5 hábitos MESQUINHOS e BOBOS que causam ansiedade até mesmo nos GRANDES empreendedores

Conheça quais são os hábitos que podem esta aumentando a sua ansiedade!

5 hábitos MESQUINHOS e BOBOS que causam ansiedade até mesmo nos GRANDES empreendedores
5 hábitos MESQUINHOS e BOBOS que causam ansiedade até mesmo nos GRANDES empreendedores

Você sabia que existem hábitos que provocam ansiedade em grandes empreendedores de sucesso? Se você é um empreendedor e sofre de algum tipo de ansiedade, não se preocupe, existem ferramentas práticas que quebram esses hábitos para reduzir a ansiedade.

Uma  pesquisa realizada pela CDC survey concluído por aproximadamente 5.400 pessoas no mês de Junho mostrou que a prevalência de sintomas de ansiedade foi três vezes maior do que as relatadas no segundo trimestre do ano passado, 2019.

Os grandes homens de negócios e empreendedores esperam ter uma renda saudável e instável, se destacar profissionalmente no seu ambiente de negócio, criar filhos perfeitos, ter uma bela casa, manter uma agenda social completa e ser pilares de suas comunidades. 

Esse tipo de profissional, o empreendedor, esperam manter um alto nível de produtividade, apesar dos desafios colocados pela pandemia do novo coronavírus.

Pensando nisso, apresentamos a seguir cinco hábitos que antecipam a ansiedade nos empreendedores e como superá-los. Confira!

hábitos-ansiedade-empreendedores

5 hábitos que antecipam a ansiedade entre grandes empreendedores

Na grande maioria, as pessoas tendem a ver os empreendedores em dois extremos: ou são pessoas que lutam grandes batalhas todos os dias e o fazem pelo bem da sociedade, ou são pessoas loucas que seguiram um caminho arriscado, negando estabilidade e possíveis salários todo mês.

1 – Dificuldade em dizer não

Os grandes empreendedores são confiáveis. Você pode contar com essas pessoas para realizar tarefas. Como resultado, as outras pessoas só acorrem a eles com pedidos de ajuda. 

Os empreendedores recebem solicitações para ingressar em diferentes reuniões, comitês e até ajudar em vários projetos. Portanto, o problema surge quando os sentimentos de culpa e obrigação o impedem de dizer “não” para essas propostas. 

Quando isso acontece, o empreendedor relutantemente aceita mais responsabilidades, embora esteja trabalhando em sua capacidade máxima. Consequentemente, ele acaba se espalhando muito, assim, perdendo o foco no essencial.

Como evitar o hábito de dizer “Sim” para tudo?

Superar a culpa requer um exame de suas expectativas. A culpa surge da diferença entre suas ações e o que você espera de si mesmo. O hábito de dizer “não” provoca culpa quando você espera dizer “sim”.

hábitos-ansiedade-empreendedores

Existem apenas duas maneiras de reduzir a culpa, são elas:

  • Você continua a assumir mais responsabilidades para atender às expectativas auto-impostas ou reduzi-las a um nível mais realista;
  • Assumir mais responsabilidades para evitar se sentir culpado é inútil. Ansiedade e esgotamento são os únicos resultados lógicos dessa abordagem. 

Portanto, você que é um empreendedor precisa ter expectativas mais realistas de si mesmo. Você nem sempre pode esperar salvar o dia assumindo mais responsabilidades. Por isso, dê a si mesmo permissão para definir limites saudáveis, recusando solicitações. 

2 – Dificuldade em pedir ajuda

Sim, existem empreendedores que têm dificuldade em pedir ajuda. Para que isso não aconteça, é preciso abrir mão do controle para pedir ajuda. Grandes empreendedores preferem manter o controle confiando em sua própria coragem e determinação para completar uma tarefa.

Há uma grande ironia nesse hábito, entenda. A incapacidade de pedir ajuda e delegar tarefas é contraproducente. Em última análise, leva a um aumento da ansiedade, à medida que a vida foge ao controle da pesada carga de trabalho.

Como evitar o hábito de não pedir ajuda?

O empreendedor precisa aceitar que o controle é uma ilusão. Pense em quão pouco controle temos em nossas vidas. Nem mesmo temos controle total sobre nosso próprio corpo. 

hábitos-ansiedade-empreendedores

Nosso sistema imunológico luta contra invasores sem nossa intervenção. Nosso coração bate incansavelmente dia e noite. Continuamos com nossa vida diária sem comandar nosso fígado, tireóide e rins para completar suas importantes funções diárias, entendeu onde queremos chegar?

Apesar de nossos melhores esforços, ficamos doentes. Se temos tão pouco controle sobre nossos próprios corpos, quanto controle realmente temos?

Dê a si mesmo permissão para pedir e aceitar ajuda. Somos interdependentes e precisamos uns dos outros.

Definir limites saudáveis ​​não se limita a dizer “Não” aos outros. Também inclui saber quando pedir ajuda. Você não vive em uma bolha. Aceite que você é, até certo ponto, dependente dos outros. 

O segredo é ser atencioso ao pedir ajuda. Faça pedidos razoáveis, expresse gratidão genuína e encontre maneiras de retribuir o favor.

3 – Comparar-se a pessoas de sucesso

As comparações sociais  fazem parte da condição do ser humano. Nós usamos os outros como medida para determinar nosso valor próprio . 

Os grandes empreendedores têm uma definição restrita de sucesso. Eles se comparam a pessoas que consideram bem-sucedidas. Isso distorce um pouco sua perspectiva. Entenda. 

hábitos-ansiedade-empreendedores

Eles experimentam altos níveis de ansiedade enquanto tentam implacavelmente acompanhar os outros em seu grupo de referência. 

Em muitos casos, ficar para trás resulta em sentimentos de inadequação e inveja.

Como evitar o hábito de se comparar com os outros?

 Aprenda a se alegrar com o sucesso dos outros. Em vez de sentir inveja, por que não valorizar suas realizações também? Isso vale a pena.

O sucesso dos outros empreendedores não é um reflexo de você. Não tem relação com você. Há muito espaço para você e outras pessoas terem sucesso no mundo dos negócios.

Por isso, substitua as comparações sociais por comparações pessoais que se concentram em seu progresso individual. Em vez disso, concentre-se em onde você esteve, onde está e para onde está indo em sua jornada pessoal.

4 – Dificuldade em viver no presente

A ansiedade é definida como não estar presente no momento. Quando estamos ansiosos, ou estamos olhando muito longe no futuro ou ruminando sobre o passado. 

Os grandes empreendedores tendem a olhar muito para a frente. Eles estão com pressa para alcançar seus objetivos, pois antecipam a sensação de conclusão. Eles se fixam tanto em alcançar seus objetivos que muitas vezes deixam de apreciar a jornada que leva ao seu destino.

hábitos-ansiedade-empreendedores

Como evitar o hábito de desligar-se do presente?

Reserve um tempo para desacelerar e apreciar sua jornada. Ele é repleto de lições valiosas à medida que você supera obstáculos e se aproxima de seus objetivos.

Ignorar o caminho até o destino desejado equivale a fazer uma caminhada na mata e não apreciar a paisagem ao longo do caminho. Para estar mais presente, pratique a meditação.

Meditação é uma prática que pode reduzir a ansiedade e promover a felicidade. Existem muitos tipos. A meditação mindfulness nos incentiva a manter a consciência no momento presente enquanto nos concentramos no fluxo de nossa respiração.

5 – Contar com conquistas para sentir-se digno

Os grandes empreendedores cometem o erro de vincular sua autoestima ao seu nível de realização profissional e de negócio. Isso é muito problemático porque implica que a autovalorização é condicional. O empreendedor acaba oscilando com cada sucesso e fracasso.

Além disso, a satisfação com o sucesso dura pouco, pois o efeito desaparece rapidamente. Se você confia na conquista para ser feliz, não tem outra escolha a não ser buscar incessantemente a realização para receber sua próxima dose de satisfação. Não há fim à vista.

Como evitar o hábito de contar com conquistar para ser digno?

A verdade é que a autoestima não está associada a realizações. É incondicional. Nenhum sucesso torna você mais digno. Nenhuma quantidade de fracasso o torna menos digno.

hábitos-ansiedade-empreendedores

A autoestima é uma parte essencial e inegável de nossa humanidade. Seus diplomas, profissão, salário, riqueza, currículo ou bens materiais não o tornam mais digno. 

A autoestima não é derivada de tais realizações. Você é digno porque é humano. Costumo trazer à tona minhas raízes humildes para ilustrar esse ponto. Uma certa ansiedade é saudável e útil. Pode nos motivar a alcançar nossos objetivos na vida. 

O problema ocorre quando a ansiedade se torna excessiva porque priorizamos a busca pela realização em detrimento de nossos relacionamentos e bem-estar.

Fonte: PsychologyToday

publicidade