Essas são 12 regras básicas que toda mãe deveria impor em casa!
Essas são 12 regras básicas que toda mãe deveria impor em casa!

Essas são 12 regras básicas que toda mãe deveria impor em casa!

Vamos mudar?

publicidade

É importante criar um conjunto claro de regras domésticas para que seus filhos saibam o que é permitido e que tipo de comportamento está fora dos limites.

Embora sua irmã possa permitir que os filhos pulem nos móveis, você pode decidir que isso não pode acontecer na sua casa.

Ou talvez as crianças possam bater nas panelas e frigideiras da sua cozinha, mas na casa da vovó isso é proibido. Estabelecer regras claras é uma maneira simples de reduzir problemas de comportamento.

publicidade

As crianças precisam de regras suficientes para se sentirem seguras e protegidas. Por outro lado, se você der a elas muitas regras, poderá sufocar seu desenvolvimento.

Por que criar regras para as crianças em casa?

As regras familiares ajudam a oferecer uma estrutura para que seus filhos amadureçam. Elas são uma declaração específica e clara sobre os comportamentos que você espera de seu filho.

Funcionam melhor quando há consistência, previsibilidade e acompanhamento. As regras familiares ajudam as crianças a entender quais comportamentos são bons ou não.

publicidade

Conforme as crianças crescem, elas estarão em lugares onde devem seguir regras. Seguir as regras em casa ajuda as crianças a aprender a seguir as regras em outros lugares.

Entretanto, é normal que as crianças quebrem as regras e testem os limites.

Explicar consistentemente as consequências de quando as regras são quebradas ajudará seu filho a ter um entendimento claro sobre a importância de segui-las.

Não seja rígida demais

Lembre-se de que às vezes as crianças quebram as regras porque simplesmente esquecem ou não as entenderam direito.

Nem todas as regras quebradas ocorrem porque as crianças estão testando os seus limites. Porém, nossas respostas devem ser as mesmas, não importa o motivo da violação da regra.

publicidade

É preciso equilibrar contexto, justiça e compreensão.

Regra 1: Peça permissão.

É preciso perguntar antes de tocar em alguém, e quando esse alguém diz para parar, deve-se parar. Como ensinar isso corretamente? Fazendo cócegas.

O riso automático não reflete automaticamente que o toque é prazeroso. Depois de começar, pergunte se seu filho quer mais. Eles dirão se sim.

Explique que é por isso que devemos perguntar antes de fazer algo que pode incomodar alguém.

Regra 2:  Não interrompa.

As crianças acreditam em duas coisas: uma, que você está sempre disponível. E dois: que as necessidades delas são primordiais.

Frequentemente, elas se aglutinam quando você está ao telefone ou em uma chamada de Zoom.

Quando isso acontecer, diga: “Espere um segundo” e, em seguida, “Muito obrigado por esperar”, com toda a sinceridade.

Regra 3: Dê soluções para os problemas que causou.

Acidentes acontecem. Em vez de perguntar “Por que você continua fazendo isso?” a melhor resposta é: “Uau, veja o que você fez. O que faremos a seguir?”.

Deixe a criança completar.

De acordo com esta regra, seu filho deve aprender a ser engenhoso e criativo, o que não será um problema posterior.

Regra 4: Limpe sua bagunça.

As crianças não desejam guardar as coisas, mas fazem isso como forma de aplacar suas ansiedades.

Quando isso acontecer, em uma voz calma, diga: “Vou deixar isso para você, mas se você decidir não fazer isso, não posso falar com você agora”.

Ela eventualmente limpará a bagunça, pois temerá perder o vínculo com você.

Regra 5: Desprezo não é permitido.

Desprezo nunca fez ninguém se sentir melhor.

Basta perguntar ao seu filho: “Você está bem?”. Assuma uma postura de curiosidade, sem gritar.

Se a criança for irônica, responda “Isso realmente não funciona” e mantenha a calma.

A chave é não ser reativa.

Regra 6: Reflita sobre suas atitudes.

Se seu filho joga um brinquedo na parede, em vez de perguntar “Mas que diabos?”, simplesmente pergunte com naturalidade: “Por que você decidiu fazer isso?”.

Você fará com que ele perceba que tem escolhas, algo que as crianças não percebem sozinhas.

Regra 7: Obrigações primeiro, brincadeiras depois.

É assim que o mundo funciona. Você fará um grande favor ao seu filho se ensinar isso o quanto antes.

Ensine que você faz o trabalho e depois recebe a recompensa. Primeiro o trabalho, depois o salário.

Regra 8: Se quiser gritar, acalme-se.

Nada pode ser discutido se as pessoas estão enlouquecendo.

Quando as coisas estão saindo do controle, é preciso parar por uma fração de segundo antes de dizer ou fazer qualquer coisa.

Torne isso um jogo. Brinque de estátua – assim, as crianças aprenderão a “congelar”.

Regra 9: Ajude nas tarefas domésticas.

Como o ambiente é compartilhado, não basta apenas limpar a própria bagunça.

Ensine seu filho a compartilhar as tarefas de limpeza; um pode passar o aspirador, outro pode lavar a louça e os demais podem trocar os lençóis ou lavar roupa.

Regra 10: Mantenha a higiene.

A higiene começa em casa.

Praticar essas regras de higiene ajudará seus filhos a se manterem seguros em sua vida diária:

  • Diga a eles para lavar as mãos antes e depois de comer e depois de usar o banheiro.
  • Mantenha um desinfetante para as mãos enquanto viaja e deixe seus filhos carregarem um para a escola.
  • Eles podem usar o desinfetante antes de comer o lanche e o almoço.
  • Ensine seus filhos a cobrirem o nariz e a boca ao espirrarem ou tossirem.
  • Estimule-os a limpar as lixeiras e a dar descarga após o uso do vaso sanitário.

Regra 11: Seja educado.

Lembre-os de falar educadamente, quer seja com familiares ou pessoas de fora.

Pode ser difícil falar baixinho quando se está com raiva.  Ensine a seus filhos maneiras melhores de lidar com a raiva e a frustração, como contar até dez ou respirar profundamente.

Regra 12: Faça as refeições com a família.

Comer junto, como uma família, ajuda a criar laços e compartilhar experiências uns com os outros.

Certifique-se de que a televisão está desligada enquanto vocês estiverem comendo e que os celulares estão longe da mesa.

Instrua seus filhos a se concentrarem em mastigar bem a comida e não brincarem enquanto comem.

Por fim: seja um bom exemplo

Suas regras domésticas devem ser regras que todos seguem – incluindo você. Portanto, não inclua regras que você não planeja seguir!

Se você for incluir uma regra na lista, esteja preparado para aplicá-la.