Se o seu relacionamento passou DESSES LIMITES, caia fora AGORA! 
Se o seu relacionamento passou DESSES LIMITES, caia fora AGORA! 

Se o seu relacionamento passou DESSES LIMITES, caia fora AGORA! 

Esses sinais podem mudar sua vida!

publicidade

Atualmente, muitas pessoas vivem um relacionamento abusivo, mas sequer conseguem identificar seus sinais. Ao contrário do que muitos pensam, esse tipo de relação não inicia com agressões físicas e ameaças de morte e sim de uma forma sutil que atinge principalmente o psicológico. 

Isso não significa que o dano causado é mais leve ou menos real. O problema é as pessoas esperarem que o abuso seja sinônimo de feminicídio para que comecem a prestar atenção aos sinais. 

A comunidade feminina como um todo, precisa aprender o verdadeiro significado de sororidade ou as tragédias continuarão escancarando tudo aquilo que a sociedade patriarcal tenta minimizar

publicidade

É por isso que neste artigo vamos falar sobre os limites que definem até que ponto um relacionamento é saudável e como você pode fazer para se livrar de alguém que está interferindo em seu bem-estar. 

Vale ressaltar que esse tipo de situação pode acontecer com qualquer pessoa e muitas vezes quem sofre não deixa transparecer.

Mulheres instruídas, saudáveis, fortes e bem resolvidas também são vítimas e precisam de informações para que consigam analisar o que estão passando com mais clareza. 

publicidade

Iniciamos desse ponto pois é necessário quebrar o estereótipo associado a essa questão.

Precisamos parar de associar a violência doméstica a cenários específicos, tendo em vista que ela pode se manifestar entre todas as classes, lugares e pessoas. 

Sempre que nós pensamos que as agressões só são vivenciadas por pessoas ignorantes e vulneráveis estamos fechando os olhos para uma outra parcela que também sofre do mesmo problema. Isso nos coloca na ótica do agressor e diminui a empatia com as vítimas. 

Você mesmo pode ter vivido, ou estar vivendo um relacionamento com uma pessoa tóxica, mas pode nunca ter enxergado por esse ângulo.

Alguém com quem você convive também pode estar sofrendo com isso e nem você nem a outra pessoa conhecem identificar quais sinais definem o abuso. 

Se você quer saber como identificar esses sinais, fica por aqui e descobre! Afinal, até chegar a uma agressão física, outros tipos de violência podem acontecer e você pode não se dar conta. 

publicidade

1 – AMOR INFINITO E DESCONTROLADO 

Pode parecer um paradoxo, mas é comum que em relacionamentos abusivos o abusador estabeleça um padrão comportamental. Nesse padrão, a capacidade de seduzir fica sempre em destaque. 

O abusador pode surgir como alguém extremamente apaixonado, gentil e romântico. Contudo, você deve estar atenta para que essas demonstrações de carinho não sejam uma forma de mascarar outras questões. 

Um exemplo bem claro é quando você descobre uma traição e automaticamente o parceiro encontra formas de elevar sua autoestima e fazer com que acredite em suas “provas de amor”. 

Isso só demonstra quão doentia pode ser a mente de um abusador. Geralmente, a ingenuidade acaba fazendo com que muitas mulheres acreditem nesse conto de fadas. 

Obviamente que manifestações de amor espontâneas devem ser apreciadas, mas sempre fique com um pé atrás caso elas sejam fruto de um pedido de “desculpas” por um erro inadmissível pela maioria das pessoas. 

Não confunda migalhas de amor com um banquete!

Quando o relacionamento ainda não é maduro, fica difícil separar os rompantes amorosos dos sinais de alerta. Uma forma de reconhecer isso é observar com que frequência esses episódios acontecem. 

O excesso de amor deve ser visto como um alerta quando os dias antes desses “momentos especiais” forem carregados de brigas e negatividade. Muito ciúmes, cobranças e até humilhações também devem apontar em seu radar. 

Quando o romantismo aparece para tapar buracos, é hora de tomar cuidado e estabelecer o que é melhor para você! O amor não é sustentável quando o casal não tem paz na maioria dos dias.

Além disso, quando uma surpresa surge para silenciar uma briga é sinal de que vocês precisam investir no diálogo. Atitudes falam mais do que presentes! Esteja atenta a isso! 

2 – O PARCEIRO QUER TE OBRIGAR A MUDAR! 

Essa é mais uma característica de um relacionamento abusivo! A imposição sutil ou agressiva do modo de agir é um sinal que merece sua atenção! 

Com isso não quero dizer que você deve tapar os ouvidos para as críticas construtivas, mas sim observar se elas surgem a partir de um diálogo equilibrado e que te motive a ser alguém melhor. 

Ao primeiro sinal de imposição grosseira você precisa colocar um basta!

Em um relacionamento tóxico, as mudanças comportamentais são sugeridas como algo que te leva a questões moralistas e criteriosas do ponto de vista do abusador. 

Ele vai fazer você acreditar que a proposta que ele está te fazendo irá trazer benefícios para seu caráter e aparência. Sabe aquele “toque” sutil sobre o seu peso, corte de cabelo ou roupas? Encare como um alerta! 

3 – A RELAÇÃO ABUSIVA SE FORTALECE COM O TEMPO 

Imagine uma relação tóxica como uma teia que vai se reforçando a cada vez que você deixa passar o comportamento abusivo do seu parceiro. Os laços invisíveis te prendem cada vez mais e fazem você acreditar que certas situações são normais. 

Com um tempo isso te paralisa e dificulta ainda mais o encerramento dessa relação. Essa teia invisível não amedronta até que você consiga perceber o quando ela provoca danos ao seu bem-estar. 

Quando isso acontece é hora de se libertar e ajudar outras mulheres a identificar as teias que as prendem. A empatia e a sororidade são fundamentais para que você não julgue outras pessoas. 

Tente de forma sutil alertá-la sobre o que viveu e como isso pode servir para ela. 

4 – SUPERPROTEÇÃO E CIÚMES EM EXCESSO 

Esse ponto é uma das linhas que formam a teia. Quando o seu parceiro cuida de você de forma equilibrada e reconhece seu potencial em cuidar de si tudo está em equilíbrio, mas você deve ter cuidado caso isso se transforme em uma superproteção. 

O reconhecimento do abuso é difícil justamente, porque muitos dos sinais de alerta se confundem com demonstrações de afeto. Para quem está de fora pode parecer fácil identificar a diferença. Contudo, quem sofre na pele não consegue distinguir de forma simples. 

A superproteção diminui a vítima, ao mesmo tempo em que aumenta o poder do agressor. Ele se coloca no lugar de “cuidador” e passa a ser “fundamental”, aniquilando a autonomia da vítima. 

5 – AGRESSÕES VERBAIS E PSICOLÓGICAS 

Um relacionamento abusivo tem altos e baixos. Por ora o agressor é gentil e apaixonado. Esse aspecto positivo torna o jogo emocional complexo. Afinal, quando a humilhação parte de quem você ama, acaba se confundindo. 

Em contraponto aos momentos bons e cheios de elogios, aos poucos, as críticas vão ganhando espaço. Por serem proferidas por uma pessoa íntima, abalam e fragilizam a identidade de quem ouve. 

Portanto, fique atento se notar que o seu parceiro: 

  • diminui suas conquistas; 
  • ridiculariza suas opiniões; 
  • afirma que apenas ele irá te amar; 
  • pede que você se afaste de amigos ou família; 
  • transfere para você a culpa pelas reações agressivas dele; 
  • desconta a raiva em objetos; 
  • põe a culpa do descontrole no álcool; 
  • manifesta ciúmes por bobagens; 
  • tira sua privacidade em conversas e redes sociais; 
  • controla sua vida financeira; 
  • proíbe que use as roupas que goste; 
  • vive se desculpando e dizendo que vai mudar, mas na verdade nunca muda; 
  • diz que você está “louca” quando o contraria, fazendo com que você questione a própria sanidade e capacidade de analisar as situações com clareza; 
  • impõe suas vontades, inclusive te obrigando a fazer sexo; 
  • deixa você insegura, com medo e constantemente infeliz.