Mulher encontra aliança perdida do seu falecido marido em macieira depois de 35 anos

Parece até história de filme!

Você diria que o amor tem “prazo de validade”? Mesmo depois da morte de um ente querido, as lembranças boas e a saudade continuem fortes. No caso de Ann Kendrick, de 90 anos, a memória do seu falecido marido ficou mais forte do que nunca ao encontrar uma aliança que ele tinha perdido há 35 anos em seu jardim.

Peter, que faleceu há 22 anos, perdeu a aliança enquanto trabalhava em seu quintal em Looe, uma cidade costeira na Inglaterra. Eis que, no dia 23 de abril, um sábado, Ann foi limpar a base de uma macieira e, para sua surpresa, encontrou a aliança perdida.

O marido de Ann faleceu há 22 anos (imagem: Good News Network)

Pense consigo mesmo: qual era a chance de isso acontecer? Por mais de 35 anos, a aliança ficou ali. Poderia ter sido levada ou engolida acidentalmente por algum animal, ido parar embaixo da terra, encontrada por outra pessoa, mas não. Quis o destino que ela permanecesse ali e fosse descoberta por Ann. A idosa disse que ficou “muito animada” e que seu marido ficaria tão surpreso quanto ela.

Te interessa?

“Não parecia um anel de casamento. Parecia um pedaço sujo de metal dobrado. Eu olhei e pensei ‘não, não pode ser’. Eu estava realmente muito animado. Quando eu estava contando a um amigo sobre isso, fiquei um pouco emocionada”, afirmou Ann à BBC.

Bob Kendrick, filho de Ann, foi testemunha da alegria da mãe. “Mamãe estava muito emocionada e feliz. Não foi a primeira coisa que sumiu – ele costumava perder todo tipo de coisa.”

Um retrato do casal mais novo (imagem: Good News Network)

A intenção da idosa é mandar consertar o anel e usar em um colar. Uma forma de homenagear e honrar a memória do seu querido marido. E é indiscutível que se trata de uma atitude linda e inspiradora, digna de um verdadeiro ato de amor sincero.

Histórias parecidas

Essa história inusitada lembra algumas que já contamos aqui no Awebic. Entre elas, a notícia da carta que foi encontrada 24 anos após ser lançada ao mar em uma garrafa. Quem tinha escrito a mensagem, em 1996, foi a escocesa  Joanna Buchan.

A mensagem viajou por cerca de 1.200 km até ser encontrada por Elena Andreassen Haga, em 2020. Assim como o anel do marido de Ann, poderia ter se perdido no mar, sido engolida por um peixe ou se chocado com uma rocha.

Só que, em mais uma obra do destino, seguiu seu rumo até ser encontrada! E não faltam casos parecidos. Em 2018, uma fotógrafa achou, na Austrália, umacarta datada de 1886, ou seja, escrita há cerca 136 anos. É a mensagem mais antiga desse tipo a ser encontrada!

E você, já encontrou algo muito, muito antigo? Se sim, compartilhe com a gente aqui nos comentários como se sentiu!

Fonte: Good News Network

O que você achou? Siga @awebic no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar