Refugiados se unem para ajudar vítimas de terremoto na Itália

Dois grupos de refugiados viram voluntários para ajudar vítimas.

publicidade

Duas histórias comoventes surgiram em meio à destruição do terremoto de magnitude 6,2 que atingiu o centro da Itália na madrugada do dia 24 de agosto.

Infelizmente, o número de mortos subiu para 250 mortos, informou a Proteção Civil da Itália.

Equipes de resgate ainda procuram vítimas e grupos de apoio também estão se mobilizando.

publicidade

Entre esses grupos de apoio, se levantaram pessoas que não pensaram duas vezes para ajudar o próximo: os refugiados.

História 1: Gesto de solidariedade

A ajuda veio de um grupo de imigrantes que busca asilo e apesar da própria situação difícil, decidiu doar 2,50 euros, cerca 14% do seu rendimento semanal, para juntar o valor de 187,50 euros para auxiliar as pessoas afetadas pelo terremoto devastador.

Os 75 solicitantes de asilo que vivem no abrigo de Gioiosa Ionica, na região da Calábria, se uniram para doar sua pequena mesada em um gesto simbólico de solidariedade.

publicidade

Alguns dos refugiados que fizeram a doação. Crédito: Gioiosa Ionica/Sprar.

Eles são beneficiários do projeto Sprar (Sistema de Proteção aos Refugiados e Solicitantes de Asilo).

“Obrigado”

O gesto gentil dos solicitantes de asilo é uma maneira de demonstrar gratidão ao país por fazê-los se sentir bem-vindos e retribuir de alguma forma a solidariedade, disse o coordenador do projeto, Giovanni Maiolo ao jornal The Independent.

publicidade

Crédito: Gioiosa Ionica/Sprar

“Eles decidiram desistir de sua mesada, uma pequena quantidade que é garantida para despesas pessoais e direcionar para as vítimas do terremoto.”

A origem dos imigrantes não foi divulgada.

História 2: Unindo forças

O site de notícias independente da Itália ligado à ONU, o ONU Itália, informou que 20 solicitantes de refúgio, quase todos provenientes do Norte de África se ofereceram para ajudar.

Serviços de resgate e emergência carregam sobrevivente em Amatrice no dia 24 de agosto, depois do poderoso terremoto que assolou o centro da Itália. Crédito: Filippo Monteforte/AFP/ Getty Images.

Os refugiados partiram do albergue em que viviam em Monteprandone, para apoiar as atividades da Proteção Civil em Amandola, uma das vilas da região de Marche atingida pelo terremoto.

Membros da equipe de resgate caminham sobre os escombros depois do terremoto em Amatrice. Crédito: Stefano Rellandini/Reuters.

“Eles pediram para ajudar em um momento trágico para o país que está abrigando-os”, disse Paolo Bernabucci, do Grupo de Solidariedade Humana (GUS na sigla em italiano). A organização atende milhares de solicitantes de refúgio todos os anos no país.

“Cena apocalíptica”

Essa é a constatação do prefeito de Arquata (Província de Ascoli Piceno), Aleandro Petrucci: “É um desastre. Acho que vou chorar. Eu nunca vi uma cena tão apocalíptica”, disse ele ao The Independent.

Um homem resgatado ainda vivo dos escombros em Amatrice no dia 24 de agosto. Crédito: Remo Casilli/Reuters.

Um novo tremor de 4,3 graus causou mais desabamentos em Amatrice, na tarde desta quinta-feira, 25 de agosto. O terremoto aconteceu as 14h36 (horário local, 9h36 em Brasília).

Esta foto aérea mostra os danos sofridos pela cidade de matrice, logo após o terremoto no dia 24 de agosto. O prefeito Sergio Pirozzi chegou a dizer que “metade da cidade não existe mais”, informou o NY Times. Crédito: Gregorio Borgia/Associated Press.

Mais do que nunca, toda ajuda é bem-vinda.

Como ajudar?

Se você estiver na Itália:

Doação de Sangue em hemocentros ou hospitais perto ou nas regiões afetadas. AVIS, a principal organização de doação de sangue na Itália fez um apelo urgente pela doação – especialmente aos moradores de Roma, que não foram atingidos diretamente, mas estão perto da área impactada.

Doação de alimentos não perecíveis e artigos de cuidados básicos em locais listados. Lista aqui.

Cruz Vermelha italiana, o Conselho Nacional Italiano de Geólogos e a região do Lazio solicitaram aos moradores que desativem as senhas do Wi-Fi para dar aos trabalhadores humanitários acesso mais confiável para a comunicação.

Se você estiver fora da Itália:

Pode fazer doações à Cruz Vermelha italianauma das primeiras organizações a responder as áreas impactadas e buscar vítimas nos escombros. Locais podem doar aqui.

Doações para a organização sem fins lucrativos Global Giving, que irá distribuir doações para organizações locais que fornecem itens essenciais aos sobreviventes, como alimentos, água e medicamentos, além de necessidades de recuperação de longo prazo. Doe aqui.

Grupo de Resgate Animal International (OIPA ) tem enviado voluntários para as áreas impactadas para salvar animais das ruínas, além de tratar os que foram salvos e oferecer abrigo temporário. Para doar, clique aqui.

Doação para o Save the Children que está trabalhando em Amatrice para criar espaços seguros e dar suporte aos centros para crianças.

Doação para o National Italian American Foundation (NIAF) que também está apoiando os resgates e operações de cuidado de longo prazo.

Você também pode ajudar espalhando esta mensagem para seus amigos. Compartilhe!

Fontes: uol.com.br, independent.co.uk, metro.co.uk, onuitalia.com, metro.co.uk, usatoday.com, mashable.com, cnn.com, ibtimes.com, terra.com.br, nytimes.com.