CUIDADO! Seu estresse pode ser um distúrbio SÉRIO e que precisa ser tratado!

Conheça a diferença entre Estresse e Burnout e como eles podem atrapalhar o seu trabalho!

CUIDADO! Seu estresse pode ser um distúrbio SÉRIO e que precisa ser tratada!
CUIDADO! Seu estresse pode ser um distúrbio SÉRIO e que precisa ser tratada!

Você já ouviu falar que o estresse e a sobrecarga no local de trabalho está aumentando em todo o mundo, muitas vezes considerados uma causa de burnout? Porém, um novo estudo da ciência questiona essa suposição. Confira a seguir e saiba mais detalhada sobre esse assunto.

Na década de 70, Herbert Freudenberger cunhou o termo burnout. Para as pessoas que não sabem, burnout é um distúrbio psíquico causado pela exaustão extrema, também conhecida como a síndrome do esgotamento profissional.

Em 2019, a Organização Mundial da Saúde (OMS) atingiu um marco histórico, classificando-o oficialmente como diagnóstico médico, incluindo a patologia em sua Classificação Internacional de Doenças , manual que orienta os profissionais da saúde no diagnóstico das patologias. 

O manual descreve o burnout como uma síndrome conceituada como resultante do estresse crônico no local de trabalho que não foi administrado com sucesso. 

diferença-estresse-burnout

São três os sintomas que podem ajudá-lo a reconhecê-lo:

  • Sensação de esgotamento ou exaustão de energia;
  • Aumento da distância mental do trabalho ou sentimentos de negativismo ou cinismo relacionado ao trabalho;
  • Redução da eficácia profissional. 

Além disso, o Burnout se refere especificamente a fenômenos no contexto ocupacional e não deve ser aplicado para descrever experiências em outras áreas da vida. ”

Qual a diferença entre Estresse e Burnout?

Agora que o esgotamento é oficialmente uma crise crônica no ambiente de trabalho, as empresas estão levando essa condição mais a sério.

Isso ajuda a entender que Burnout não é o mesmo que estresse e que você não pode curá-la tirando férias prolongadas, diminuindo o ritmo ou trabalhando menos horas. 

O estresse é uma coisa; o Burnout ou  Esgotamento é um estado de espírito totalmente diferente. Pois sob estresse, você ainda luta para lidar com as pressões. 

Mas assim que o esgotamento se estabelecer, você ficará sem combustível e perderá todas as esperanças de superar seus obstáculos. 

diferença-estresse-burnout

Quando você está sofrendo de esgotamento, é mais do que apenas fadiga. Você tem um profundo sentimento de desilusão e desesperança por seus esforços terem sido em vão. 

A vida perde o sentido e as pequenas tarefas parecem uma caminhada até o Monte Everest. Seus interesses e motivação seca, e você deixa de cumprir até mesmo as menores obrigações diárias.

Principais sinais de uma pessoa esgotada

Veja a seguir alguns sinais que pessoas esgotadas demonstram. Aproveite essa oportunidade para aprender a identificar quando uma pessoa do seu trabalho ou convívio social está esgotada. 

  • Desilusão;
  • Perda de significado;
  • Fadiga mental e física;
  • Mau humor e impaciência;
  • Temperamento explosivo;
  • Perda de motivação;
  • Redução do interesse em compromissos;
  • Incapacidade de cumprir obrigações;
  • Imunidade reduzida à doença;
  • Desapego emocional de envolvimentos anteriores;
  • Esforços de sentimento não são apreciados;
  • Afastamento de colegas de trabalho e situações sociais;
  • Desespero e uma perspectiva desesperada e deprimida;
  • Absenteísmo e ineficiência no trabalho;
  • Privação de sono;
  • Pensamento nebuloso;
  • Dificuldade de concentração.

diferença-estresse-burnout

As pesquisas mostram que mais de 60% do absenteísmo ao trabalho é atribuído ao estresse psicológico e ao desgaste relacionado ao estresse. 

De acordo com uma pesquisa de 2018, 40% dos dois mil funcionários disseram que estavam pensando em desistir por causa do esgotamento. 

Os especialistas estimam que o esgotamento se traduz em uma perda de algo entre 150 e 350 bilhões de dólares anuais para as empresas americanas. 

Essa é uma estatística assustadora para qualquer dono e administrador de empresa, especialmente em um mercado de trabalho apertado, onde os seus funcionários não conseguem dar o melhor de si e, por desespero, cortar atalhos, dizer que está doente ou pedir demissão, tudo em um esforço para sobreviver ao burnout.

O Estresse no trabalho é a força motriz por trás do Burnout?

Confira a seguir o que o pesquisador Christian Dormann que liderou uma pesquisa na Universidade Johannes Gutenberg de Mainz diz sobre a relação do estresse e burnout:

“O sintoma de esgotamento mais importante é a sensação de exaustão total, a ponto de não poder ser remediada por fases normais de recuperação de uma noite, um fim de semana ou mesmo férias. Para se protegerem de uma maior exaustão, alguns tentam construir uma distância psicológica de seu trabalho, isto é, eles se alienam de seu trabalho, bem como das pessoas a ele associadas e se tornam mais cínicos”.

diferença-estresse-burnout

Os resultados do estudo da Universidade Johannes Gutenberg de Mainz desafiam a noção comum de que o estresse no ambiente de trabalho é a força motriz por trás do burnout. 

A equipe da pesquisa avaliou quarenta e oito estudos longitudinais sobre burnout e estresse no trabalho, compreendendo 26.319 participantes. 

A idade média na pesquisa inicial era de cerca de 42 anos, e 44% dos entrevistados eram homens. 

Os estudos longitudinais de 1986 a 2019 vieram de vários países, incluindo países predominantemente europeus, bem como:

  • Israel;
  • Estados Unidos;
  • Canadá;
  • México;
  • África do Sul;
  • Austrália;
  • China;
  • Taiwan.

Os resultados do novo estudo mostram que o estresse no trabalho e o esgotamento se reforçam mutuamente. 

No entanto, ao contrário da crença popular, o burnout tem um impacto muito maior sobre o estresse no trabalho do que o contrário. 

diferença-estresse-burnout

Veja o que fala o pesquisador Christian Dormann que liderou a pesquisa:

“Isso significa que quanto mais grave o burnout de uma pessoa se torna, mais estressada ela se sentirá no trabalho, como estar sob pressão de tempo, por exemplo. Os funcionários que sofrem de esgotamento devem receber apoio adequado em tempo hábil para quebrar o círculo vicioso entre o estresse no trabalho e o esgotamento.”

Os resultados desafiam a percepção comum de que o estresse no trabalho é a força motriz por trás do burnout. Dormann ainda ressalta:

“O burnout pode ser desencadeado por uma situação de trabalho, mas nem sempre é o caso”.

Depois que o esgotamento começa, ele se desenvolve apenas gradualmente, aumentando lentamente com o tempo. 

Em última análise, faz com que o trabalho seja cada vez mais percebido como estressante. Com isso, a quantidade de trabalho é demais, o tempo é muito curto e o estresse é muito grande

Confira a seguir o que Christina Guthier, a primeira autora do artigo, explicou sobre o assunto:

“Quando exausta, a capacidade de lidar com o estresse geralmente diminui. Como resultado, mesmo tarefas menores podem ser percebidas como significativamente mais árduas. Esperávamos um efeito de burnout sobre o estresse no trabalho; a intensidade do efeito foi muito surpreendente.”

diferença-estresse-burnout

O efeito do burnout na percepção do estresse no trabalho pode ser um pouco mitigado se os funcionários tiverem mais controle sobre seu próprio trabalho e receberem apoio de colegas ou superiores.

Seguindo em frente, às principais questões precisam ser abordadas: Como os efeitos do burnout no estresse no trabalho podem ser reduzidos e como esse círculo vicioso pode ser evitado?

Os pesquisadores sugerem que o ponto de partida é o comportamento gerencial. Os funcionários devem ter a oportunidade de dar feedback sobre seu estresse no trabalho a qualquer momento e ser ouvidos.

Por último, mas não menos importante, a recuperação adequada também pode ajudar a interromper a espiral descendente.

publicidade