Molécula que pode combater o câncer é descoberta por cientistas brasileiros

Esperança de salvar inúmeras vidas!

Molécula que pode combater o câncer é descoberta por cientistas brasileiros
Molécula que pode combater o câncer é descoberta por cientistas brasileiros

Nossos cientistas não cansam de encher o Brasil de orgulho! A novidade agora é a descoberta de uma molécula de cobre com propriedades que combatem as células do câncer.

Uma pesquisa promissora com potencial para revolucionar o tratamento da doença e ajudar a salvar inúmeras vidas. Não só no nosso país, mas no mundo todo!

O estudo foi conduzido pelos pesquisadores Pedro Henrique Alves Machado, Robson José de Oliveira Júnior,  Wendell Guerra e Luiz Ricardo Goulart, da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em Minas Gerais. Os testes foram realizados em camundongos e tiveram resultados muito positivos.

Te interessa?

Hoje, o tratamento da doença é feito principalmente por meio da quimioterapia. Um método comprovadamente eficaz e seguro, mas que também acaba afetando as células saudáveis da pessoa e trazendo fortes efeitos colaterais. O objetivo dos pesquisadores é justamente atingir apenas as células com câncer e preservar as demais.

Pedro Henrique Alves Machado, aluno de doutorado do Programa de Pós Graduação em Genética e Bioquímica da Federal de Uberlândia (Foto: Arquivo pessoal)

Com isso, é possível diminuir os efeitos colaterais da quimioterapia e aumentar as chances de cura de cada paciente.

A pesquisa foi publicada na conceituada revista científica internacional Scientific Reports, do grupo Nature, e está ganhando cada vez mais visibilidade, tanto nos meios acadêmicos como na imprensa em geral.

Em entrevista publicada no portal G1, o pesquisador Pedro Henrique Machado comemorou a conquista:

“Sabemos que a revista tem extremo rigor quanto à qualidade dos trabalhos que são publicados nela. Sendo assim, fico feliz por saber que o trabalho atingiu esse padrão”


O estudo agora vai para a segunda fase, que deve durar cerca de dois anos. Nessa nova etapa, a molécula será colocada dentro de pequenas cápsulas – que os pesquisadores chamam de “nanocápsulas” – e liberada diretamente nas células de câncer.

“Estudaremos se a ação dele e seletividade será melhorada e, caso as nanocápsulas não forem tóxicas e aumentarem a toxicidade direcionada somente às células tumorais, a fase pode durar aproximadamente dois anos”, explicou Pedro Henrique Machado.

Ciência brasileira fazendo bonito

A gente viu a importância dos cientistas brasileiros no desenvolvimento e testes de vacinas e é sempre muito bom saber de pesquisas pioneiras no nosso país. Não só em relação à Covid-19, mas também em outras doenças.

Quando uma notícia como essa é divulgada, aumenta a esperança de avançarmos na ciência, encontrarmos novas possibilidade de cura e salvarmos vidas de crianças, jovens, adultos e idosos.


Nossa gratidão a todos que se dedicam a essa nobre missão diária. O que não falta no Brasil são pesquisadores talentosos, inovadores e dispostos a chegar a lugares onde nenhum cientista chegou ainda.

Estamos na torcida desde já para que os estudos dessa nova molécula avancem e tenhamos mais um importante aliado no combate ao câncer.

O que você achou? Siga @awebic no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar