O que essa mãe fez vai fazer você repensar sua relação com o celular e com seus filhos

Ela me deixou com a pulga atrás da orelha.

publicidade

Não é preciso ser mãe para constatar uma realidade do nosso século: a tecnologia tem se tornado uma ferramenta cada vez mais presente em nossos dias.

E com a popularização dos smartphones, ter as facilidades na ponta dos dedos a todo o momento é realmente uma tentação.

O problema é quando a tentação se transforma em vício e engole os momentos presenciais que teriam tudo para ser especiais e ficar guardados na memória se… você não estivesse conectado o tempo todo.

publicidade

Um teste de observação

Pensando nisso, a jovem Brandie Johnson, da Califórnia, mãe dos gêmeos Blaine e Rylie, resolveu fazer um experimento: deixar o celular de lado e simplesmente observar seus filhos brincarem.

filhos e tecnologia 1

Nesta experiência simples, Brand percebeu que, enquanto faziam suas traquinagens, os meninos olhavam para ela para saber se os desaprovava ou não.

Uma atitude tão instintiva do ser humano revelou a ela, em um simples exercício de observação dos próprios filhos, o quão importante é estar presente na vida deles – e não apenas em corpo: em alma, olhar e, sobretudo, presença!

publicidade

A revelação surpreendente

filhos e tecnologia 2

“Hoje eu fiz um experimento, eu observei meus meninos brincarem. Enquanto eu estava sentada calmamente no canto da sala, anotei quantas vezes eles olhavam pra mim por várias razões: para ver se eu vi suas traquinagens, para buscar aprovação ou desaprovação e para simplesmente assistirem minhas reações.”

E sabe quantas vezes eles a olharam? 28! Isso mesmo, vinte e oito vezes! Vinte e oito trocas de olhares que teriam sido perdidas caso Brand estivesse olhando para o celular.

filhos e tecnologia 3

O post dela teve mais de 80 mil compartilhamentos.

publicidade

Veja:

“28 vezes meus anjos teriam se perguntado se o mundo virtual é mais importante para mim do que eles. 28 vezes os meus meninos não teriam recebido a atenção que a maioria dos adultos está procurando na internet. 28 vezes meus amores teriam se questionado se eles estão sozinhos emocionalmente. 28 vezes meus filhos teriam tido a certeza de que quem está online é o que realmente importa”.

É claro que a internet e suas tecnologias também ajudam, inclusive no processo de formação dos nossos pequenos, mas é preciso se questionar, refletir e procurar o equilíbrio sempre.

Para finalizar, Brand dá um soco no nosso estômago com a seguinte conclusão:

“Em um mundo onde somos aceitos pelo que as pessoas pensam de nós e não por quem realmente somos; em um mundo onde o que importa é quantos seguidores temos ou quantos likes recebemos; em um mundo onde o tempo de qualidade com seus entes queridos está sendo substituído por isolamento e mensagens de texto com alguém da outra sala, eu te imploro: seja diferente. Por favor, coloque o seu celular de lado e passe algum tempo com sua família. A próxima geração de crianças está contando conosco para ensiná-las a ser adultos; não esteja tão ocupado com as redes sociais.”

filhos e tecnologia 4

filhos e tecnologia 5

filhos e tecnologia 6

Fonte: littlethings.com.

Um experimento simples, um recado quase clichê e uma verdade alarmante: quem está do outro lado da tela é realmente mais importante do que as pessoas com quem você tem tentado conviver?

Que seus próprios filhos? Se sim, talvez seja o momento de se perguntar se você realmente está no lugar certo.

Concorda?

Então, antes de desligar seu celular, compartilhe este post. Talvez, só por meio dele é que você consiga tocar a consciência de quem está aí do seu lado. 😉