SENSÍVEL vs DEFENSIVO: existe um grande abismo entre os dois!

Saiba qual é a diferença entre uma pessoa sensível e uma pessoa defensiva!

SENSÍVEL vs DEFENSIVO: existe um grande abismo entre os dois!

Você qual é a diferença de uma pessoa sensível e uma pessoa defensiva? Confira aqui quais são as três distinções que esclarecem o que é ser sensível versus o que é ser defensivo em um relacionamento.

As pessoas costumam se referir a um indivíduo em sua vida como “sensível”. No entanto, há uma grande diferença entre sensibilidade e uma atitude defensiva. 

Um indivíduo verdadeiramente sensível é tipicamente uma pessoa consciente e plena dos sentimentos e emoções dos outros. 

Carinhoso(a), essa pessoa tende a estar em sintonia com aqueles de quem é mais próximo e frequentemente tenta compreender e ter empatia. 

Esse tipo de pessoa é muitas vezes sensível a críticas, severo consigo mesmo e tende a levar as coisas a sério.

Mas por outro lado, uma pessoa que é sensível de uma forma temperamental, geralmente fica na defensiva em relação às ameaças ao seu próprio ego. 

Com sua hipervigilante em proteger sua própria autoestima , essa pessoa muitas vezes, inconscientemente, desvia responsabilidade e projetos injustos para culpar outras pessoas para escapar do desconforto interno. 

diferença-pessoa-sensível-defensiva

Essa hipersensibilidade dessa pessoas geralmente resulta em egocentrismo nos relacionamentos porque ele ou ela está preocupado com suas próprias necessidades e emoções.

Embora essas dinâmicas sejam intangíveis e difíceis de classificar, três tendências relacionais podem ajudar uma pessoa a discernir um indivíduo sensível de outro defensivo.

Como identificar a diferença entre uma pessoa sensível de uma defensiva?

Uma pessoa que é fortemente defensiva pode parecer se importar profundamente, mas frequentemente se concentra em atividades que alimentam seu próprio ego

Veja a seguir um com exemplo disso. Ana gasta muito do seu tempo e dinheiro garantindo que seu filho se torne um ótimo patinador no gelo. Isso parece altruísta até que a criança fica aquém das expectativas de Ana. 

Irritada, Ana ataca a criança e a rejeita emocionalmente. Com isso, a criança fica sozinha com sua decepção e a vergonha adicional que Ana inflige. A patinação no gelo tem mais a ver com Ana alimentando seu próprio ego do que com a pequena criança. 

Como as deficiências da criança ameaçam o ego de Ana, ela retalia a criança, castigando-a por ela  ter falhado e constrangendo Ana.

Agora, finja que Ana é sensível e menos defensiva. Entendeu? Ela pode gastar uma quantidade igual de energia ajudando seu próprio filho a ter sucesso na patinação no gelo, mas também atende às necessidades emocionais da criança. 

diferença-pessoa-sensível-defensiva

Oferecendo compreensão, segurança e encorajamento, Ana é verdadeiramente sensível à decepção da criança e a coloca em primeiro lugar.

Já uma pessoa defensiva também tende a não ter autoconsciência. Devido a uma estrutura defensiva abrangente, esse indivíduo desvia as emoções incômodas que sobrecarregam sua frágil autoestima. 

São os sentimentos difíceis, isso permite que uma pessoa olhe para si mesma , mantenha-se responsável em um relacionamento e sinta pelos outros.

Uma estrutura defensiva maciça às vezes age como um campo de força, protegendo um núcleo fraco. Isso já aconteceu com você? 

Por causa desse escudo, uma pessoa pode ter menos acesso aos seus sentimentos profundos.

Em vez disso, esse tipo de  pessoa permanece na superfície, emocionalmente, incapaz de acessar recursos relacionais sofisticados, como empatia , responsabilidade e autoconsciência.

Como identificar uma pessoa verdadeiramente sensível?

Digamos que João se refere, de brincadeira, a sua parceira, Júlia, como “uma grande idiota” em um jantar em família. 

diferença-pessoa-sensível-defensiva

Após o jantar, Júlia menciona o comentário e diz que a magoou. Indignado por Júlia o estar desafiando, João desvia a responsabilidade e desculpa seu comentário como uma piada. 

Em seguida, ele acusa Júlia de continuamente precisar iniciar um drama. Ele pergunta: “Por que você não pode simplesmente ser feliz?” Sistematicamente, João desvia a responsabilidade e projeta a culpa para Júlia. Isso acontece muito, não é mesmo? 

Ele não tem a capacidade de olhar para si mesmo, assumir o controle e sentir empatia por Júlia.

Mas por outro lado, suponha que João seja uma pessoa sensível. Ele imediatamente reflete sobre seu comportamento e percebe que envergonhou e magoou sua amada Júlia. 

Ele genuinamente se desculpa e continua a refletir. Depois de algum tempo, João percebe que está se sentindo extraordinariamente inadequado no trabalho. Preterido por várias promoções, João se sente um “grande idiota”. 

João reconhece que a discussão durante o jantar em família se assemelhou às discussões no trabalho. Suas inseguranças foram acionadas e para se sentir seguro, ele menosprezou Júlia.

Com isso, João experimenta intenso remorso e sem desculpar ou justificar seu comentário, ele se abre para Júlia sobre suas inseguranças profissionais. 

Júlia entende mais sobre João e oferece empatia e confiança. João jura abster-se de desvalorizar Júlia novamente e mantém sua palavra. 

Ele continua a discutir seus problemas de trabalho com Júlia e se sente cada vez mais apoiado e seguro.

Uma pessoa verdadeiramente sensível geralmente é bastante autoconsciente em contato com suas próprias emoções

diferença-pessoa-sensível-defensiva

A percepção que esse tipo de  pessoa obtém da autorreflexão e do autoexame permite que ela ganhe empatia pelos outros e por si mesma. Entendeu com funciona?

Como identificar uma pessoa anormalmente defensiva?

Uma pessoa anormalmente defensiva muitas vezes oscila de herói para vítima. Trocar entre as duas posições permite a esse tipo de  pessoa a satisfação do ego e uma desculpa para escapar da responsabilidade por seus erros em um relacionamento.

Como por exemplo, Maria ajuda Beatriz a lançar seu empreendimento. Maria ajuda em vários aspectos do negócio. 

Beatriz agradece a ajuda de Maria e a oferece um jantar bem caro. Durante o jantar, Beatriz deu a Maria um vale-presente considerável como um “obrigado”. 

Mesmo assim, Maria continua entrando em contato com os funcionários de Beatriz para fornecer conselhos sobre o negócio. Em várias ocasiões, os funcionários ignoraram as instruções de Beatriz e seguiram as ordens de Maria. 

Chateada por ter sido prejudicada, Beatriz expressa gratidão pela ajuda de Maria, mas pede educadamente que ela não entre em contato com seus funcionários. 

Em resposta dessa atitude, Maria chora e diz que não consegue acreditar que está sendo tratada tão cruelmente depois de ajudar Beatriz com o negócio. 

Ela sai furiosa e entra em contato com os funcionários de Beatriz naquela noite, se passando por vítima e distorcendo a interação para enquadrar Beatriz como um agressor brutal.

diferença-pessoa-sensível-defensiva

No entanto, se Maria é uma pessoa sensível, ela pode se machucar, mas, após uma autorreflexão, entende que seus comportamentos são inadequados. 

Ela se desculpa com Beatriz e promete evitar miná-la no futuro. As duas continuam boas amigas e logo Beatriz está ajudando Maria em alguns aspectos de seu negócio.

Por isso, tome cuidado! Uma pessoa que oscila entre ser o herói e a vítima pode ser rigidamente defensiva. 

Ser o herói aumenta a imagem pública de um indivíduo e permite que ele use boas ações como uma alavanca para controlar. 

Posicionar-se como vítima permite que uma pessoa transfira a culpa para outra pessoa e evite a responsabilidade.

Mecanismo de defesa

Embora os mecanismos de defesa sejam universais e necessários, uma pessoa que tem essas tendências consistentes apresentadas anteriormente, são pessoas que mantêm um foco abrangente nas atividades que alimentam o status de alguém, carece de autoconsciência e tem uma necessidade constante de ser o herói ou a vítima, pode ser extremamente defensivo.

Por isso, uma pessoa sinceramente sensível pode cometer erros ocasionalmente e ter alguns momentos egoístas, mas geralmente é capaz de dar os passos em falso, ter empatia pelos entes queridos e manter a autoconsciência para consertar as brechas em um relacionamento.

publicidade