USP bate recorde de novos alunos que vieram de escolas públicas

Que esse número esteja em constante aumento!

USP bate recorde de novos alunos que vieram de escolas públicas
USP bate recorde de novos alunos que vieram de escolas públicas

Não podemos negar que falar sobre educação é mesmo um assunto muito delicado. Mas um marco aconteceu esse ano e não poderíamos deixar de expressar nossa gratidão por estarmos vendo mudanças acontecerem.

Ainda que seja um número baixo, desde que a Universidade de São Paulo, a USP, passou a analisar os números de onde vem os seus novos alunos, que conseguiram comprovar uma taxa crescente de jovens que vieram de escolas públicas.

Além de ser uma das universidades mais procuradas do nosso país, a sua forma de ingresso também é considerada uma das mais difíceis também. Ou seja, é preciso mais que dedicação “básica”.

As provas aplicadas pela Fuvest chega bem perto do grau de dificuldade com o ITA – Instituto Tecnológico da Aeronáutica, que é o mais difícil do Brasil.

E desde 1995 que o percentual de novos alunos que estudaram em escolas da rede pública só cresce – ainda que sejam números poucos de ano em ano – e esse ano as coisas se mostraram ainda mais inspiradoras para os futuros ingressantes.

Em 2015, a porcentagem desses alunos era de cerca de 35,1%. No vestibular de 2018 essa porcentagem aumentou para 43%. Já nesse ano, mais que a metade dos novos alunos foram alunos da rede pública.

De acordo com a reitoria da USP, ultrapassando a metade, 51,7% foram alunos que estudaram em escolas que são do Governo e 10.992 vagas foram preenchidas somente esse ano.

USP bate recorde de novos alunos que vieram de escolas públicas

Ao falar sobre os números marcantes, o reitor da USP, professor Vahan Agopyan, concorda com nossa alegria em saber que isso é muito importante para os nossos jovens e disse mais:

“Essa inclusão tem sido extremamente significativa para a universidade se enriquecer mais e interagir ainda mais com a sociedade. Essa é uma tarefa muito importante: dar oportunidade a esses jovens, que são muito talentosos.”

O avanço para uma nova história

Não podemos negar que nunca houve um número tão alto de novas faculdades e universidades em todo o nosso país. Mas sabemos ainda que os custos para se manter em uma graduação também não é baixo.

Além de precisar pagar as mensalidades e os demais custos que um curso exige, ainda há tudo o que cerca um aluno que precisa se locomover e manter-se às necessidades no avançar dos períodos.

E isso também é algo que preocupa até mesmo dentro das universidades públicas, já que grande parte desses novos alunos fazem parte de famílias que são de baixa renda. Os investimentos são quase indispensáveis!

Por isso ficamos felizes com as mudanças estarem acontecendo – ainda que sejam poucas, o caminho é este – e esperamos tanto novas formas de inclusão para esses estudantes.

Não é fácil, muitos investimentos são necessários para dar continuidade com os estudos, independente dos cursos e precisamos acolher os nossos jovens, são nosso futuro!

Fonte: CNN

publicidade