Um guia para se manter produtivo enquanto deprimido ou com o coração partido

Todos nós sentiremos pesar e tristeza ao longo de nossa vida profissional.

publicidade

“Nós, empreendedores, não podemos nos dar ao luxo de namorar”, eu meio que brinquei com um amigo outro dia. “Nós não podemos tirar folga quando temos nossos corações partidos.”

Sou uma terapeuta que ajuda as pessoas a aprenderem a ser resilientes diante das incertezas da vida. Mas até eu me sinto ansiosa sobre como ficar motivada quando me sinto mal – especialmente na porcaria que é namorar em Nova York.

Todos nós sentiremos pesar e tristeza – seja devido a desgosto, luto ou alguma outra perda – ao longo de nossa vida profissional. E cerca de 300 milhões de pessoas no mundo lidam com depressão, a causa mais comum de incapacidade.

publicidade

Tanto o luto quanto a depressão não são brincadeira quando se trata de afetar nossa produtividade.

Enquanto algumas pessoas podem mergulhar em seu trabalho como uma distração muito necessária, a maioria experimenta uma queda drástica no funcionamento básico.

Nossa motivação é atingida; perdemos o foco e a concentração; nosso sono e apetite ficam totalmente bagunçados.

Nos dias bons, conseguimos cumprir um prazo apesar de nos sentirmos como uma concha de ser humano. Nos dias ruins, apenas se vestir é assustador.

publicidade

Embora tenha passado alguns anos desde a última vez que fiquei de coração partido, a depressão gosta de me fazer uma visita semestral.

Por mais inconveniente que seja, eu a vejo como uma oportunidade para “pesquisar” uma experiência incrivelmente frustrante, dolorosa e provocadora de ansiedade pela qual muitas pessoas passam.

Eu compilei as dicas a seguir para qualquer um que esteja passando por um momento difícil – enquanto faz o melhor para continuar fazendo as coisas.

Um guia para se manter produtivo enquanto deprimido ou com o coração partido

1. Saia do seu apartamento

Depressão gosta de mentir para nós. Ela diz coisas como: “Você é fraca. Ninguém quer estar perto de você”, “vá fuçar no Instagram da noiva do seu ex” e “economize energia e trabalhe em casa hoje”.

publicidade

Quando se trata de produtividade, trabalhar em casa pode ser um desafio em circunstâncias importantes. Coloque um pouco de desgosto ou vergonha ali, e quando você percebe, a única coisa que você cortou da sua lista de tarefas foi clicar em “próximo episódio” quatorze vezes.

Apesar do que a depressão lhe diz, vá a um café, a uma biblioteca ou a um espaço de trabalho colaborativo. O chuveiro é opcional.

2. Ajuste suas expectativas para o seu desempenho

Pense na sua saúde mental como um sistema operacional de computador.

Quando tudo está bem, você está operando como um novo Mac que tem um programa aberto: concluir uma tarefa dentro do seu escopo é muito fácil. Quando você está deprimido ou em luto, no entanto, o cata-vento da ansiedade está girando constantemente. Basicamente, você é forçado a desistir.

Naturalmente, dado que a depressão é alimentada pelo perfeccionismo para muitos de nós, essa experiência pode causar outra camada de vergonha, frustração e ansiedade.

Pessoas com alto desempenho se orgulham de sua capacidade de realizar o trabalho e estão acostumados a atender às expectativas. Infelizmente, quando estamos em um estado emocional comprometido, temos que aprender a não esperar tanto de nós mesmos.

Portanto, reduza suas expectativas de desempenho: se estiver funcionando a 30% do seu estado normal, espere 30% do que você normalmente alcançaria.

Em seguida, defina metas INTELIGENTES: metas específicas, mensuráveis, realizáveis, realistas e orientadas para o tempo.

Por exemplo, em vez de “Vou fazer um plano de negócio amanhã” (o que é vago e possivelmente irrealista), escreva: “das 12h às 23h, vou a um café e farei um esboço do conteúdo do meu plano de negócio”.

Isso atenua a ansiedade desnecessária e ajuda você a se sentir menos sobrecarregado. E atingir metas realistas aumentará sua confiança – o que, por sua vez, aumenta sua motivação.

3. Crie responsabilidade

Nos manter responsáveis ​​por prazos impostos por nós mesmos é um desafio. Nos manter responsáveis ​​por prazos impostos por nós mesmos quando você está no desespero é quase impossível.

Dê a si mesmo uma vantagem, marcando um encontro de trabalho com um amigo, definindo metas com seu terapeuta ou coach, contratando um estagiário ou prometendo um tempo de entrega (realista) a alguém por e-mail.

Este não é o momento para se culpar por falta de motivação intrínseca.

Peça ajuda e talvez você até experimente algum bônus de conexão de cura ao longo do caminho.

4. Aumente o cuidado pessoal e se conecte com os outros

As pessoas que passam por momentos difíceis têm o impulso de se isolar.

Mas mesmo que pareça contraintuitivo, é absolutamente essencial passar um tempo com os outros – desde que sejam pessoas que se importem com você, em torno das quais você possa se permitir estar um desastre total.

Deixe de lado as expectativas de ter uma vida de festa. Assistir Netflix lado a lado com uma tigela de pipoca é suficiente.

Além disso, reserve tempo para o cuidado pessoal.

Há dois tipos de cuidado pessoal quando nos sentimos mal: o tipo que distrai, como escalada, fabricação de joias e outras atividades que exigem concentração total; e o tipo que nos ajuda a processar nossas emoções, como escrever no diário ou fazer arte.

Algumas atividades nos fornecem um pouco de ambos: ioga, por exemplo.

Certifique-se de que está fazendo algo gentil consigo mesmo todos os dias e confie que isso é necessário não apenas para a cura e o humor, mas também para sua produtividade.

Se culpar por ser improdutivo não vai inspirar motivação, então é melhor você se render ao fato de que precisa de tempo de cura e trabalhá-lo em sua agenda.

Finalmente, fique atento ao seu relacionamento com substâncias como álcool, nicotina, maconha e até mesmo cafeína. Embora tentadores como auxiliares ou agentes entorpecedores, eles podem piorar nossos sintomas depressivos.

Um guia para se manter produtivo enquanto deprimido ou com o coração partido

5. Conecte-se com um terapeuta

Os terapeutas não são apenas para pessoas que têm uma doença mental. Estamos aqui como suporte informado, confidencial e sem julgamentos para quem está passando por um período sombrio.

Muitos empreendedores reverenciados têm falado sobre o valor da terapia em seu sucesso. Preocupado com o investimento? Muitos terapeutas trabalham para acomodar clientes com balanças desequilibradas.

E estudos mostram que, quando investimos em algo, é mais provável que o valorizemos.

Isso sugere que podemos estar mais propensos a nos comprometer com a melhoria do nosso bem-estar quando estamos fazendo um investimento financeiro em sessões de terapia.

6. Aprenda a linguagem da autocompaixão

Ser duro consigo mesmo com certeza irá motivá-lo a fazer as coisas, certo? Errado. Mais e mais pesquisas estão surgindo para sugerir que a autocrítica, na verdade, tem um efeito desmotivador.

A melhor alternativa é a autocompaixão, que é basicamente a kryptonita do perfeccionismo.

É tudo uma questão de entender que você é um ser humano imperfeito como todos os outros e estabelecer expectativas realistas altas, mas flexíveis.

Quando somos autocompassivos, nos tratamos com cuidado, como se fosse um amigo, abrindo espaço para erros e, assim, nos permitindo assumir riscos, crescer e satisfazer nossas expectativas ao longo do caminho.

7. Encontre as dádivas em sua dor, passado e presente

Embora estudos recentes contradigam a noção de que a criatividade está diretamente correlacionada com a doença mental, nossa criatividade e apetite para o sucesso muitas vezes nascem da mesma dor original das nossas neuroses.

Por exemplo, o mesmo trauma relacional que pode levar uma pessoa a desenvolver talento artístico ou um senso de humor perverso, também pode levar à vergonha interna avassaladora, que perpetua a depressão e a ansiedade.

Portanto, reconheça que muitos de seus pontos fortes não estariam presentes sem as mesmas sementes que geraram suas batalhas.

Além disso, como o renomado pesquisador social, Brené Brown, diz tão eloquentemente: “A arte tem o poder de tornar a tristeza bela”. Encontrar significado no sofrimento é necessário.

Então, transformar sua “bagunça” em uma missão, seja um post de blog ou uma organização sem fins lucrativos, pode ser o movimento mais produtivo de todos.

Este artigo é uma tradução do Awebic do texto originalmente publicado em Quartz, escrito por Megan Bruneau.

Imagens: pexels.com e pixabay.com

Gostou do conteúdo? Então comente e compartilhe-o com seus amigos

COMENTÁRIOS | Deixe sua opinião!

comments