começam.

5. Minha vida é melhor com eles?

Seu parceiro é um bem ou obstáculo? Eles te apoiam ou sugam a vida de você?

Eles querem que você alcancem os seus objetivos e seus sonhos, ou eles te desanimam e fazem você sentir que não pode ou que não vai realizar nada?

Um parceiro deve ser o seu maior apoiador e torcedor e se eles não são, coloque-os no banco e encontre um novo jogador. A vida é muito curta para estar com alguém que não acredita em você.

Não leve isso para o lado de que você deve fazer o que quiser e eles devem aceitar. A questão é você deve se sentir contente, apoiada e amada por essa pessoa na sua vida.

Os dias não devem ser preenchidos com angústia, brigas e conflito ou discórdia. Se os seus dias não são felizes na maior parte do tempo, então pergunte a si mesma por quê.

Como você está contribuindo para a sua infelicidade? Corrija o seu lado e veja se alguma coisa muda. Se não mudar, você precisa repensar por que está com eles.

O que eu quero?

Não faça essas perguntas apenas uma vez. Faça-as de novo e de novo. Faça-as em um mês. Faça-as em seis meses. Faça-as em seis anos. Tanto quanto vocês os ama, é o quanto você vai achar que eles devem amar você também.

Se eles não conseguem atender as suas necessidades e não querem atendê-las, então você está perdendo o seu tempo e perdendo momentos preciosos da sua vida.

Há muitas pessoas maravilhosas e gentis por aí, mas não significa que sejam certas para você. Só porque você as ama, não significa que você pode ser feliz com elas.

Não perca anos com alguém porque “eu o amo”.

Todos os dias é uma escolha. Escolha a sua própria felicidade e ao fazer isso, você vai escolher o amor, em vez de ser escolhido por ele.

Este artigo é uma tradução do Awebic do texto originalmente publicado em Tiny Buddha, escrito por Carrie L. Burns.

Imagens: pexels.com e pixabay.com

Gostou? Compartilhe com seus amigos!