Policial entra em tiroteio e salva menina de 4 anos atingida

O amor de mãe é algo surpeendente!

Policial entra em tiroteio e salva menina de 4 anos atingida
Policial entra em tiroteio e salva menina de 4 anos atingida

Ser mãe é algo que afeta uma mulher com seu grande amor nos mais ávidos momentos. Sejam eles de alegria, de dor ou até mesmo no meio do perigo, ela nunca deixa de pensar como mãe.

E foi exatamente o que aconteceu no começo desse mês com uma policial que estava trabalhando na Times Square, em Nova York. Não por menos, foi chamada de heroína com muita admiração.

Depois que começou uma briga, uma grande confusão chegou a se formar nessa avenida que sempre é tão cheia. E a policial Alyssa Vogel estava por perto.

O momento de tensão aconteceu por perto das 17h de um sábado, quando no meio de muitas pessoas alvoroçadas pelo medo, alguém chegou a atirar algumas vezes e algumas balas acabaram atingindo três pessoas.

Dentre elas, uma menina de apenas 4 anos que estava no local, acabou sendo atingida em uma das pernas. Foi quando a Alyssa decidiu agir para salvar a vida da pequena, que se mostrava mais forte do que imaginavam.

“Essa garotinha era tão forte. Ela nem chorou uma vez, exceto quando estávamos colocando o torniquete. Ela gritou porque é muito doloroso,” contou a policial que a levou no meio do tiroteio.

De acordo com algumas imagens que foram feitas no local e pelo depoimento da própria policial, ela não poderia ter agido de outra forma, se não como uma pessoa preocupada em proteger uma criança que estava em perigo.

Nas imagens, é possível ver quando a Alyssa simplesmente passa correndo no meio da multidão com a menina presa em seu colo e protegida por seus braços envolto ao corpo.

Ser mais é ter instinto de uma heroína 

A policial Alyssa é uma mãe incrível! Acredita ela, que só conseguiu fazer o que fez, sem pensar em todo o perigo ao redor, por causa do seu pequeno filhinho de apenas 6 meses.

Reconhecendo o sufoco que é para uma mãe ver sua filhinha baleada, agiu como tal e fez de tudo para acalentar as duas, como contou mais: “Como mãe, acho que meus instintos maternais acabaram, sabe, preciso ajudá-la.”

Quando chegou a contar sobre a apreensão da mãe, a policial contou que ela estava como qualquer outra mamãe estaria:

“Eu sempre dizia a ela para respirar e que sua filha ficaria bem. Eu continuei tentando acalmá-la porque ela estava obviamente com muito medo.”

Nas imagens, é possível ver que a mãe da menina corre tentando alcançar a policial, que logo em seguida a levou para receber atendimentos: “Na verdade, saí da ambulância com ela e a levei para a unidade de pediatria, onde os médicos assumiram”.

Aquela história, nem todos os heróis usam capas e são criados na televisão, não é mesmo? Que grande orgulho temos!