Conheça as 10 vacinas que TRANSFORMARAM a humanidade!
Conheça as 10 vacinas que TRANSFORMARAM a humanidade!

Conheça as 10 vacinas que transformaram a humanidade!

Veja quais foram as vacinas que marcaram a história da humanidade em tempos de pandemias!

publicidade

Os avanços da tecnologia e os esforços dos cientistas no desenvolvimento de vacinas contra o novo coronavírus e a COVID-19 poderão resultar em grandes contribuições para a saúde mundial.

Veja a seguir a história de como surgiram outras vacinas que acabam com epidemias de outras doenças ao redor do mundo. 

1 – Vacina contra a Varíola

A primeira vacina que mudou a área da saúde foi criada em 1796 pelo médico inglês Edward Jenner. 

publicidade

O médico usou um método para combater a varíola e que nos dias de hoje parece rudimentar, mas que revolucionou a história da medicina. 

A vacina possibilitou a imunização contra o vírus, a técnica envolvia retirar o pus de uma ferida de alguém infectado com varíola e “enxertar” na pele de outra pessoa.

2 – Vacina contra a Difteria

A difteria foi uma das doenças epidêmicas de maior predominância na história da humanidade. Doença causada por uma bactéria de fácil transmissão pelo ar e também de contágio.

vacinas

publicidade

3 – Vacina contra a Tuberculose

Estudada pela área médica desde a antiguidade, a tuberculose é até hoje uma das doenças infecciosas que mais mata no mundo, chegando a uma taxa de cerca de 1, 6 milhão de pessoas mortas ao ano. 

Além disso, no século XIX e início do século XX a tuberculose era chamada de “mal do século” dado seu alto efeito e crescente de transmissão nos grandes centros urbanos. 

Porém, foi nesse período também que os primeiros avanços no tratamento da tuberculose foram crescendo. 

A vacina para o tratamento foi desenvolvida por Louis Pasteur no ano de 1862, já a bactéria causadora da tuberculose foi descoberto trinta anos depois pelo bacteriologista alemão chamado Robert Koch, o que lhe gerou em 1905, o prêmio Nobel de Medicina.

4 – Vacina contra a Febre Amarela

Os primeiros registros das doenças causadas pela febre amarela datam do século XVII, mas bem diferente da evolução de outras doenças do período colonialista, pois muitas epidemias foram importadas das colônias para a Europa. 

publicidade

Vários surtos epidêmicos tomaram conta da Filadélfia em 1793 nos Estados Unidos e na Espanha em 1803. 

vacinas

Além disso, nos inícios dos anos de 1900 aqui no Brasil, dava para contar milhares de casos e centenas de pessoas mortas ao ano por causa da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. 

Os problemas causados pela febre amarela eram tão graves, que muitos países suspenderam o comércio com outros países, assim proibindo navios de aportarem em portos brasileiros.

As vacinas contra a febre amarela foi produzida no Brasil desde 1937 pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos, sendo constituída por vírus vivos derivados de uma amostra africana do vírus amarílico selvagem.  A vacina apresenta eficácia acima de 95%.

5 – Vacina contra a Raiva

Essa vacina foi desenvolvida pelo reconhecido “pai” da microbiologia. Um químico chamado Louis Pasteur que tem entre suas importantes contribuições para a medicina a invenção da vacina contra a raiva, conhecida também como antirrábica. 

Esse método de imunização, desenvolvido em 1885, teve parceria com o médico e bacteriologista chamado Émile Roux, trazendo grande ajuda para Émile Roux, pois os casos de raivas, em quase sua totalidade, ainda geram muitas mortes até hoje.

vacinas

6 – Vacina contra o Tétano

O famoso tétano que ouvimos já quando criança é uma doença infecciosa aguda não contagiosa que deve ser prevenida desde cedo.

A forma mais eficaz de prevenção do tétano é vacinar a população desde a infância com vacinas com o componente tétano, como Vacinas pentas:

  • Difteria;
  • Tétano;
  • Pertussis;
  • Hepatite B;
  • Haemophilus influenzae B.

Essas vacinas devem ser aplicadas em crianças de 2, 4 e 6 meses de idade, sendo o primeiro aos 15 meses e o segundo aos 4 anos de idade com a vacina DTP (difteria, tétano e coqueluche) e a cada 10 anos com a vacina dT (dupla adulto).

7 – Vacina contra a Influenza

Além dos casos que ainda existem todo ano, relatos sobre surtos epidêmicos de gripe estão presentes na história do mundo e remontam os períodos anteriores ao século XII. 

vacinas

Porém, foi no período do século XX que a pandemia da gripe espanhola em 1918, a mais mortal da história da humanidade, estimadas cinquenta milhões de pessoas mortas.

A pandemia, infelizmente terminou sem que a medicina pudesse obter grandes avanços, fosse formulando uma droga que possibilitasse cura ou uma vacina que protegesse a população contra o vírus da Influenza tipo A e seus subtipos, como o H1N1

Mas hoje, a vacina contra os vírus da influenza é composta de cepas virais inativadas, purificadas e cultivadas em células de embrião de galinha.

E é Indicada para todas as pessoas a partir de seis meses de vida, principalmente para aquelas com maior risco de infecções respiratórias.

8 – Vacinas contra a Poliomielite

A Poliomielite é uma doença infectocontagiosa aguda, causada por um vírus chamado Poliovírus. Além disso, esse tipo de doença pode afetar tanto adultos quanto crianças, mas por ser mais contraída na infância, acabou ficando conhecida como “paralisia infantil”.

O único meio para uma prevenção eficaz para essa doença é através de vacinas contra poliomielite, que podem ser de dois tipos:

  • Vacina contra Poliomielite VIP ou Salk;
  • Vacina contra Poliomielite VOP (Gotinha).

vacinas

9 – Vacinas contra Sarampo, Caxumba, Rubéola

As vacinas contra Sarampo, Caxumba e Rubéola, também conhecidas de vacina tríplice viral,  é uma combinação de vírus vivos apresentadas sob uma forma liofilizada, em frasco-ampola com uma ou múltiplas doses. 

Todos os componentes desta vacina obrigatória são altamente imunogênicos e eficazes, assim dando imunidade duradoura por praticamente toda a vida para o ser humano. 

Assim, a proteção inicia-se cerca de duas semanas após a vacinação.

10 – Vacina contra a Hepatite-B

A Hepatite B é uma doença viral infecciosa transmitida pelo vírus VHB (Hepatitis B virus), que infecta as células do fígado.

A vacina contra Hepatite B está inserida no Calendário Nacional de Vacinação e é obrigatória de acordo com as recomendações das autoridades de saúde aqui no Brasil. 

A melhor forma e eficaz de se prevenir contra a Hepatite B, ainda é por meio de vacinas. Assim, a vacina contra Hepatite B é feita em três doses.

Assim sendo, a segunda dose deve ser ministrada após 30 dias da aplicação da primeira e a terceira, seis meses após a primeira.

vacinas

Agora que você já sabe quais foram as 10 vacinas que transformaram a área da medicina e o ruma da humanidade, tenha em mente a importância de se vacinar nos dias de hoje!

A conscientização sobre a importância da vacina é um assunto ainda muito discutido nos dia de hoje. Pois elas atuam na defesa do organismo contra agentes infecciosos e bacterianos.