Pai solo consegue adotar bebê depois de esperar 4 anos

Uma atitude inspiradora!

Pai solo consegue adotar bebê depois de esperar 4 anos
Pai solo consegue adotar bebê depois de esperar 4 anos

Ser pai era uma coisa que o Wellington Corrêa, de 46 anos, sempre quis. Atuando como servidor público, passou os últimos anos se adaptando para conseguir amadurecer e ser um pai que pudesse criar seu filho sozinho.

E agora, depois de passar quatro anos esperando a tão aguardada aprovação, ele conseguiu a guarda provisória de uma bebê de 3 meses. Logo em seguida, a licença paternidade também, para poder ficar bem perto da filha.

“Isso sempre foi muito formado na minha cabeça desde meus 20 anos. Na época, vi que não tinha maturidade, estrutura física e financeira para isso, mas amadurecendo a ideia e me preparando para entrar com o processo de adoção e finalmente esse tempo chegou”, contou ele.

Te interessa?

Pai solo consegue adotar bebê depois de esperar 4 anos
Pai solo consegue adotar bebê depois de esperar 4 anos

O processo para se preparar não foi nem um pouco fácil. Depois de fazer o envio de todas as documentações para entrar na lista de espera, o servidor não parou por aí e resolveu continuar se preparando para ser um bom pai.

Logo em seguida, participou de um curso oferecido pela Associação Mato-grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (Ampara) para aprender tudo o que precisava acerca do bem estar de uma criança.

 

Pai solo consegue adotar bebê depois de esperar 4 anosUma inspiração para os outros pais

E de fato, todos os esforços que fez para finalmente conseguir a guarda da Ana, os acompanhamentos psicológicos, trabalhos, questões financeiras estáveis, tudo implica no papel que só um grande pai consegue fazer. E contou mais:

“Foi uma surpresa quando soube que poderia ser pai de uma bebê. No processo de habilitação informei que queria uma criança de até 5 anos, pois desejava estar perto nesse período da infância. Mas, quando fui conhecer a Ana, senti algo que não dá para explicar. Senti que era a minha vez”.

Em outras palavras, o Wellington é um verdadeiro exemplo de pai que se preocupa em ser o melhor para os seus filhos e cuidar de tudo o que eles precisam em cada fase.

Pai solo consegue adotar bebê depois de esperar 4 anos

Ele teve a primeira licença paternidade concedida pelo TJMT

“Pedi dois dias para o juiz para poder me organizar e comprar as coisas para ela. Foi uma correria. Algumas amigas e mães me deram dicas valiosas, pois pai de primeira viagem e ainda solteiro não tem a mínima noção do que comprar”.

Para ele, o momento está sendo uma das coisas mais maravilhosas de sua vida. Recebendo o apoio da família, os cuidados com a filha está sendo a felicidade mais esperada e o grande sonho realizado.

E garantiu: “Minha vida mudou completamente. É um cansaço prazeroso. Estou muito feliz e realizado”.

Fonte: G1

Veja mais ›
Fechar