Quer se livrar de um vício? Esses passos te mostrarão como sair dessa!
Quer se livrar de um vício? Esses passos te mostrarão como sair dessa!

Quer se livrar de um vício? Esses passos te mostrarão como sair dessa!

Saiba como não ser mais dependente!

publicidade

Superar um vício pode levar tempo. Alguém com um vício pode ter medo do que acontecerá se não continuar tomando a droga. Alguns não tentarão parar até que sejam forçados, porque parece muito difícil.

Em média, cerca de 10% das pessoas que usam álcool ou outras drogas são dependentes. A taxa é de cerca de 6% para o álcool , cerca de 10% para a cannabis e cerca de 15% para a metanfetamina. Mas, por que é tão complicado parar de usar uma droga?

Não há uma resposta única para essa pergunta.

publicidade

A tentadora solução rápida e fácil para nossos problemas

Um dos aspectos mais complexos da vida psicológica nos tempos modernos é o desafio de controlar sentimentos dolorosos. Tristeza, medo e raiva estão no topo da lista. Depois, há os sentimentos de desamparo, desesperança, insegurança, preocupação e irritabilidade que nos consomem lentamente e nos atormentam.

Algumas pessoas “sortudas” podem suportar sentimentos dolorosos sem muito sofrimento. Por outro lado, outras ficam particularmente angustiadas, devido à biologia ou psicologia de sua genética.

Como os sentimentos perturbadores são péssimos de suportar, há os que, compreensivelmente, querem se livrar deles bem rápido, sem pedir ajuda a outras pessoas.

publicidade

Com um vício, você consegue contornar todas essas questões. Você não precisa esperar. Você não tem de sofrer. É como criar uma “mãe artificial” que irá acolher você de todos os problemas do mundo.

É por isso que é tão difícil desistir de ingerir uma substância viciante.

O álcool e outras drogas chegam ao cérebro através da corrente sanguínea. Uma vez lá, elas afetam como as mensagens são enviadas através do cérebro. As mensagens são enviadas por substâncias químicas chamadas neurotransmissores.

As drogas funcionam de várias maneiras. Eles aumentam ou diminuem a produção de neurotransmissores como dopamina (responsável pela sensação de prazer), noradrenalina (que nos estimula a lutar ou fugir) e serotonina (que regula nosso humor).

A dopamina regula a emoção, motivação e sentimentos de prazer. É o sistema de recompensa do cérebro. Nossos cérebros são programados para garantir a repetição de atividades agradáveis.

Quando fazemos algo agradável, obtemos uma pequena explosão de dopamina, que sinaliza ao cérebro que devemos fazer novamente.

publicidade

O vício é uma doença do cérebro

Seu cérebro é como uma torre de controle, mas, quando uma droga toma o controle, os sinais químicos dentro dele mudam. Isso afeta suas escolhas, suas ações e até mesmo a maneira como você se sente.

Pessoas com dependência perdem o controle sobre suas ações. Eles anseiam e procuram drogas, álcool ou outras substâncias, não importa o custo – mesmo correndo o risco de prejudicar amizades, ferir a família ou perder o emprego. 

O cérebro realmente muda com o vício e é preciso muito trabalho para voltar ao seu estado normal. Quanto mais drogas ou álcool você toma, mais perturbador é para ele.

Como isso muda?

O cérebro é influenciado a continuar o comportamento porque sabe que receberá uma recompensa, a liberação de dopamina (o prazer). À medida que ele se prepara para essa recompensa esperada, torna-se cada vez mais remoto interromper o comportamento.

Quando alguém para de usar uma droga, pode sentir-se muito mal por um tempo. Geralmente há uma necessidade muito forte de tomar a substância novamente. Pode ser muito insuportável parar de tomá-la quando você se sente tão mal e o alívio está perto, ao alcance das mãos.

Grande parte do poder do vício reside em sua capacidade de sequestrar e até mesmo destruir as principais regiões do cérebro que deveriam nos ajudar a sobreviver.

Como identificar um vício?

Quando você está em perigo, um cérebro saudável força seu corpo a reagir rapidamente com medo ou alarme, de forma que você saia do caminho e se proteja.

Mas quando você está se tornando dependente de uma substância, ela sequestra os circuitos de prazer e recompensa do seu cérebro e o induz a querer mais e mais, não importa o quão destrutivo seja.

O uso repetido de drogas pode danificar o centro de tomada de decisão essencial na parte frontal do cérebro. Quando esse centro não está funcionando corretamente, os usuários não podem tomar a decisão de parar de tomar a droga – mesmo que percebam que o preço de tomá-la pode ser extremamente alto, como perder a guarda dos filhos ou acabar na cadeia.

Embora o vício seja uma doença tratável, o indivíduo viciado deve ter um desejo real e motivação para mudar se quiser superá-la. Infelizmente, o desejo de mudar é algo contra o qual muitos adictos lutam.

Os adolescentes são especialmente vulneráveis ​​a um possível vício porque seus cérebros ainda não estão totalmente desenvolvidos, particularmente as regiões frontais, que ajudam no controle dos impulsos e na avaliação dos riscos.

Como se livrar de um vício?

Não é algo que se deva temer.

É semelhante a estar em um hospital, e uma equipe totalmente treinada trabalha 24 horas por dia para garantir que os pacientes recebam a ajuda necessária para superar seus vícios.

Se for um programa residencial, o paciente ficará na clínica durante o tratamento, que normalmente é de seis a oito semanas. Durante este período, ele será tratado com um programa intensivo e concentrado, projetado para lhe dar um trampolim para uma recuperação total.

Como funciona a reabilitação?

Os médicos ajudam a encontrar medicamentos que fazem o adicto se sentir menos doente. Para o vício em certas drogas, há medicamentos que inibem a abstinência. Com isso, torna-se muito mais fácil reaprender a viver de maneira sóbria.

A maioria dos especialistas concorda que aqueles com um vício grave se beneficiam de um programa de internação inicial, pois isso significa que eles serão removidos de suas vidas cotidianas e colocados em um ambiente sem distrações, onde não terão escolha a não ser se concentrar em melhorar.

O tratamento depende em grande parte da gravidade do vício e do indivíduo. Algumas pessoas podem parar de fumar e usar álcool por conta própria. Os casos mais graves podem exigir meses ou mesmo anos de tratamento e acompanhamento, com esforços reais por parte do indivíduo e geralmente abstinência completa da substância depois. 

A melhor aposta para vencer o vício é usar os próprios mecanismos que o causam – trabalhar para religar o cérebro usando nosso comportamento – para nos permitir viver de maneiras mais saudáveis. Esse processo leva tempo e esforço, mas vale a pena.