Casamento em crise? Conheça as melhores táticas para conviver bem com seu par
Casamento em crise? Conheça as melhores táticas para conviver bem com seu par

Casamento em crise? Conheça as melhores táticas para conviver bem com seu par

Saiba como cuidar de sua relação com a pessoa mais importante da sua vida!

publicidade

Você acha possível prever se um casamento vai funcionar?

Essa questão assolou durante algum tempo o terapeuta John Gottman, que mais tarde criou, junto com sua esposa, Julie, um método capaz de identificar se um relacionamento vai ou não funcionar a longo prazo.

Esse método ficou mundialmente conhecido por acertar a previsão em 90% dos casos!

publicidade

Segundo o casal Gottman, que é um exemplo de harmonia conjugal, é o estilo de comunicação entre os parceiros que determina qual será a longevidade da relação.

Isso foi detectado ao longo de estudos mantidos por décadas, nos quais eles observaram, em laboratório, a forma como diversos casais dialogavam (ou discutiam, ou então simplesmente não dialogavam).

Eles perceberam que quatro fatores são responsáveis por minar o casamento e os chamaram de “Quatro Cavaleiros do Apocalipse“. É uma metáfora bíblica que atinge todos os públicos – todos rapidamente compreendem que esses quatro elementos são o fim de uma relação que tinha tudo para dar certo. Você os conhecerá a seguir.

publicidade

Fique de olho no último deles, que é o mais destrutivo de todos!

“Algumas pessoas abandonam o casamento literalmente, divorciando-se. Outras fazem isso levando vidas paralelas juntos.” (John Gottman, em The Seven Principles for Making Marriage Work)

1- Crítica

A Crítica é o primeiro dos cavaleiros. Ela aparece não quando você dá uma simples opinião sobre algo, mas quando você investe contra o caráter do seu parceiro. Quando você, em vez de focar o que ele fez de errado, culpabiliza toda a pessoa dele pelo erro cometido.

É claro que você pode reclamar quando se sentir atacado ou ofendido, porém tome cuidado para não se tornar destrutivo para o outro. Mostre como são os seus sentimentos e suas sensações e não parta para o ataque verbal. As palavras ditas não podem ser retiradas e esquecidas.

Mesmo que seu parceiro seja também alguém muito crítico, vocês podem consertar isso, desde que consigam parar e identificar quando a crítica está tornando as coisas muito piores do que devem ser. Tenha em mente que ela abre caminho para os outros cavaleiros que você verá abaixo.

2- Defensividade

Depois das críticas, é muito comum que surja a Defensividade. Esse é um outro termo para quando nos sentimos vítimas das circunstâncias e recorremos a desculpas para justificar nossas atitudes. É também uma tática de manipulação – ao “escorregar” de temas espinhosos, fazemos com que nosso parceiro recue.

publicidade

Essa estratégia ainda pode aparecer quando existe o desejo de “virar a mesa” e pode ser extremamente cáustica se o outro decidir não recuar e quiser revidar o seu ataque. Isso porque, embora não pareça, a defensividade é uma forma de atacar, só que não diretamente. Muitos a chamam de passivo-agressividade.

3- Silêncio

Ao ouvir muitas reclamações, uma de nossas reações pode ser a de apenas fingir que não estamos escutando. Essa parece uma ação inofensiva, quase uma não ação, porém a ausência de resposta já é uma resposta: você está escolhendo não responder. O Silêncio é uma decisão.

Ao ficar calado, você ergue um muro entre seu ponto de vista e o da outra pessoa. A comunicação para e o distanciamento surge. Se prolongado, o silêncio acaba com a intimidade entre o casal, que deixa de compartilhar as pequenas alegrias e tristezas do dia a dia em nome de manter as aparências.

4- Desprezo

O Desprezo é o mais destrutivo de todos os cavaleiros. Por quê? Porque ele significa:  “Eu sou melhor do que você. Eu não o respeito”. A ironia e o sarcasmo são formas de desprezo, assim como a hostilidade e os xingamentos.

Quando o desprezo começa a dominar o seu relacionamento, você tende a esquecer inteiramente as qualidades positivas do seu parceiro, pelo menos enquanto está se sentindo chateado. Você não consegue se lembrar de uma única qualidade ou ato positivo. Essa queda imediata da admiração é uma razão importante pela qual o desprezo deve ser banido das interações conjugais.” (John Gottman, em Why Marriages Succeed or Fail)

A amizade alimenta as chamas do romance porque oferece a melhor proteção contra o sentimento de que seu cônjuge é um adversário.” (John Gottman, em The Seven Principles for Making Marriage Work)

E o que podemos fazer para ter um casamento mais feliz?

Para casais que já estão em uma profunda crise, John e Julie Gottman desenvolveram práticas especiais que se revelaram produtivas para recuperar um relacionamento. Elas foram criadas para desarmar conflitos de comunicação e aumentar o respeito, a empatia e a compreensão.

As dicas deles são:

  1. Conheça melhor o seu parceiro.
  2. Compartilhe carinho e admiração.
  3. Declare suas necessidades.
  4. Mantenha a perspectiva positiva.
  5. Nutra um diálogo honesto.
  6. Compreenda o que o liga ao seu parceiro.
  7. Aja em prol não só dos seus interesses, mas dos do outro.
  8. Valorize as qualidades e seja grato.
  9. Não compare seu parceiro com outros parceiros reais ou imaginários.

“A escuta ativa pede aos casais que façam ginástica emocional de nível olímpico, mesmo que seu relacionamento mal consiga andar.” (John Gottman, em The Seven Principles for Making Marriage Work)

Mesmo casais no nível de conflito “normal” podem se beneficiar do método de terapia de casal de Gottman. O objetivo do método é ajudar casais a construir relacionamentos mais fortes e mais saudáveis para que os parceiros lidem com problemas futuros.

Ser capaz de identificar os quatro cavaleiros em suas discussões é o primeiro passo para eliminá-los, mas apenas isso não é suficiente. Para evitar padrões de comunicação perturbadores, você deve substituí-los por padrões saudáveis ​​e eficazes.

Felizmente, todas as pesquisas demonstraram que ter comportamentos positivos pode eliminar as emoções negativas!

“A questão é que as neuroses não precisam arruinar um casamento. Se vocês puderem acomodar o lado ‘louco’ um do outro e lidar com isso com carinho, afeto e respeito, seu casamento pode prosperar.” (John Gottman, em The Seven Principles for Making Marriage Work)