Pesquisadores ficam animados com os resultados do efeito do gengibre no câncer de próstata

O gengibre pode ter a capacidade de inibir o crescimento de células cancerígenas.

publicidade

Cientistas estão sempre em busca da cura para os mais variados tipos de câncer, principalmente com a ajuda de plantas, de forma que consigam lutar contra as células cancerígenas sem agredir ainda mais o organismo já sensível.

Entre tantas opções naturais, o gengibre vem sendo estudado há anos pelos seus benefícios naturais.

O estudo realizado por pesquisadores do Departamento de Biologia da Universidade do Estado da Geórgia, nos Estados Unidos, publicado na Revista Britânica de Nutrição, apontou vários benefícios do extrato de gengibre no câncer de próstata.

publicidade

O estudo

De forma inicial, o estudo explica que amplamente consumido como tempero em alimentos e bebidas em todo o mundo, o gengibre (Zingiber officinale Roscoe) é uma excelente fonte de vários compostos bioativos, como o gingerol, substância que dá o seu gosto característico.

Os pesquisadores apontam que as propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e atividades antiproliferativas do gengibre indicam o seu papel promissor como um agente quimiopreventivo.

publicidade

Eles notaram que todo o extrato de gengibre inibe significativamente a progressão do tumor da próstata, ou seja, inibe naturalmente a progressão celular e altera a taxa de crescimento rápida de células cancerígenas, causando apoptose – quando a célula causa a própria morte.

O extrato de gengibre não exerceu qualquer toxicidade detectável em tecidos normais, que se dividem rapidamente, tais como intestino e da medula óssea, o que torna o tratamento com gengibre não nocivo, diferente do que acontece com a quimioterapia.

Além dos resultados positivos nos testes in vitro (tubos de ensaio), os pesquisadores verificaram se os efeitos anticancerígenos do extrato de gengibre eram restritos apenas aos testes in vitro ou se seriam igualmente positivos nos testes in vivo (no organismo ).

Nos testes in vivo, os camundongos foram alimentados diariamente com 100 mg de extrato de gengibre e ao medir o tamanho do tumor ao longo do tratamento, foi observado a diminuição do peso do tumor do câncer de próstata em 56% dos camundongos.

publicidade

Eles também observaram pelos tratamentos in vivo, que o extrato de gengibre sugere um mecanismo potencial para inibir a proliferação do tumor.

Conclusão

O estudo concluiu que o uso do extrato de gengibre inteiro, um vegetal comumente consumido no mundo, inibe significativamente a progressão do tumor de próstata em estudos in vitro e em modelos de camundongos in vivo.

Os pesquisadores também relataram que estudos recentes têm mostrado que um dos principais componentes do gengibre, o 6-gingerol, suprime a carcinogênese (formação de câncer) em pele, gastrointestinal, no cólon e na mama.

Como a dose de extrato de gengibre foi muito pequena para os camundongos, eles calcularam qual seria a dose necessária para o tratamento terapêutico em humanos e chegaram ao resultado de cerca de 567 mg por 70 kg em um adulto, o que pode ser obtido a partir de 100 g de gengibre fresco.

Mas apesar desses fatores positivos, os pesquisadores observam que esses dados apresentam não apenas o potencial do extrato de gengibre no tratamento do câncer de próstata, como também abertura para mais estudos.

Outros estudos

Uma série de estudos tem sido realizada por outras universidades e institutos do mundo para entender a potência dos componentes do gengibre em vários tipos de câncer.

Na UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), por exemplo, pesquisadores fizeram testes em animais e observaram que algumas substâncias isoladas do gengibre têm a ação de inibir o crescimento de tumor primário de mama.

Para não dar falsas esperanças, no entanto, a pesquisadora Marcia Regina Cominetti, do Laboratório de Biologia do Envelhecimento da universidade, disse em entrevista ao UOL Notícias, que testes em humanos ainda não foram realizados e por isso não pode ter certeza de que este composto será efetivo para mulheres com câncer de mama.

Pesquisadores do Centro Integral sobre Câncer da Universidade de Michigan (EUA) relataram que o gengibre também pode ter efeitos positivos no tratamento do câncer de ovário. Em testes in vitro, perceberam que o gengibre causa a apoptose (células se autodestroem) e autofagia (células cancerígenas eliminam umas às outras).

É importante saber que pesquisas estão sendo realizadas para entender a aplicação de gengibre e outros vegetais e plantas no tratamento de vários tipos de câncer.

Como disseram os pesquisadores da Universidade da Geórgia, mais portas são abertas para mais estudos.

Enquanto isso, aguardamos atentamente que mais passos sejam dados no sentido de que novas opções de cura que não agridam o organismo sejam encontradas.

Compartilhe com os seus amigos!

Fonte: lifehack.org.