Pesquisador húngaro descobre tratamento revolucionário que pode curar a cegueira

Uma notícia de marcante para o rumo das ciências!

Pesquisador húngaro descobre tratamento revolucionário que pode curar a cegueira
Pesquisador húngaro descobre tratamento revolucionário que pode curar a cegueira

Um pesquisador húngaro descobriu um tratamento que pode curar a cegueira. O cientista acabou de vencer o Prêmio Körber de Ciência Europeia, e além da possibilidade de curar milhões de pessoas, ele recebeu uma premiação equivalente a 1 milhão de euros.

Seu nome é Botond Roska e ele trabalha na cidade suíça de Basel. O tratamento descoberto por ele é uma terapia de genes capaz de reprogramar células do olho humano, permitindo que elas realizem o trabalho de receptores sensíveis à luz. O procedimento deve ser capaz de ‘reativar’ os olhos dos cegos.

Segundo Roska, no momento o procedimento consegue criar um nível visão semelhante ao de assistir uma televisão em preto e branco.

Voluntários cegos já estão participando de testes clínicos do procedimento, a pesquisa é uma das mais inovadoras dos últimos anos na área.

A pesquisa de Roska despertou a esperança de que novos métodos de tratamento possam restaurar a capacidade de ver dos cegos”, disse Peter Tschentscher, prefeito de Hamburgo.

O Prêmio Körber de Ciência Europeia é concedido anualmente em uma cerimônia na cidade alemã, ele é voltado para pesquisadores europeus que desenvolvam tratamentos promissores em ciências da vida e ciências físicas.

Roska é filho de um cientista da computação e de uma pianista, ele conta que quase chegou a ser músico. Ele estudou violoncelo na Academia de Música Liszt Ferenc, em Budapeste, no entanto teve de largar a área por conta de uma lesão.

Com isso, Roska se voltou para a medicina e matemática, na última segunda (7), ele alcançou esse prêmio que é um dos principais do mundo no campo científico.

A cegueira atinge 39 milhões de pessoas no mundo

De acordo com dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no ano passado, a estimativa é de que a cegueira atinge cerca de 39 milhões de pessoas em todo o planeta. Além disso, 256 milhões sofrem com a perda parcial ou severa da visão.

No Brasil essa avaliação é um pouco defasada, já que há escassez de informações em diversas regiões do país. Mesmo assim, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) afirma que aproximadamente 1,5 milhão de pessoas são cegas por aqui.

De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), as causas desse mal estão vinculadas às condições econômicas.

Os padrões globais de causas de cegueira diferem substancialmente entre os países, mas é possível associar sua prevalência às condições econômicas e de desenvolvimento humano, já que quase 90% dos casos estão em locais de baixa e média renda”, afirma.

Ainda segundo o Conselho, podemos usar o exemplo da cegueira em decorrência da catarata. Enquanto ela causa a perda de visão em apenas 5% da população nas economias ‘estáveis’, a catarata deixa 50% de cegos nos locais mais pobres do mundo.

A cegueira também está associada à idade, já que pelo menos 82% das pessoas cegas em todo o mundo possuem mais de 50 anos. Além desse fator, o tabagismo, a exposição à radiação ultravioleta, a deficiência de vitamina A e fatores metabólicos, como a diabetes, também costumam causar a cegueira.

Via: Optimist Daily

publicidade