Família doa cobertor para jornalista que estava ao vivo sob -7ºC

Que amor!

Família doa cobertor para jornalista que estava ao vivo sob -7ºC
50 mensagens do Dia dos Pais para emocionar seu herói

Ainda ontem, um repórter de Santa Catarina foi surpreendido por um geste bastante nobre, enquanto estava fazendo uma reportagem ao vivo no meio de uma praça.

Douglas Márcio, que é jornalista da NSC TV, estava trabalhando na Serra catarinense, cidade de Urupema, quando os termômetros estavam a registrar -7ºC.

Como você pode saber, algumas cidades do sul do nosso país estão passando por uma grande onde de frio intenso e em algumas delas, até neve etá caindo.

Nessa última quinta-feira, o município de Bom Jardim da Serra conseguiu registrar a menor temperatura do ano, quando às 4h, os termômetros marcaram -8,6ºC.

Quando ainda estava dentro do carro, antes da reportagem começar, Douglas chegou a confessar que já estava sentindo um frio muito grande, mas logo logo precisaria sair dali.

Ao chegar no momento em que apareceu ao vivo, o jornalista chegou a se justificar por estar aparecendo de toca e enrolado em um cobertor enquanto dava as notícias:

“O cobertor me encontrou. Uma família de Joinville ficou com pena de mim, me emprestou o cobertor. Aceitei na hora, porque está muito frio. Nunca senti nada parecido”.

Além de ser repórter da NSC TV, Douglas também é técnico em meteorologia e conta que embora todo mundo tenha se preparado para aquele momento:

“Eu trouxe muita roupa, mas o vento traz uma sensação congelante. O vento é cortante”, confessou o repórter sobre o momento em que estava ao vivo.”

Família doa cobertor para jornalista que estava ao vivo sob -7ºC
Família doa cobertor para jornalista que estava ao vivo sob -7ºC

Uma família que merece todo o nosso carinho

Quando contou sobre o momento, Douglas disse que já estava dando uns pulinhos quando saiu do carro para tentar fazer com que o seu corpo esquentasse um pouco mais. Foi quando a família o viu.

Eles estavam distribuindo alguns lençóis pela praça e um dos garotinhos que acompanhava a família se dirigiu até ele para fazer o gesto de bondade, como contou:

“Eu estava com muito frio, dando uns pulinhos no meio da praça. Depois, o menino, Lorenzo o nome dele, bateu no vidro [do carro] e falou: ‘oh, pra ti. Pode ficar’. Eu aceitei, meio sem reação na hora. Me enrolei no cobertor e quando fui fazer ao vivo, foi com cobertor mesmo porque ficou melhor, mais suportável”.

Embora não haja mais previsões de neve em Santa Catarina, é previsto que o frio siga ainda nos dias seguintes. Requerendo então dos moradores, que se ajudem em um período que pode ser devastador para quem não consegue se aquecer.