Fotos para a campanha Scars Stories

O câncer deixa marcas dolorosas. Você exibiria as suas para ajudar quem está passando por isso?

publicidade Ter uma cicatriz no corpo pode ser algo extremamente difícil. Vai muito além da dor física que gerou a marca que ficará estampada na pele para sempre. Muitas pessoas ao redor do mundo passam por diversos tipos de dramas que nunca serão esquecidos, muito por causa dessas marcas que terão que ser encaradas todos […]

publicidade

Ter uma cicatriz no corpo pode ser algo extremamente difícil. Vai muito além da dor física que gerou a marca que ficará estampada na pele para sempre.

Muitas pessoas ao redor do mundo passam por diversos tipos de dramas que nunca serão esquecidos, muito por causa dessas marcas que terão que ser encaradas todos os dias ao vestir uma peça de roupa ou se olhar no espelho.

Infelizmente esses episódios deixam manchas que vão além da pele, com consequências que são capazes de mudar inteiramente o rumo da vida dessas pessoas.

publicidade

Jasmine Gailer foi uma das pessoas que passou por isso. Em 2010, quando ela tinha por volta de 22 anos, sentiu uma dor repentina seguida de fraqueza na perna.

Depois de alguns exames, os médicos descobriram que Jasmine tinha um tumor canceroso no osso de seu joelho.

Após o diagnóstico ela passou por uma série de cirurgias e tratamentos, e teve que reaprender a andar. Fora de tudo isso, ela saiu com uma cicatriz de 30 centímetros na perna.

Durante muito tempo, a cicatriz em sua perna a incomodou. Porém, um belo dia ela fez algo que lhe abriu novos caminhos e deu uma grande esperança.

publicidade

Jasmine postou uma imagem dela em uma rede mídia social, e o resultado lhe deu uma ideia no mínimo ousada.

Fotos para a campanha Scars Stories

Depois de postar sua foto na internet, Gailer decidiu que queria aumentar a conscientização sobre o câncer em adultos e jovens, para que pudesse ajudar a levantar a autoestima dos que estão na luta contra o câncer.

A jovem disse que por muito tempo viveu com raiva, tristeza e vergonha do seu corpo cheio de cicatrizes e que queria ajudar outras pessoas que estavam passando pela mesma situação.

Segundo ela, todos os seus problemas eram baseados em torno disso, foi quando percebeu que poderia lidar com isso de uma forma diferente.

publicidade

E foi aí que tudo começou…

Jasmine iniciou uma campanha para angariar fundos, chamada Scar Stories (numa tradução livre para o português: Histórias de Cicatrizes), e juntou-se com vários fotógrafos.

Juntos, ela e os fotógrafos tiraram fotos de homens, mulheres e idosos mostrando suas cicatrizes.

Várias histórias foram contadas através das lentes desse projeto, conheça algumas:

Sara

Fotos para a campanha Scars Stories

Sara foi diagnosticada com câncer ósseo aos oito anos, e durante toda vida ela passou uma série de cirurgias e tratamentos. Porém, isso não a impediu de fazer coisas que ela amava como surfar e criar músicas. Ela se refere a sua cicatriz como “mordida de tubarão”.

Nathan

Fotos para a campanha Scars Stories

Outra história contada através da iniciativa de Jamine foi a de Nathan, que foi diagnosticado com um tumor cerebral raro pouco antes de chegar aos 20.

O jovem rapaz disse que antes do seu diagnóstico ele encarava a vida de uma forma diferente, como se não houvesse fim e que agora, tudo o que ele quer é apenas aproveitar o máximo que puder.

Infelizmente, Nathan faleceu pouco depois que esta foto foi tirada.

Nathalie

Fotos para a campanha Scars Stories

Assim como Nathan e Sara, Nathalie enfrentou uma fase muito difícil em sua vida. Ela teve câncer nos ossos e teve que ter sua perna removida.

Lucy

Fotos para a campanha Scars Stories

Diagnosticada com sarcoma de Ewing, um tipo de câncer raro e muito agressivo, Lucy agora tem uma cicatriz 40 centímetros pela perna.

Hayley

Fotos para a campanha Scars Stories

Olho de Hayley foi removido aos seis meses de idade devido a um retinoblastoma. Agora ela usa uma prótese artificial. Após sentir uma longa vergonha disso, ela finalmente decidiu encarar a situação de forma diferente.

Segundo ela, desde que parou de esconder a cicatriz, tem sido mais fácil aceitar o fato de que teve câncer e que agora finalmente é capaz de baixar a guarda e ser feliz com sua aparência.

Hannah

Fotos para a campanha Scars Stories

Hannah também viveu com vergonha de suas cicatrizes, mas percebeu que elas não a definem. Depois de tratar a situação com coragem e de forma diferente ela diz: “Minhas cicatrizes são a prova do meu passado, da minha dor e da minha luta. Mas eu não vou deixá-las determinar o meu futuro”.

Mulheres que sobreviveram ao câncer de mama

Fotos para a campanha Scars Stories

A campanha promovida por Jasmine não mostra só histórias de jovens, mas também de pessoas mais velhas, como Tough Beautiful Chicks, uma rede de mulheres que sobreviveram ao câncer de mama e que comemoram seus triunfos sobre a doença.

A solidariedade continua

Gailer espera que mostrando outros jovens com cicatrizes físicas e emocionais, ajudará pacientes com câncer em todo o mundo.

O Scar Stories possui uma parceria com Can Teen, uma organização australiana que trabalha para ajudar nos desafios enfrentados por adolescentes e jovens adultos afetados pelo câncer.

Todas as fotos promovidas pela campanha de Gailer foram exibidas e leiloadas em toda a Austrália. Todos os rendimentos vão para a Can Teen para ajudar mais pessoas a superar o drama do câncer.

E aí se emocionou com as histórias desses bravos guerreiros? Você pode ver mais no site da Scar Stories. Se você quiser ajudar, também pode fazer uma doação ou comprar uma foto.

Você também pode visitar o site do Can Teen e ver todas as ações que eles promovem para ajudar pacientes jovens com câncer.

Fonte: viralnova.com.